1) Só aborde na introdução e na conclusão o que realmente estiver no desenvolvimento.

A introdução é uma “promessa”. É nela que se apresenta o ponto de vista a ser defendido ou o assunto sobre o qual se discorrerá. Por isso, o que estiver “prometido” ao leitor tem que ser “cumprido” no desenvolvimento. O que se introduz deve-se desenvolver.

Já a conclusão, não nos esqueçamos, é, geralmente, a retomada do ponto de vista, o resumo dos pontos abordados ou a apresentação de propostas que visem a solucionar um problema. Então, só se deve fazer referência a aspectos realmente abordados na dissertação.

Veja abaixo um exemplo de falha. O aluno, na introdução desta redação sobre racismo, tocou em assuntos (grifados) que simplesmente foram ignorados no desenvolvimento:

Vivemos em um mundo capitalista, tendo como principal objetivo o lucro. Muitas vezes para obter esse lucro o homem pratica atos terríveis, como por exemplo o racismo.

Na semana passada foi aberta a Conferência das Nações Unidas na África do Sul para discutir o racismo no mundo. A delegação brasileira apresentou propostas que incluem o estabelecimento de cotas para negros na universidade. Será que isso seria a solução para o fim da discriminação racial?

Sem dúvida, o acesso à universidade é crucial.

No entanto antes disso não seria preciso ter uma boa formação de base, ou seja, não só os negros, mas sim todas as crianças carentes estarem bem preparadas com a educação do ensino fundamental e ensino médio para disputar frente a frente uma vaga nas universidades com pessoas de classes mais elevadas?

Enfim, como vivemos em um mundo capitalista, além de aspirarmos amor, paz, fraternidade, muitas vezes o que mais queremos é uma melhora no setor financeiro. E para que todos possam ter uma chance, vimos que a educação é um meio. Dessarte, não só as pessoas de níveis mais elevados podem conseguir, mas também pessoas carentes, negros, etc. 

2) Evite períodos muito longos ou seqüências de frases muito curtas.

O equilíbrio e o bom senso são fundamentais na dissertação. Assim como frases grandes demais são evitáveis, as seqüências de minifrases também o são. Numa dissertação de vestibular, uma boa média de tamanho de cada frase é a de duas linhas e meia ou três linhas.

Isso não quer dizer, no entanto, que lhe seja proibido utilizar, de vez em quando, uma frase curta, de meia linha, por exemplo. Quanto mais você escrever, mais naturalmente serão produzidos os períodos, cujos tamanhos lhe agradarão ou desagradarão intuitivamente. A redação e o automóvel têm algo em comum: quanto mais dirigimos um carro, menos temos que pensar para fazê-lo. Torna-se algo natural. Veja um exemplo de frase “grandinha” demais:

Em vista dos argumentos mencionados, vemos que o problema não deve ser analisado como caso para uma retaliação militar. Antes de ser tomada uma medida tão drástica como essa, devem-se buscar exemplos históricos que indiquem providências a serem ou não reutilizadas, o que, com certeza, traria maior respeito aos Estados Unidos, que, ao invés de ser protagonista de uma destruição vingativa e desnecessária, poderia demonstrar seu nível de desenvolvimento resolvendo a questão de uma maneira pacífica e eficaz.

Ufa! Haja fôlego para ler um período desses! Que tal fazermos uma reconstrução, para que o leitor consiga lê-lo sem perder a capacidade de respirar?

Em vista dos argumentos mencionados, vemos que o problema não deve ser analisado como caso para uma retaliação militar. Antes de ser tomada uma medida tão drástica como essa, devem-se buscar exemplos históricos que indiquem providências a serem ou não reutilizadas.

Isso, com certeza, traria maior respeito aos Estados Unidos. O país, em vez de ser protagonista de uma destruição vingativa e desnecessária, poderia demonstrar seu nível de desenvolvimento resolvendo a questão de uma maneira pacífica e eficaz.