Muita gente busca um financiamento estudantil do FIES para realizar o sonho de cursar uma boa faculdade. A iniciativa, capitaneada pelo governo federal, tem o objetivo de ampliar o acesso da população de baixa renda ao ensino superior. Mas será que o programa também abre portas para quem está com o nome no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito)?

Uma pesquisa recente do próprio SPC revela que hoje mais de 60 milhões de brasileiros estão com o nome sujo na praça. É algo que pode acontecer com qualquer um de nós.

Para boa parte desse público, fazer um curso superior seria uma saída interessante para mudar de vida, ganhar um salário melhor, e, finalmente, saldar todas as dívidas pendentes.

Nessa situação o FIES viria bem a calhar, concorda? Com financiamento a juros baixos e prazo de pagamento a perder de vista, é uma oportunidade e tanto de cursar uma boa faculdade e começar a construir um futuro profissional.

Só resta agora responder à primeira pergunta feita lá em cima: quem está com o nome no SPC pode fazer o FIES?

Descubra a seguir!


Quem pode pedir o FIES

O FIES é um processo seletivo e abre inscrições duas vezes por ano, sempre no início de cada semestre.

Podem participar todos os candidatos que preencham os seguintes requisitos:

• Tenham feito o Enem, com desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação. Vale qualquer edição do exame a partir de 2010.
• Tenham renda familiar bruta mensal de até cinco salários mínimos por pessoa.
• Nunca tenham utilizado o FIES anteriormente

O FIES oferece financiamento a juros baixos e prazo longo para quitação da dívida.

É possível utilizar o benefício em cursos de diferentes áreas do conhecimento – de Engenharia a Artes, Medicina, Direito e Odontologia. O programa só financia graduações na modalidade presencial.

Quem está com nome no SPC pode participar do FIES?

Aqui temos uma boa notícia: sim, quem está com o nome no SPC pode participar do FIES normalmente.

O Ministério da Educação (MEC) liberou a participação no FIES para as pessoas com nome no SPC por entender que elas estão entre as que mais precisam do financiamento.

Mas embora a participação seja liberada, é preciso muita atenção às restrições.

Quem está com o nome sujo só pode entrar na disputa por um FIES se atender a uma das seguintes condições:

• Estiver solicitando o financiamento em algum curso de licenciatura.
• Comprovar renda familiar bruta mensal de até um salário mínimo e meio por pessoa.
• Já for bolsista parcial do ProUni e estiver solicitando o FIES para financiar a outra parte do mesmo curso onde tem bolsa.

O candidato que estiver com o nome no SPC fará o processo seletivo normalmente, junto com os outros participantes.

Caso seja pré-aprovado, terá que dar prosseguimento a uma série de burocracias que envolvem novos cadastros e comprovações de informações. Só na última etapa, de assinatura do contrato no banco, o candidato terá que lidar com a questão do nome sujo.

É que o FIES exige que os candidatos apresentem um fiador – uma garantia de que a dívida será quitada no futuro. Para os participantes sem restrição de crédito (com o nome limpo) existem duas opções: o fiador comum ou a fiança solidária, que é um grupo de fiadores.

Para que está com nome no SPC (com o nome sujo) a dinâmica é diferente. Só existe uma opção de fiança, chamada Fundo de Garantia de Operações de Crédito Educativo (FGEDUC) ou Fundo Garantidor.

Para obter o FIES com ajuda do Fundo Garantidor é preciso que a faculdade tenha aderido a essa modalidade – uma espécie de “risco compartilhado” entre as instituições de ensino e o banco.

Por isso, antes de participar do FIES, é fundamental se informar a esse respeito!

O FIES é totalmente vetado àqueles que estão em débito com o Programa de Crédito Educativo (PCE/CREDUC) do Governo Federal. Nesse caso não há colher de chá.

Como entrar na faculdade sem se preocupar com o nome no SPC?

Existem algumas maneiras de entrar na faculdade sem se preocupar com nome no SPC.

