Você já ouviu o termo “aditamento” antes? É uma palavrinha estranha, mas bem conhecida do pessoal que já usa o FIES há algum tempo para financiar a faculdade.

O termo se refere à renovação semestral dos contratos de financiamento – uma operação que deve ser feita periodicamente a fim de manter o benefício em ordem.

O procedimento é super simples, mas extremamente importante. Quem se descuidar do aditamento pode até perder o FIES! Um pesadelo que não pode de modo algum virar realidade, concorda?

Se você é novato no FIES ou vai tentar um financiamento nas próximas edições, dê uma olhada no que é o aditamento e garanta a permanência no programa. E não se preocupe em pesquisar muito por aí: a gente trouxe tudo bem mastigado para você. Veja a seguir!


O que é o aditamento do FIES e como fazê-lo

Todo semestre o estudante que tem FIES precisa renovar o financiamento, obrigatoriamente.

O objetivo do aditamento é basicamente dizer ao Ministério da Educação (MEC) que está tudo em ordem com os estudos e com o financiamento.

O processo é feito inteiramente pela internet, por meio de um sistema chamado SisFIES – quem já usa o FIES conhece bem o site. Para quem ainda vai tentar o financiamento, trata-se de uma plataforma que cuida de todos os dados dos estudantes beneficiados pelo programa.

Duas vezes ao ano, durante um período determinado, a Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da faculdade onde o aluno estuda com o FIES fará a solicitação de aditamento no SisFIES.

O estudante só tem que acessar o sistema, verificar se as informações estão corretas e, caso esteja tudo em ordem, fazer a confirmação eletrônica dos dados.

Depois disso, ele tem que comparecer à CPSA e retirar o Documento de Regularidade de Matrícula (DRM), que deverá vir assinado pelo presidente ou pelo vice-presidente da Comissão.

Esse é o chamado aditamento simplificado. Basicamente ele ocorre quando não há alteração no contrato do financiamento.


Existe outra situação, mais trabalhosa: quando há erros no processo ou alteração nas cláusulas.

Veja como funciona a seguir.

O que fazer quando o aditamento do FIES dá problema

Quando o aditamento vem com informação errada ou que precisa ser alterada, o candidato terá um pouco mais de trabalho para resolver a questão.

Mas também não é um bicho de sete cabeças.

Quando isso acontece, o MEC chama a situação de aditamento não-simplificado.

Essa situação é comum quando há algum tipo de mudança no contrato, como troca de fiador, alteração da faculdade em que o estudante está matriculado, necessidade de aumento do prazo de pagamento ou atraso da parcela trimestral de juros.

Os procedimentos para esses casos são os seguintes:

• Ao perceber que tem alguma informação errada no aditamento, o beneficiário do FIES deve rejeitar a solicitação no SisFIES.
• Assim que fizer isso, ele precisa entrar em contato com a CPSA da faculdade onde estuda e comunicar o ocorrido.
• Assim que receber o DRM, deve correr até a agência bancária onde assinou o contrato, em companhia do fiador (se for o caso), levando todos os documentos exigidos no processo.
• Depois disso é só formalizar as alterações e respirar aliviado.

Quando fazer o aditamento do FIES

O aditamento acontece duas vezes por ano, no início dos semestres letivos.

No primeiro semestre o período de renovação começa em dezembro e termina no final de março do ano seguinte. Repare que o Ministério da Educação dá um prazo bem generoso para que o estudante realize o procedimento: quatro meses inteirinhos!

No segundo semestre o prazo é um pouco mais curto, mas ainda assim bastante tranquilo. Começa em julho e termina no final de agosto – dois meses inteiros.

Caso o estudante perca os prazos para o aditamento do FIES, precisa procurar a CPSA da faculdade com urgência para resolver o problema.

O processo de aditamento é gratuito.


E se alguém não fizer o aditamento do FIES?

O aditamento do FIES é obrigatório. Quem não o fizer perde o benefício. A continuidade do financiamento está condicionada a essa renovação.

