Até 2016, quem não estava matriculado em uma escola regular podia usar o Enem para obter o certificado do ensino médio.

Essa possibilidade deixa de existir a partir de 2017, quando o Ministério da Educação (MEC) começa a promover uma série de mudanças no Exame Nacional do Ensino Médio. A primeira medida, já confirmada, é que o Enem não servirá mais para a certificação.

E agora? Como faz?

Antes que você se preocupe, saiba que nada muda para quem fez o Enem 2016 com esse objetivo e cumpriu os requisitos. A mudança só começa a vigorar em 2017, quando o MEC vai oferecer uma alternativa de exame para a obtenção do certificado.

Fique com a gente que vamos explicar tudo!

O Enem não serve mais para obter certificação do ensino médio

Pois é. Quem não estiver matriculado em uma escola regular, não vai mais poder fazer o Enem para obter o certificado do ensino médio. A regra começa a valer em 2017.

Fiz o Enem 2016. Vou poder pegar meu certificado de conclusão do Ensino Médio?

Sim, caso cumpra os requisitos descritos no edital. São eles:
• Marcar a opção de obter o certificado de conclusão do ensino médio com a nota do Enem ao se inscrever para o Exame.
• Selecionar uma instituição certificadora (entidade que vai emitir o certificado) no sistema de inscrição do Enem.
• Ter 18 anos ou mais na data de aplicação da primeira prova.
• Atingir a pontuação exigida: pelo menos 450 pontos em cada uma das quatro provas objetivas e 500 na redação

Quem deixou de cumprir qualquer um dos requisitos (exemplo: não alcançou a pontuação mínima em alguma das provas) não vai poder tirar o certificado com a nota do Enem 2016.

Vou poder obter o certificado do ensino médio fazendo alguma prova?

Sim! Quem quiser fazer uma prova para obter o certificado não vai ficar a ver navios.

O MEC anunciou que a partir de 2017 isso vai ser possível pelo Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). O Encceja, que até agora era voltado somente para o ensino fundamental, vai ser ampliado para certificar também para o ensino médio.

Fique ligado nos comunicados do MEC para saber das datas e regras de participação. A primeira edição do Encceja deve ser aplicada no segundo semestre de 2017.

Todo mundo vai ser obrigado a fazer o Encceja para tirar o certificado do ensino médio?

Não. A participação é opcional e voltada a quem, por algum motivo, não concluiu os estudos no tempo previsto.

Portanto, se você estiver matriculado(a) em uma escola regular do ensino médio, pública ou privada, não precisa se preocupar com o Encceja. Caso passe em todas as matérias, ao fim do terceiro ano você receberá seu certificado automaticamente.

O certificado do ensino médio obtido pelo Encceja vale?

Tanto o certificado emitido por uma escola regular, como pelo Enem (para quem fez o Exame até 2016) e pelo Encceja (a partir de 2017) têm a mesma validade em todo o território nacional.  Veja, a seguir, tudo o que você poderá fazer com ele.

Para que serve o certificado de conclusão do ensino médio?

O certificado de conclusão do ensino médio atesta que aquela pessoa cumpre os requisitos necessários desse nível de escolaridade – tem as habilidades e conhecimentos exigidos nos três anos do ensino médio.

É um documento importantíssimo na vida acadêmica e profissional. Vale muito a pena cumprir essa etapa. Com ele, você pode:

• Concorrer a uma vaga de emprego que exija ensino médio completo.
• Prestar concurso público para cargos de nível médio.
• Entrar em cursos técnicos subsequentes – aqueles que exigem ensino médio completo.
• Entrar na faculdade!

Onde estudar depois de conseguir o certificado do ensino médio

A gente sabe que não é fácil voltar à sala de aula. Muita gente que abandonou os estudos acaba estagnado na carreira, pois as opções ficam mesmo mais restritas. É preciso ralar para se sustentar e sobra pouca grana para investir em educação.

Acontece que esse é um esforço que vale muito a pena. Ter um diploma de nível superior, no Brasil, significa ampliar as possibilidades de emprego, com cargos mais altos e, obviamente, salários melhores.

Há três tipos principais de curso superior. Certamente você vai encontrar aquele que atende às suas necessidades e planos de carreira:

Bacharelado: dura normalmente entre 4 e 5 anos e forma um profissional com visão ampla da área de conhecimento escolhida. Algumas profissões só podem ser exercidas por quem tem esse tipo de diploma. É o caso de Direito, Farmácia, Engenharia, Medicina e Fisioterapia, entre outras.

Licenciatura:
dura 3 ou 4 anos, dependendo da área, e forma professores para o ensino fundamental, médio e profissionalizante. Há várias opções: Letras, Biologia, Geografia, História, Matemática, Pedagogia, Química, etc.

Tecnólogo: dura entre 2 e 3 anos e, apesar de o nome confundir um pouco, também é um curso de nível superior. A vantagem aqui, além do tempo mais curto de formação, é a alta empregabilidade. Os cursos superiores de tecnologia, como também são conhecidos, preparam o aluno para atuar em uma área específica. É uma graduação “mão na massa”, criada para atender à demanda do mercado de trabalho. Gestão de Recursos Humanos, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Logística, Gestão Financeira, Segurança do Trabalho e Construção de Edifícios são alguns exemplos.


Bolsas e financiamentos que ajudam a pagar a faculdade particular

A concorrência para entrar em universidades públicas é alta, mas existem opções para estudar em faculdades privadas de qualidade com a ajuda do Governo Federal.

A primeira delas é o Programa Universidade para Todos (ProUni), que distribui bolsas parciais e integrais a estudantes de baixa renda.

A segunda é o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES), um crédito a juros baixos e prazo longo para pagar.

Nesses dois processos seletivos, é preciso ter feito o Enem.

Há ainda inúmeras iniciativas do setor privado que ajudam a bancar a faculdade: parcelamentos facilitados, descontos, crédito estudantil e bolsas por mérito são alguns exemplos.

E se você tem receio de enfrentar o vestibular, saiba que nas particulares o concurso é bem mais tranquilo. Na modalidade de vestibular agendado, por exemplo, muitas vezes a prova é apenas uma redação.

Independentemente da forma de ingresso que você escolher, é importante buscar uma faculdade reconhecida pelo MEC – isso garante que seu diploma de nível superior terá validade em todo o território nacional e será bem aceito no mercado de trabalho. 

Confira algumas instituições autorizadas pelo MEC a oferecer cursos superiores:

Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL) 
Universidade Cidade de São Paulo (UNICID)
Universidade de Franca (UNIFRAN) 
Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS) – em Minas Gerais 
Faculdade Unime (UNIME) – na Bahia 
Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA) 
Universidade Estácio de Sá (UNESA) 
Centro Universitário UNISEB (UNISEB-Estácio)
Universidade Norte do Paraná (UNOPAR) 
Centro Universitário do Distrito Federal (UDF)

Está se preparando para o Enem ou Vestibular e precisa de uma forcinha? Conheça o site Descomplica, que tem aulas, conteúdos e exercícios sobre matérias de todo o ensino médio!

Veja também:

O que é tecnólogo?


Ficou clara a questão do certificado do ensino médio? Sonha em conquistar esse diploma para dar uma guinada na carreira? Conte para a gente aqui nos comentários!