O Fundo de Financiamento Estudantil, mais conhecido como FIES, é um programa criado pelo governo federal para ajudar estudantes brasileiros a pagar a faculdade particular. 

É um “empréstimo” a juros mais baixos do que os praticados no mercado e o estudante só começa a pagar a dívida depois de formado.

Em resumo, o FIES funciona assim:
1) O estudante que preencher os critérios de participação e renda se inscreve no processo seletivo do programa pela internet.
2) Caso seja selecionado, terá um prazo para se cadastrar, comprovar documentos e assinar o contrato de financiamento no banco.
3) Enquanto durar a faculdade, o aluno só precisa pagar o valor correspondente aos juros do empréstimo, em parcelas trimestrais.
4) Após a formatura, o beneficiário do FIES começa a pagar a dívida, que pode ser dividida em muitas parcelas e ser paga em vários anos, dependendo da duração do curso financiado.

Desde sua criação do programa, o FIES já passou por diversas mudanças.

A seguir, veja quem pode participar do FIES, que tipo de curso pode ser financiado e como funciona o financiamento do FIES!

Quem pode participar do FIES?

Antes de tentar um financiamento do FIES, você precisa verificar se cumpre os requisitos do programa.
Pode participar do FIES quem fez o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), com desempenho de pelo menos 450 pontos de média nas provas e nota maior do que zero na redação. Vale apresentar a nota de qualquer edição do Enem a partir de 2010.

O FIES também tem requisito de renda, mas esse pode variar de acordo com a edição do processo seletivo e até em uma mesma edição. Calma, a gente explica melhor! É que as regras do FIES vêm mudando nos últimos anos e o Ministério da Educação (MEC) já anunciou novas regras. Por isso, quem concorrer ao FIES até 2017 precisa apresentar renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa. Quem quiser participar do FIES a partir de 2018 poderá apresentar três ou cinco salários mínimos por pessoa, dependendo da modalidade do financiamento.

Todos os cursos de faculdade particular têm FIES?

O financiamento do FIES só vale para instituições cadastradas e nem todos os cursos superiores de faculdades privadas participam do programa. Para participar do FIES, o curso precisa:
  • Ser de nível superior: bacharelado, licenciatura ou tecnológico.
  • Ser presencial: no momento, o FIES ainda não liberou financiamento para cursos a distância (EAD)
  • Ter avaliação positiva do MEC: nota 3, pelo menos, no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES).
  • Atender às exigências do FIES.

Confira algumas faculdades reconhecidas pelo MEC que participam do FIES:

Como funciona o FIES?

Apesar de ser um programa de financiamento, o aluno que consegue o FIES não recebe o valor da mensalidade em sua conta bancária para depois pagar a faculdade. Depois de assinar o contrato de financiamento em um dos bancos autorizados pelo FIES, o percentual financiado de cada mensalidade é pago diretamente para a instituição.

O aluno só começa a quitar a dívida depois de se formar.

Vale a pena pedir o FIES?

Será que vale a pena pedir o financiamento do FIES? Vou conseguir pagar a dívida depois? Essas são algumas dúvidas frequentes dos estudantes e a resposta depende de fatores muito pessoais.

As duas maiores vantagens do FIES são:

  • Os juros são baixos mais baixos do que os praticados no mercado.
  • A dívida só começa a ser paga depois de formado.

No portal oficial do FIES você vai encontrar todas as regras referentes à edição do FIES que você pretende fazer. 

Veja também:
Quantos pontos preciso tirar no Enem pra conseguir o FIES


E você? Ficou interessado em pedir o FIES? Tem alguma dúvida? Conte para a gente aqui nos comentários!