O aditamento tem que ser feito todo semestre, mesmo que a matrícula na faculdade seja anual. Portanto, olho vivo nos prazos!


Requisitos para fazer o aditamento do FIES

O estudante que tem o FIES só vai conseguir fazer o aditamento se estiver em dia com suas obrigações financeiras. Ou seja: não pode estar devendo na faculdade e as parcelas trimestrais do FIES precisam ter sido pagas.

Se tiver alguma dívida estudantil, o candidato precisará quitá-la para poder prosseguir com o aditamento.


As novas regras do FIES interferem no processo de aditamento?

Recentemente o Ministério da Educação anunciou um novo pacote de alterações no FIES.

As mudanças foram bem significativas, mas, até agora, não houve qualquer comunicado a respeito de qualquer alteração nas regras de aditamento. É provável que o método de renovação permaneça exatamente como está.

Se for anunciada alguma alteração, a gente traz para você aqui mesmo.

Está curioso para saber o que mudou no FIES? Então dê uma olhada neste resumo rápido que preparamos para você:

• Agora o FIES pode ser solicitado por candidatos que têm renda familiar bruta mensal de até cinco salários mínimos por pessoa – ou seja: o programa se tornou mais inclusivo.
• Candidatos que comprovem renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa podem obter o FIES a juro zero. O MEC destinará cerca de um terço de todos os financiamentos anuais a essa categoria!
• Moradores das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste que tenham renda familiar bruta mensal de até cinco salários mínimos por pessoa podem obter o financiamento com juros super baixos, de apenas 3% ao ano. A medida tem o objetivo de diminuir o déficit de profissionais de nível superior nesses locais.
• Os demais participantes encontrarão financiamento com juros de aproximadamente 6,5% ao ano. Eles terão que comprovar renda familiar bruta mensal de até cinco salários mínimos por pessoa.
• O prazo para pagamento do financiamento também mudou. Agora o estudante pode começar a quitar a dívida a partir do momento que se formar e estiver empregado.
• Acabou o limite de valor de mensalidades – ainda bem!

Lembre-se de que para participar do FIES o candidato precisa, além de atender aos requisitos de renda descritos acima, ter feito qualquer edição do Enem a partir de 2010 e obtido, em qualquer uma delas, pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação.


Como obter o FIES

O processo seletivo do FIES tem duas edições anuais.

A primeira acontece no início do ano, quase sempre no comecinho de fevereiro. A segunda, normalmente no final de julho ou início de agosto.

O critério de seleção para uma vaga de financiamento será a nota apresentada no Enem. Quanto mais alta, maiores as chances. Financiar cursos mais disputados, como Medicina, pode exigir uma pontuação bem alta.

O FIES financia o curso a juros baixos e prazo longo para pagamento da dívida – que só começa a ser quitada depois da formatura. É uma saída super interessante para estudantes que estão com o bolso apertado.

Em média, o MEC oferece cerca de 300 mil vagas de financiamento todos os anos.


Onde estudar com o FIES

Por todo o Brasil, centenas de faculdades particulares participam do FIES. Com tantas opções, nem sempre é fácil escolher aquela que melhor se encaixa nos seus objetivos profissionais.

Por isso, uma dica bacana é chegar no processo seletivo do FIES já com uma instituição em mente. Isso irá facilitar um bocado a tarefa de encontrar a vaga ideal.

A gente separou algumas instituições para você. Elas são bem avaliadas pelo MEC, têm diploma reconhecido no mercado e cursos em tudo quanto é área do conhecimento.

Dê uma espiada:

Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA) 
Universidade Estácio de Sá (UNESA) 
Centro Universitário UNISEB (UNISEB-Estácio)
Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL) 
Universidade Cidade de São Paulo (UNICID) 
Universidade de Franca (UNIFRAN) 
Universidade Norte do Paraná (UNOPAR) 
Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS) – em Minas Gerais 
Faculdade Unime (UNIME) – na Bahia


Veja também:
10 dicas para quem vai pedir o FIES

Entendeu como funciona o sistema de aditamento do FIES? Conte para a gente aqui nos comentários!