O Sistema de Seleção Unificada (SiSU) é uma forma de entrar em universidades ou faculdades públicas sem precisar fazer o vestibular. Em 2013, 3.801.894 candidatos se inscreveram para concorrer a uma das 129.319 vagas oferecidas em 3.752 cursos de graduação, em 101 instituições de todo o País.


[Ache os cursos e faculdades ideais para você]

A seleção do SiSU é feita exclusivamente com a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e é totalmente informatizado. A cada ano, mais e mais instituições públicas adotam o SiSU como forma de ingresso, seja para uma parte das vagas ou para todas elas, chegando a substituir completamente o vestibular tradicional.

O SiSU e o ENEM

A história do SiSU está ligada ao Enem desde o começo. É que o SiSU foi criado em 2010, após uma grande reformulação que foi feita no Enem: o exame passou de 64 para 180 questões e de 1 para 2 dias de aplicação.
A realização da prova do Enem é obrigatória para todos os candidatos que desejarem entrar em uma universidade pública pelo SiSU. Até mesmo na hora de se inscrever no SiSU, pois o sistema pede como identificação a inscrição do Enem do ano anterior. Ou seja, se não tiver realizado o Exame Nacional do Ensino Médio, o candidato a uma vaga do SiSU não consegue nem fazer a inscrição.

O SiSU também utiliza as mesmas áreas de conhecimento avaliadas no Enem: Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Ciências Humanas e suas Tecnologias; Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias e Redação. No entanto, cada instituição pode atribuir um peso diferente para cada uma das áreas de conhecimento, dependendo do curso. Por exemplo: um curso de Engenharia Mecânica pode dar um peso maior para a nota de Matemática e suas Tecnologias, enquanto um curso de Medicina pode valorizar mais a nota de Ciências da Natureza e suas Tecnologias. O peso exato de cada prova para o curso em que o candidato quer entrar pode ser consultado no site da instituição.

A Seleção do SiSU

A seleção do SiSU acontece de forma totalmente informatizada. Quando o candidato faz a inscrição, usando mesmo número de inscrição do Enem do ano anterior, o sistema já busca as notas do candidato em todas as provas e da redação.

A partir daí, já começam a ser feitos os cálculos para a classificação. No segundo dia de inscrições, já é possível consultar, no site do SiSU, as notas de corte para os cursos que o candidato escolheu (primeira e segunda opção).

A nota de corte do Sisu é calculada uma vez por dia pelo sistema, com base no curso oferecido, o número de vagas disponíveis para o curso, a modalidade de concorrência que o candidato selecionou (vagas de ampla concorrência, vagas reservadas de acordo com a Lei de Cotas e vagas destinadas às demais ações afirmativas da instituição) e a nota do Enem dos candidatos. Ela corresponde à menor nota do Enem que pode ser usada para entrar no curso selecionado.

Essa nota é apenas uma referência, ou seja, não corresponde ao resultado final. No entanto, ajuda o candidato do Sisu a monitorar o andamento de sua inscrição e as chances de entrar em uma universidade ou instituto federal pelo Sisu.

A nota de corte também ajuda o candidato a trocar sua seleção de cursos, caso ache que pode conseguir uma vaga em outra graduação com as notas que possui. Essa troca pode ser feita enquanto durar o período de inscrições. Ao fim do período de inscrições, não é mais possível fazer a troca de opções, nem consultar as notas. O sistema faz o cálculo final e, na data prevista, divulga os resultados.

Em caso de empate no Sisu, o candidato que tiver melhor nota na redação do Enem será selecionado. O segundo critério de desempate é a nota nas provas de Linguagens, Códigos e Suas Tecnologias. O terceiro critério de desempate no Sisu é a nota da prova de Matemática e suas Tecnologias, seguido da nota da prova de Ciências da Natureza e suas Tecnologias e da nota nota da prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias. Caso todas essas notas tenham sido idênticas, o último critério de desempate é a antecedência da inscrição definitiva naquela etapa do Sisu.

O candidato que for pré-selecionado para uma das vagas no curso em que selecionou como primeira opção deve, obrigatoriamente, fazer sua matrícula no prazo determinado. Isso porque, caso não se matricule, a vaga é passada para o próximo candidato classificado e o candidato que não se matriculou é retirado do sistema, não podendo mais concorrer a nenhuma uma vaga no Sisu para aquela edição.

Já os candidatos que forem pré-selecionados para o curso que escolheram como segunda opção, independentemente de fazerem ou não a matrícula, continuam ainda no sistema e seguem na concorrência pela vaga da primeira opção.

As Chamadas do SiSU

O SiSU realiza duas chamadas para convocar os pré-selecionados a fazerem a matrícula na instituição superior onde conseguiram um vaga. As vagas que não forem preenchidas na primeira chamada são remanejadas para uma segunda chamada, que também tem um prazo para os pré-selecionados se matricularem.

No mesmo dia em que o resultado da segunda chamada é divulgado, é aberta Lista de Espera do Sisu. O candidato que ainda não foi convocado e tem interesse em participar da lista de espera precisa entrar no sistema, no prazo determinado, e declarar seu interesse.

A Lista de Espera do SiSU oferece vagas que não foram preenchidas na primeira e na segunda chamada, normalmente porque os pré-selecionados não fizeram a matrícula, ou não apresentaram a documentação necessária. Quem tem o controle dessas vagas são as próprias instituições, que entram em contato com o candidato que se cadastrou na lista de espera pelo telefone e comunica individualmente o período da matrícula.

Normalmente, todo o processo entre as chamadas e matrículas duram poucos dias. Por isso, é fundamental que o candidato já tenha consultado a documentação necessária para a matrícula no site da instituição e tenha o material em mãos para garantir sua vaga.

Saiba mais em: SiSU