A preocupação com o meio ambiente, com os recursos naturais e a vida no planeta está em um nível bastante elevado. Muito se tem feito a fim de preservar a natureza, mas, mesmo com todas as tentativas, preocupar-se com esses temas é inevitável. Os impactos e as destruições se acumularam e ainda se acumulam ao longo dos anos, fazendo com que a necessidade de engenheiros formados na área de ambiental cresça consideravelmente.

O curso de Engenharia Ambiental forma profissionais aptos a identificar e reduzir impactos ambientais, principalmente àqueles relacionados com grandes obras, que são as que causam maiores danos ao meio ambiente. Além disso, o engenheiro ambiental também é capaz de reflorestar grandes áreas, como aquelas que por algum motivo tiveram o seu desenho original modificado.

Antigamente a preocupação das empresas era somente com os lucros, com o crescimento em um curto espaço de tempo, etc. Isso refletia em um descaso com o ambiente e no uso abusivo de recursos naturais, sejam eles renováveis ou não. Como os efeitos de uma devastação aparecem em um grande espaço de tempo, a preocupação com o meio ambiente ficava em segundo plano, não entrando na lista de prioridades das empresas.

Um tempo depois, por volta do ano de 1970, as pessoas começaram a sentir necessidade de preservar o planeta. Os efeitos que não eram sentidos anteriormente começaram a aparecer e, com isso, surgiu a necessidade de criar um curso que direcionasse a atenção para a preservação do meio ambiente como um todo, além de leis que auxiliassem nesta proteção da natureza. A partir desse período o curso de Engenharia Ambiental foi criado, trazendo novas ideias para reverter os danos causados por anos sem preservação.
O curso de Engenharia Ambiental, como todo curso de exatas, possui matérias que são necessárias para a formação básica do aluno, como cálculos, física, química, etc. Porém, apesar de ter toda a carga horária característica de um curso de engenharia, o curso possui disciplinas que são voltadas para temas atuais e extremamente específicos, que tratam de assuntos como reciclagem, preservação, recuperação de áreas destruídas, desflorestadas, entre outras.

O engenheiro ambiental deve ser capaz de avaliar e reduzir impactos ambientais já existentes ou que venham a existir, reflorestar áreas desmatadas, escrever relatórios que indiquem os tipos de devastação e de impacto no meio ambiente, levantar dados sobre poluição, cuidar para que lixos e materiais tóxicos sejam tratados e obter os certificados de Internatinal Organization for Standardization (ISO) para a empresa em que trabalha ou presta consultoria. A ISO emite certificados de qualidade relacionados com diversos aspectos da empresa. A que mais se relaciona com o engenheiro ambiental é a ISO 14000, que trata de todas as normas de gestão referentes ao ambiente.

A duração do curso de Engenharia Ambiental é de 5 anos e o salário inicial é de aproximadamente 6 salários mínimos, dependendo do ramo específico dentro da engenharia e da região escolhida para trabalhar.

Algumas das Universidades Públicas que disponibilizam o curso de Engenharia Ambiental são:

  • Universidade Federal de Itajubá – UNIFEI
  • Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP
  • Universidade Federal de Viçosa – UFV
  • Universidade de São Paulo – USP
  • Universidade Federal do Paraná – UFPR
  • Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG
  • Universidade Federal da Paraíba – UFPB
  • Universidade Federal de Goiás – UFG
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ
  • Universidade Federal do Mato Grosso do Sul – UFMS
  • Universidade Federal do Ceará – UFC

Essa é apenas uma parcela da grande quantidade de cursos de Engenharia Ambiental encontrados pelo país.  Você pode conferir no site do Ministério da Educação (MEC) a lista de todas as instituições públicas e particulares que oferecem o curso de Engenharia Ambiental.

Confira os cursos de Engenharia Ambiental no site e-MEC do Ministério da Educação.

[Ache os cursos e faculdades ideais para você]