Uma das maiores ansiedades de qualquer pessoa que faz o Enem é saber logo qual foi a pontuação obtida em cada uma das provas.

Mas até chegar esse momento é preciso ter paciência. Os resultados só são divulgados dois meses depois da realização das provas – o que para muita gente é um tempo interminável!

Dependendo da pontuação no Enem, o candidato pode conseguir vaga em universidades públicas, bolsa de estudos, financiamento estudantil a juros baixos ou ingressar direto, sem ter que fazer um novo vestibular, em centenas de faculdades privadas por todo o país.

Se a palavra “pontuação” não sai da sua cabeça, venha com a gente: vamos explicar como é calculada a nota do Enem, como e quando você vai poder acessar seu boletim de desempenho com a nota em cada uma das provas e como usá-lo para conseguir vaga no ensino superior. Confira!


A pontuação do Enem

O Enem tem o modelo de pontuação mais louco que você já viu – tanto que é impossível calcular a nota só com base nos gabaritos!

Duas características do Enem tornam o cálculo especialmente complicado:

1. O valor de cada questão pode variar de acordo com o nível de dificuldade e o desempenho dos outros candidatos.
2. O sistema faz uma análise da coerência de cada participante – avalia o desempenho de cada um de acordo com seu nível de conhecimento e identifica os famosos “chutes”. Por causa disso, duas pessoas podem acertar o mesmo número de questões na mesma prova e obter notas diferentes.

O modelo de correção do Enem, chamado de Teoria de Resposta ao Item (TRI), é utilizado no mundo todo para exames de grande porte. Ele ajuda a medir, de forma mais aproximada possível, o quanto cada pessoa conhece do assunto em questão – no caso do Enem, os conteúdos do ensino médio. A cada edição, estipula-se uma escala de conhecimento, com valores mínimos e máximos. O objetivo é manter o mesmo nível de dificuldade do Exame, ano a ano.


Já a pontuação da redação é mais simples. Ela é analisada por dois avaliadores diferentes e a nota pode ir de zero a 1.000.


Como saber sua pontuação do Enem

Você só vai descobrir quantos pontos fez em cada prova do Enem depois que o MEC permitir acesso ao boletim de desempenho individual.

Isso acontece normalmente em meados do mês de janeiro – cerca de dois meses depois da aplicação do Exame.

O boletim traz a pontuação do candidato nas cinco provas que compõem o Enem:

• Ciências da Natureza e suas Tecnologias
• Ciências Humanas e suas Tecnologias
• Linguagens, Códigos e suas Tecnologias
• Matemática e suas Tecnologias
• Redação

Caso o participante tenha zerado na redação, o boletim também aponta o motivo: uso de palavras de baixo calão, não ter atendido ao formato solicitado, ter anulado a prova de propósito, etc.


Como acessar sua pontuação do Enem

Para ter acesso ao boletim de desempenho com sua pontuação no Enem basta:
• Acessar a página do participante do Enem.
• Informar seu número de CPF.
• Digitar sua senha (se esqueceu, o sistema permite recuperá-la de maneira fácil, não se preocupe).

Lembrando que o documento só fica disponível depois que o MEC divulga os resultados do Enem. Depois disso, o candidato pode acessar o boletim sempre que precisar – mesmo anos depois!

Os “treineiros”, aqueles que fazem o Enem quando ainda estão nos primeiros anos do ensino médio só para praticar, só vão poder ver como se saíram 60 dias depois dessa primeira divulgação oficial.

Diferentemente dos vestibulares tradicionais, o Enem não publica um listão com o nome e o desempenho de todos os participantes. A consulta é individualizada.

É possível usar o desempenho no Enem para participar de diversos processos seletivos.

Vamos conhecer alguns deles a seguir!


Como usar sua pontuação do Enem

Uma boa pontuação no Enem garante acesso a cursos superiores em universidades públicas e privadas de todo o País. Como a concorrência está cada vez mais feroz, é preciso investir pesado nos estudos se quiser se dar bem em um dos tantos processos seletivos que usam a nota do Exame como critério de classificação.

Veja onde você pode usar sua pontuação no Enem:

Sisu: Por meio do Sistema de Seleção Unificada o candidato pode disputar vagas em universidades públicas de todo o país – inclusive em cursos mais procurados, como Medicina, Engenharia e Direito.     Para participar é preciso ter feito o Enem mais recente e não ter zerado na redação. Como a concorrência no Sisu é altíssima, uma bela pontuação pode fazer uma diferença e tanto.

ProUni: O Programa Universidade para Todos concede bolsas de estudos integrais e parciais em universidades particulares bem avaliadas pelo MEC. Para participar é preciso ter pelo menos 450 na média das provas e nota acima de zero na redação do Enem mais recente. O candidato também precisa se encaixar em critérios de escolaridade e ter determinado perfil socioeconômico, já que o programa é destinado a pessoas de baixa renda.

FIES: Quem busca financiar os estudos a juros baixos e prazo longo encontra uma boa alternativa no Fundo de Financiamento Estudantil do Governo Federal. O benefício é concedido por meio de processo seletivo. Quanto maior a pontuação no Enem, maiores as chances de passar. Pode participar do FIES quem apresentar pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação do Enem. Vale qualquer edição a partir de 2010. Assim como o ProUni, o FIES também tem alguns requisitos de renda.

• Bônus no vestibular: A pontuação obtida no Enem pode ser usada para dar um reforço na nota obtida no vestibular de algumas instituições públicas. Funciona como um bônus no cálculo da nota final – e isso pode ser a diferença entre conseguir ou não a vaga desejada. Cada universidade tem seu próprio modelo de bonificação, por isso é importante consultar o edital do concurso para conhecer os critérios.

Ingresso direto: Esse sistema, cada vez mais comum entre as universidades privadas brasileiras, permite que o aluno ingresse direto no curso desejado, sem ter que fazer vestibular. Para isso, basta apresentar o boletim de desempenho individual e, caso tenha a pontuação mínima necessária para passar, fazer a matrícula. É rápido, fácil e sem burocracia.

Faculdades que aceitam a pontuação do Enem

Se você está focado em conseguir vaga em uma universidade pública, poderá usar sua pontuação no Enem para disputar espaço em uma das mais de 130 instituições participantes do Sisu.

Se prefere estudar nas particulares, o universo de opções é infinitamente maior – especialmente se somarmos todas as vagas do ProUni, do FIES e do ingresso direto.

A seguir selecionamos algumas instituições bem avaliadas pelo MEC onde você pode estudar por meio do ProUni, do FIES ou entrar por ingresso direto:

Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA)
Universidade Estácio de Sá (UNESA)
Centro Universitário UNISEB (UNISEB-Estácio)
Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL) 
Universidade Cidade de São Paulo (UNICID) 
Universidade de Franca (UNIFRAN) 
Universidade Norte do Paraná (UNOPAR) 
Centro Universitário do Distrito Federal (UDF)
Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS) – em Minas Gerais 
Faculdade Unime (UNIME) – na Bahia

Veja também:
Para que serve o Enem?


Deu para entender como é e para que serve a pontuação do Enem? Compartilhe suas dúvidas com a gente nos comentários!