Todas elas requerem, no entanto, muita dedicação aos estudos e um desempenho excepcional nas provas, sejam do Enem ou do vestibular tradicional.

Veja as alternativas:

• Tentar uma bolsa no ProUni – As bolsas do Programa Universidade para Todos são concedidas a estudantes de baixa renda que atendam aos critérios de seleção determinados pelo MEC (renda máxima, escolaridade, etc.). Aqui não importa se você tem o nome sujo ou não. O Governo é quem vai bancar integralmente ou parcialmente sua faculdade – e você não vai precisar pagar nem um centavo de volta. A dificuldade está mesmo em conseguir o benefício. O processo seletivo é super concorrido e exige uma bela pontuação no Enem mais recente (a mínima exigida é de 450 pontos na média das provas, sem ter zerado na redação). O ProUni acontece duas vezes por ano.
• Tentar vaga em uma universidade pública – Existem duas formas de entrar numa universidade pública: por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) ou por vestibular tradicional. Aqui a gente nem precisa dizer: para conseguir vaga é preciso estudar muito e fazer bonito nas provas. O bom é que aqueles que conseguirem passar poderão fazer um curso superior totalmente de graça. Não é o nome sujo que irá impedir ninguém de seguir esse sonho!
• Tentar outras bolsas em faculdades particulares – Em muitas faculdades privadas existem programas de bolsas parciais e integrais que são concedidas a estudantes com bom desempenho acadêmico ou que ficam entre os primeiros colocados no vestibular. Informe-se sobre essas possibilidades no local onde você gostaria de estudar.

 

O que há de novo no FIES?

Talvez você ainda não tenha se ligado, mas no segundo semestre de 2017 o governo federal anunciou grandes mudanças no FIES, com implementação a partir do primeiro semestre de 2018.

Essas alterações têm a ver com o alcance do programa e o direcionamento do benefício às pessoas e regiões mais necessitadas.

Ainda não sabemos se o governo vai mexer na questão dos estudantes com nome sujo, mas é provável que tudo permaneça como está. Caso surja alguma alteração, informaremos por aqui!

Entenda o que mudou no FIES:

• O programa passa a aceitar candidatos que tenham renda familiar mensal bruta mensal de até cinco salários mínimos por pessoa. Antes só podia participar quem tinha renda familiar de até três salários mínimos por pessoa.
• A partir de agora, uma boa parte dos financiamentos será oferecida a juro zero! O benefício estará disponível para os candidatos com renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa.
• Os moradores das regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste, que são as que têm mais carência de formação de nível superior, poderão obter o financiamento com juros de, no máximo, 3% - pouco menos da metade do que era cobrado no modelo anterior. Para isso é preciso comprovar renda familiar bruta mensal de até cinco salários mínimos por pessoa.
• Haverá ainda uma terceira modalidade de financiamento, cujas regras ainda não foram definidas.
• O programa deixa de ter valor máximo para as mensalidades que podem ser financiadas.

Onde fazer um curso com financiamento do FIES

Centenas de faculdades particulares de todo o Brasil já aderiram ao FIES. Tanto que ao se inscrever na seleção os candidatos acabam perdidos no mar de opções!

De qualquer forma, não tem com o que se preocupar. No FIES só podem entrar instituições e cursos que são bem avaliados segundo os rígidos critérios do Ministério da Educação (MEC).

Ou seja: não há risco de você financiar um curso ruim e jogar seu investimento fora!

Conheça a seguir algumas instituições que você pode levar em conta na hora da escolha:

Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA)
Universidade Estácio de Sá (UNESA) 
Centro Universitário UNISEB (UNISEB-Estácio)
Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL) 
Universidade Cidade de São Paulo (UNICID) 
Universidade de Franca (UNIFRAN) 
Universidade Norte do Paraná (UNOPAR) 
Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS) – em Minas Gerais 
Faculdade Unime (UNIME) – na Bahia 


Veja também:
Quantos pontos preciso tirar no Enem pra conseguir o FIES?


Vai tentar o FIES? Conte para a gente quais são suas expectativas em relação à próxima edição do programa!