O mundo está passando por uma séria recessão provocada pela volatilidade dos fluxos internacionais de capital especulativo. O dinheiro hoje está num país e puff! Como num passe de mágica e com algumas tecladas num computador, pode ir parar em outro país que o especulador julgar mais rentável ou mais seguro.

O Brasil, infelizmente, tornou-se joguete num cassino de péssimo gosto: durante o ano de 1998 perdeu cerca de US$ 40 bilhões em poucos meses em virtude do pânico trazido pela crise russa. Os grandes especuladores não têm pátria e são insensíveis ao sofrimento social que causam nos países emergentes.

Países inteiros como a Tailândia, Indonésia e Coréia foram devastados por investidores irracionalmente tomados por um espírito de rebanho. Houve um estouro da boiada rumo ao precipício. A saída maciça de dinheiro dessas nações culminou com um grave aumento das falências, do desemprego, da miséria e provocou até mesmo ondas de suicídios.

Os temas de redação da maioria dos vestibulares deverão centrar-se em torno da instabilidade econômica e social que o planeta atravessa. Podemos prever os seguintes temas:

. A fragilidade econômica dos países emergentes;

. A única certeza é a incerteza;

. Convivendo com a dúvida;

. Sobrevivendo às crises;

. Buscando esperanças em meio ao sofrimento;

. Instabilidade psíquico-social;

. A dívida social;

. O desemprego;

. A violência urbana;

. A possível volta de um nacionalismo exacerbado como reação à fuga de dólares;

. O movimento sem-terra e a violência no campo;

. A falência do paradigma de fluxo irrestrito de capitais internacionais;

. Transição econômica;

. Encruzilhada política: opção por um Estado social-democrata enorme, esbanjador, paternalista e ineficiente ou por um Estado liberal-burguês pequeno, econômico, eficiente e ágil;

. Ponto de inflexão global.

Sim, tais temas têm alta probabilidade de cair nas provas de todo o Brasil. Leia tudo o que puder nos jornais e revistas sobre a recessão mundial, a fome no Nordeste, greves, fuga de capitais, etc. Assim você estará familiarizado com os assuntos mais prováveis.

Fique, contudo, preparado: algumas bancas examinadoras seguem uma lógica acadêmica própria e, ao que parece, pouco ligam para o mundo real. Costumam propor temas filosóficos distantes do cotidiano dos candidatos e, por isso mesmo, difíceis de ser desenvolvidos.

Para enfrentar esses temas mais pesados, leia livros básicos de filosofia para o segundo grau e intelectualize-se ao máximo. Não consigo imaginar prazer maior para um vestibulando do que ir bem numa redação quando a concorrência naufraga porque tudo o que faz é assistir a programas de baixo nível na TV.

Fique calmo na hora da redação porque isso permite arejar melhor os pensamentos. É até normal ficar com uma certa raiva da banca examinadora quando esta propõe um tema alucinado, mas canalize essa energia para vingar-se tirando nota dez... :-)