Já está com tudo em dia para participar do maior programa de financiamento estudantil do Brasil?

Se não estiver, é bom começar a se preparar. Em 2018, o FIES terá duas edições que, juntas, irão distribuir mais de 300 mil financiamentos em faculdades particulares de todo o país.

A jornada para conseguir o benefício não é tão simples quanto parece. O candidato terá que atender aos critérios de participação, encarar um concorrido processo seletivo e, caso seja pré-aprovado, ainda seguir à risca toda a burocracia exigida para contratar o financiamento.

Para aumentar o desafio, o Ministério da Educação (MEC) fez grandes mudanças estruturais no programa. As alterações devem ser colocadas em prática já no primeiro semestre de 2018.

Para se dar bem é preciso ficar de antena ligada em todos os prazos e procedimentos. E para dar aquela forcinha nessa preparação a gente foi atrás de tudo o que você tem que saber sobre o FIES 2018 – desde as inscrições até a escolha das melhores faculdades.

Vamos lá?

Quando vai começar o FIES 2018

O FIES deve ter duas edições em 2018, uma no primeiro e outra no segundo semestre.

Confira os períodos em que cada etapa deve acontecer:

Inscrições – Na edição do primeiro semestre, as inscrições devem abrir nas primeiras semanas de fevereiro, assim que sair o resultado do ProUni (processo seletivo que concede bolsas de estudos em faculdades particulares). No segundo, as inscrições devem acontecer entre o final de julho e o início de agosto. Tudo é feito gratuitamente pela internet, no site oficial do FIES Seleção. As inscrições são exclusivas para os candidatos que preenchem os requisitos estabelecidos pelo MEC (vamos explicar quais são mais adiante). Os interessados devem ficar atentos. Quem perder o prazo vai ter que esperar até o semestre seguinte para participar.

Processo seletivo – As inscrições do FIES abrem numa terça-feira pela manhã e se encerram às 23h59 da sexta-feira da mesma semana. Durante esse período, os candidatos poderão escolher uma entre as milhares de vagas disponíveis. O processo é totalmente automatizado e o critério de classificação é a nota do Enem: quanto mais alta, maiores as chances de conquistar uma vaga. Conforme o processo seletivo avança, os candidatos podem mudar de curso ou de faculdade de acordo com a nota de corte parcial, que é divulgada diariamente e pode mudar ao longo do período de inscrições. A nota de corte é a pontuação mínima necessária para obter a vaga desejada.

Divulgação dos resultados – A lista com os nomes dos aprovados no FIES 2018 deve ser divulgada na segunda-feira seguinte ao encerramento das inscrições. A partir desse momento, os pré-aprovados terão um prazo para dar prosseguimento à segunda etapa do processo.

Segunda etapa do processo – A segunda etapa consiste basicamente em preencher o cadastro no SisFIES, sistema que exigirá informações mais detalhadas. Depois disso, o pré-aprovado terá que comparecer à faculdade onde obteve a vaga para validar as informações junto à Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA). Por fim, terá que se dirigir até uma agência bancária para assinar o contrato.

Chamada de candidatos em lista de espera –
Até meados de março, no primeiro semestre, ou até o final de agosto, no segundo, os participantes em lista de espera podem ser convocados a ocupar uma vaga no FIES. Isso acontece quando os candidatos pré-aprovados não preenchem os requisitos para obter o financiamento, perdem os prazos ou simplesmente abrem mão do benefício. É preciso ficar ligado no site oficial para não perder a oportunidade.


As mudanças no FIES 2018

Em julho de 2017 o FIES mudou novamente. Agora está mais complexo, dividido em categorias, cheio de novidades.

As mudanças passam a valer já na primeira edição de 2018.

Vamos ver o que está diferente:

• A renda familiar bruta mensal para participar do programa está mais alta: passou de três para cinco salários mínimos por pessoa.
• O MEC pôs fim ao limite de valor das mensalidades, que antes era de R$ 5 mil. Agora quem pensa em financiar a faculdade de Medicina ou outros cursos mais caros já pode comemorar.
• O programa passa a priorizar moradores de regiões mais carentes.
• Alguns candidatos poderão contratar o financiamento a juro zero. Você não leu errado não: é juro zero mesmo!

E não para por aí.

Agora o FIES tem três categorias de financiamento. Entenda as características de cada uma delas:

  • FIES 1 – Essa modalidade é destinada aos candidatos que comprovem renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa. A grande vantagem é que o benefício será concedido a juro zero! Cerca de um terço de todos os 300 mil financiamentos do FIES em 2018 serão reservados a esta categoria.
  • FIES 2 – Vai beneficiar os moradores das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste – justamente onde está o maior déficit de educação superior do Brasil. A outra novidade aqui são os juros mais baixos do que os que eram praticados até 2017: ficarão na casa dos 3%. A renda familiar bruta mensal para participar dessa categoria é de até cinco salários mínimos por pessoa.
  • FIES 3 – Essa categoria ainda não está totalmente definida. A expectativa é que o governo cobre uma taxa de juros na faixa de 6,5% aos candidatos que comprovarem renda familiar bruta mensal de até cinco salários mínimos por pessoa.

Quem poderá pedir o FIES em 2018

Até agora os critérios de participação do FIES não mudaram – com exceção de um único detalhe.

Vão poder entrar na disputa os candidatos que:

• Tiverem feito qualquer edição do Enem a partir de 2010, com desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação;
• Apresentarem renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa para disputar o FIES 1 ou de até cinco salários mínimos por pessoa para tentar o FIES 2 ou 3 (essa é a única mudança exigida para os candidatos);
• Não tenham obtido o FIES antes; e
• Não estejam inadimplente com o Programa de Crédito Educativo (PCE/CREDUC).

Faculdades onde você pode usar o FIES 2018

Além de todos os benefícios de um financiamento estudantil a juros baixos, o FIES tem uma garantia e tanto: de que a instituição escolhida é bem vista no mercado de trabalho.

A razão disso está em um dos critérios para conceder o financiamento, que exige que a faculdade participante seja bem avaliada dentro dos rigorosos critérios do MEC.

Sabe o que isso quer dizer? Basicamente que, com o FIES, você estará fazendo um bom investimento no futuro, com a garantia de que vai sair da faculdade com o conhecimento necessário para exercer a profissão.

Quando o processo seletivo abrir, você vai se deparar com uma lista gigantesca de instituições. Para não se perder em meio a tanta informação, confira a lista que a gente separou, com boas faculdades que participam sempre do FIES e que provavelmente estarão presentes em 2018:

Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA) 
Universidade Estácio de Sá (UNESA) 
Centro Universitário UNISEB (UNISEB-Estácio)
Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL) 
Universidade Cidade de São Paulo (UNICID)
Universidade de Franca (UNIFRAN) 
Universidade Norte do Paraná (UNOPAR)
Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS) – em Minas Gerais 
Faculdade Unime (UNIME) – na Bahia

Veja também:
10 dicas para quem vai pedir o FIES

O que achou das mudanças para o FIES 2018? Conte para a gente aqui nos comentários!