O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) acontece duas vezes por ano e usa a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para preencher vagas em instituições públicas de ensino superior. Uma parte delas é reservada a cotistas.

Em 2017, o Sisu tem duas edições: a primeira acontece em janeiro, logo após a divulgação dos resultados do Enem, e a segunda deve ocorrer em junho ou julho.

Se você pretende usar sua nota do Enem 2016 para disputar uma vaga em universidade pública pelo Sisu, veja como vão funcionar as cotas e descubra se você se encaixa nos critérios de cotista!

Quem pode fazer o Sisu 2017?

Pode se inscrever no Sisu 2017 – do começo e do meio do ano – quem fez o Enem 2016 e não zerou na redação.

O Sisu 2017 vai ter cotas?

Sim. Tanto na edição do primeiro semestre quanto na do meio do ano, o Sisu 2017 vai reservar uma parte das vagas para cotas.

Como funciona a concorrência por cotas?

O Sisu 2017 funciona assim:
1. No período determinado pelo Ministério da Educação (MEC), os interessados se inscrevem no site do Sisu, usando seu número de inscrição e senha do Enem 2016.
2. O participante deve escolher duas opções entre as vagas disponíveis, marcando a universidade, campus, curso, turno e modalidade de concorrência (cotas ou não).
3. O sistema é automatizado e recupera a pontuação do Enem. Em seguida, vai preenchendo as vagas com os candidatos que tiveram a maior pontuação. A concorrência acontece entre os participantes que escolheram as mesmas opções de universidade, campus, curso, turno e modalidade de concorrência. Ou seja, quem se inscreve para disputar determinada vaga destinada a estudantes de baixa renda, por exemplo, só vai concorrer com quem fez exatamente a mesma opção.

Quais são os tipos de cota do Sisu 2017?

Podemos classificar as cotas do Sisu 2017 em dois grupos:
• Lei de Cotas
• Ações afirmativas

A Lei de Cotas, criada em 2012, determina que todas as instituições federais participantes do Sisu reservem pelo menos 37,5% de suas vagas para estudantes que fizeram o ensino médio em escola pública. Destas, metade vai para quem tem renda familiar bruta mensal de até um salário mínimo e meio.

A legislação também prevê reserva de vagas para estudantes autodeclarados pretos, pardos e indígenas. Nesse caso, a quantidade é determinada pelo percentual de pretos, pardos e indígenas naquele estado, de acordo com o último censo do IBGE.

As universidades podem, a seu critério, aumentar o percentual de vagas destinadas à Lei de Cotas, chegando a até 50%.

Além disso, as instituições podem oferecer vagas específicas para candidatos que se encaixem em outras condições, como pessoas com deficiência e quilombolas, por exemplo.

Enquanto as inscrições para o Sisu estiverem abertas, os participantes podem consultar todas as vagas disponíveis para cotas. Ao buscar um curso ou universidade, a quantidade aparece na coluna “Modalidade de Concorrência”.

Todos os critérios e documentação necessária para comprovar a condição de cotista (caso seja exigida), aparecem no sistema de inscrições do Sisu.

Não me encaixo nos critérios para concorrer por cotas. O que fazer?

Se após verificar os requisitos para concorrer às cotas do Sisu você chegar à conclusão de que não se encaixa nos critérios exigidos, não desanime. Não é por isso que você vai desistir do seu sonho. Conheça algumas opções:

Ampla concorrência
Engana-se quem pensa que é muito mais fácil entrar no Sisu por cotas. A disputa é acirrada nas duas modalidades e a diferença entre as notas de corte não tem chegado a 5% nas edições mais recentes. Acontece, inclusive, de a nota de corte por cotas ser maior do que a da ampla concorrência em alguns casos.

O Sistema do Sisu divulga as notas de corte parciais diariamente. Fique de olho nessa informação e procure opções de curso que atendam às suas expectativas e exijam uma nota que você consegue alcançar com seu desempenho no Enem.

Mesmo que se encaixe nos requisitos para concorrer por cotas, você pode optar pela ampla concorrência. Participar das cotas não é obrigatório!


ProUni
O Programa Universidade para Todos distribui bolsas de estudos em faculdades privadas bem avaliadas pelo MEC. O benefício pode ser de 50% ou 100%, dependendo da renda do participante.

Para participar, é obrigatório ter feito o Enem mais recente, com desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação. A renda familiar bruta mensal não pode ultrapassar três salários mínimos e o candidato deve ter feito todo o ensino médio em escola pública (ou como bolsista integral em escola particular).

O ProUni também acontece duas vezes por ano, logo após a divulgação dos resultados do Sisu, e tem vagas para cotistas. Consulte as condições e vagas oferecidas quando abrirem as inscrições.

Bolsas das faculdades
Muitas faculdades particulares oferecem bolsas de estudos e condições especiais para determinados candidatos. A mais comum é a bolsa por mérito, em que os primeiros colocados no vestibular ganham um super desconto.

Ingresso direto
Se o seu problema é encarar mais uma prova, saiba que várias delas aceitam o Enem como forma de ingresso. Verifique os critérios no edital do processo seletivo junto à instituição onde você pretende estudar.

Conheça algumas faculdades reconhecidas pelo MEC que participam do ProUni, oferecem vagas em diversos programas de bolsas e aceitam o Enem como forma de ingresso:

Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA) 
Centro Universitário do Distrito Federal (UDF) 
Centro Universitário UNISEB (UNISEB-Estácio)
Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS) – em Minas Gerais 
Faculdade Unime (UNIME) – na Bahia 
Universidade Cidade de São Paulo (UNICID) 
Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL) 
Universidade de Franca (UNIFRAN) 
Universidade Estácio de Sá (UNESA) 
Universidade Norte do Paraná (UNOPAR) 

Veja também:
Como entrar no Sisu com a nota do Enem 

Vai se inscrever no Sisu 2017 pelo sistema de cotas? Conte para a gente nos comentários!