Quantas pessoas você conhece estão revendo os hábitos alimentares, deixando de lado a comida industrializada e cuidando melhor da própria saúde? Quantas estão tentando perder peso ou entrar em forma? Provavelmente muitas, não é? Esse é um movimento que se popularizou nos últimos anos e deve permanecer em alta por bastante tempo.

Essa busca por um estilo de vida saudável tem rendido boas oportunidades para os nutricionistas, que estão vendo seu mercado se ampliar cada vez mais. As pessoas estão atrás de uma alimentação mais saudável, rica em nutrientes, com menos sal e açúcar, e que seja adequada ao estilo de vida atual.

Além disso, os nutricionistas podem ajudar a controlar doenças crônicas (como diabetes, por exemplo), acompanhar dietas, fazer avaliações nutricionais, supervisionar a produção de refeições e atuar na indústria alimentícia.

Com tanto mercado, os cursos de Nutrição se multiplicaram no Brasil e no meio de tantas opções é importante encontrar uma mensalidade que caiba no seu bolso.

Para ajudar nessa busca, fomos atrás dos valores cobrados nas principais instituições de todo o Brasil e trouxemos para você. Confira quanto custa estudar Nutrição em diferentes instituições pelo País afora!


Mensalidade de Nutrição

As mensalidades do curso de Nutrição começam em pouco mais de R$ 500 e podem chegar a R$ 2.000 – uma diferença de 400%.

Os motivos de tanta variação são muitos: a cidade onde a graduação é oferecida, o turno, a modalidade e até mesmo a credibilidade da instituição de ensino junto ao público.

Aqui vamos separar alguns cursos por faixas de preços. Confira:

Mensalidades até R$ 600

• Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC)
• Universidade Nove de Julho (UNINOVE)
• Faculdade de Foz do Iguaçu (FAFIG)
• Faculdade Literatus (UNICEL)
• Faculdade Metropolitana de Manaus (FAMETRO)
• Faculdades Integradas de Três Lagoas (AEMS)
• Faculdade de Saúde, Ciências Humanas e Tecnológicas do Piauí (NOVAFAPI)

Mensalidades de R$ 600 a  R$ 1.000

Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA)
Universidade de Franca (UNIFRAN)
Universidade Estácio de Sá (UNESA) 
• Faculdade São Salvador (FSS)
• Universidade Leonardo da Vinci (UNIASSELVI)
• Centro Universitário Planalto do Distrito Federal (UNIPLAN)
• Centro Universitário do Norte (UNINORTE)

Mensalidades de R$ 1.000 a R$ 1.200

• Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)
• Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)
• Centro Universitário Jorge Amado (UNIJORGE)
• Universidade Anhembi Morumbi (UAM)
• Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL)

Mensalidades de R$ 1.200 a R$ 1.500

Faculdade Unime (UNIME) - na Bahia
Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS) - em Minas Gerais
• Centro Universitário do Estado do Pará (CESUPA)
• Universidade Católica de Brasília (UCB)
• Universidade Presbiteriana Mackenzie (MACKENZIE)
• Universidade da Amazônia (UNAMA)
• Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI)
• Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP)

Mensalidades acima de R$ 1.500

• Instituto Superior de Teologia Aplicada (INTA)
• Universidade de Caxias do Sul (UCS)
• Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas)
• Universidade de Cuiabá (UNIC)
• Universidade de Mogi das Cruzes (UMC)
• Faculdade de Ciências Agrárias e da Saúde (FAS)
• Universidade São Judas Tadeu (USJT)

Custos extras para quem vai estudar Nutrição

Fique ligado: não basta apenas incluir o valor da mensalidade em seu planejamento financeiro. Para estudar Nutrição você terá que encarar gastos mensais que podem ser mais altos do que você havia imaginado inicialmente.

Por isso, listamos algumas despesas possíveis que você pode ter durante a graduação. Anote e inclua nas suas contas.

Transporte – considerando que você terá que ir de casa ou do trabalho para a faculdade e da faculdade para casa, isso vai ter algum impacto nas suas despesas mensais. Analise quantos ônibus são necessários, se dá para ir a pé, se precisa integrar com algum outro transporte (metrô, por exemplo). Quem não utiliza transporte público tem que fazer a conta da distância, o gasto com combustível, estacionamento, seguro, etc.

Alimentação – quem tiver de ir do trabalho para a faculdade precisa parar para comer algo na rua todos os dias. Embora não pareça, essas pequenas despesas com lanches podem representar um gasto elevado no final do mês. Confira os preços das lanchonetes ao redor e inclua um valor por dia no seu orçamento.

Moradia – se você tiver que mudar de cidade para estudar Nutrição, inclua os custos com aluguel, água, luz, internet, IPTU, móveis e utensílios (se for preciso).

Material didático – confira junto à faculdade que tipo de material didático você vai precisar adquirir ao longo dos semestres.

Alternativas para economizar no curso de Nutrição

A boa notícia é que o custo com o curso de Nutrição pode ser minimizado com a ajuda dos programas de incentivo à formação superior do Governo Federal.

Conheça os principais:

Programa Universidade para Todos (ProUni): concede bolsas de estudos parciais e integrais a alunos de baixa renda. Para participar, é preciso ter feito o Enem mais recente e obtido, no mínimo, 450 pontos nas provas e nota acima de zero na redação. O Programa é direcionado a quem tem renda familiar de até 3 salários mínimos.

Fundo de Financiamento Estudantil (FIES): o FIES é um crédito estudantil direcionado a estudantes que não têm condições de arcar com os custos da faculdade. O aluno só começa a quitar a dívida depois da formatura, com juros baixos e prazo longo. O limite de renda pode variar a cada processo seletivo do programa.


Veja também:
Curso de Nutrição


Está pensando em fazer nutrição? Em qual faculdade? Conte para a gente nos comentários!