O FIES é uma super ajuda para quem precisa entrar no ensino superior e está sem grana para bancar as mensalidades de uma faculdade.

O programa do governo federal oferece financiamento estudantil a juros baixos e prazo longo para pagar a dívida.

Só que o FIES é tão complexo e cheio de detalhes que muita gente acaba perdida em meio a regras e procedimentos.

Uma das dúvidas mais frequentes é se o estudante precisa estar matriculado na faculdade que deseja financiar antes de tentar vaga no programa.

Como o Ministério da Educação (MEC) lançou recentemente um pacote de mudanças que afetam o FIES, essa dúvida voltou com ainda mais força.

Mas estamos aqui para resolvê-la! Vamos explicar se você precisa estar matriculado em uma faculdade antes de pedir o FIES. Confira!

Dá para pedir o FIES antes de entrar na faculdade?

Boa notícia: não é preciso estar matriculado na faculdade para pedir o FIES!

Para selecionar os candidatos a um financiamento, o FIES realiza um processo seletivo.

No entanto, a disputa do FIES é somente para a vaga de financiamento e não garante a matrícula na faculdade. Caso você ainda não tenha feito a sua, talvez precise passar por um vestibular ou outra forma de ingresso (nota do Enem, prova agendada, redação, etc.).

Confira as regras junto à faculdade do seu interesse.

Dá para pedir o FIES depois de entrar na faculdade?

O contrário também é possível. Estudantes que já estejam matriculados em uma faculdade participante do FIES e atendam aos requisitos de inscrição poderão tentar um financiamento subsidiado pelo governo.

O fato de já estar matriculado não muda absolutamente nada no processo de seleção do FIES. O candidato terá que participar da disputa da mesma forma (veja como isso é feito no tópico a seguir). Ele não ganhará qualquer privilégio por já ser universitário.

Só que, para conseguir financiar exatamente o curso em que já está matriculado, é preciso encontrar uma vaga que corresponda à que ocupa hoje, em todos os detalhes: instituição de ensino, turno e unidade.

Por exemplo: se o candidato estuda Direito na Universidade Estácio de Sá (UNESA) em Natal (RN), no período de inscrição do FIES ele terá que encontrar uma vaga idêntica à que ele ocupa hoje. Caso não esteja disponível, é possível mudar de turno e unidade, se for o caso, e tentar a transferência junto à faculdade.

É importante saber que o FIES não é retroativo. Isso significa que o financiamento passa a valer só depois de assinado o contrato – o FIES não reembolsa as mensalidades que o estudante já pagou antes de conseguir o benefício.

Como financiar a faculdade com o FIES

Para pagar a faculdade com a ajuda do FIES você vai ter que, primeiramente, verificar se atende aos requisitos de participação:
• Ter obtido desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação de qualquer edição do Enem a partir de 2010.
• Apresentar renda familiar bruta mensal de até cinco salários mínimos por pessoa.
Se estiver tudo em ordem com os critérios, é hora de encarar o processo seletivo por uma vaga de financiamento.

As inscrições para o FIES abrem duas vezes por ano, sempre no início de cada semestre.

A primeira edição, que ocorre entre o final de janeiro e o início de fevereiro, é a maior. A segunda acontece entre o final de julho e os primeiros dias de agosto.

O critério de classificação é unicamente a nota no Enem. Quanto mais alta a pontuação, maiores as chances de obter o financiamento.

Tudo é feito pela internet. O processo seletivo fica aberto por quatro dias e o resultado sai logo na sequência.


As mudanças recentes do FIES alteram a forma de entrar na faculdade?

O FIES passou por uma grande mudança em 2017, mas isso não alterou o fato de que o aluno pode pedir o financiamento antes de entrar na faculdade. Pelo menos por enquanto, continua tudo como antes. Caso haja alguma nova informação do MEC a respeito desse tema, a gente vai trazer aqui para você.

O que mudou pra valer no FIES foram os tipos de contrato oferecidos a partir de 2018.

Agora o programa conta com três categorias distintas de financiamento:

• FIES 1: Essa modalidade responderá por cerca de um terço de todos os financiamentos do FIES disponíveis por ano. Eles são direcionados a candidatos com renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa. A grande vantagem é a taxa de juros, que aqui será zero!

• FIES 2: Direcionado aos candidatos que vivem nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste com renda familiar bruta mensal de até cinco salários mínimos por pessoa. Os diferencial é a taxa de juros baixa, por volta de 3% ao ano.

• FIES 3: Voltado para candidatos com renda familiar bruta mensal de até cinco salários mínimos por pessoa. Os juros aqui são equivalentes aos que eram cobrados até o segundo semestre de 2017: cerca de 6,5% ao ano.

Fora isso, houve mudança também na carência para começar a pagar o financiamento. Se antes o Governo dava até 18 meses após a formatura, agora a cobrança virá a partir do momento em que o candidato terminar o curso e estiver trabalhando.


Faculdades que aceitam financiamento do FIES

Todos os semestres, centenas de faculdades participam do FIES. Elas oferecem vagas em cursos de inúmeras áreas do conhecimento com qualidade reconhecida pelo MEC.

Isso garante que o investimento de quem consegue o benefício não será em vão. O aluno termina os estudos com um diploma reconhecido no mercado de trabalho e tem as portas abertas para seu crescimento profissional.

Para quem prefere chegar à seleção já com uma faculdade em mente, a gente separou algumas sugestões. São instituições bem avaliadas, algumas delas espalhadas por todo o Brasil, com cursos que vão garantir uma entrada e tanto no mundo profissional!

Conheça:

Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA) 
Universidade Estácio de Sá (UNESA) 
Centro Universitário UNISEB (UNISEB-Estácio)
Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL) 
Universidade Cidade de São Paulo (UNICID)
Universidade de Franca (UNIFRAN) 
Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS) – em Minas Gerais 
Não preenche os requisitos ou não conseguiu vaga no FIES? Pois saiba que todas as faculdades da lista acima ainda têm outras vantagens: nelas você consegue descontos, financiamentos sem burocracia e ainda a facilidade de contar com várias formas de ingresso. Dá até para pular o perrengue do vestibular e entrar com a nota do Enem!

Veja também:
Quantos pontos preciso tirar no Enem pra conseguir o FIES?


Vai tentar o FIES? Já está matriculado na faculdade ou ainda está escolhendo onde estudar? Conte para a gente aqui nos comentários!