Os glicídios também conhecidos como açúcares, carboidratos ou hidratos de carbono, são substâncias orgânicas constituídas fundamentalmente por átomos de carbono, hidrogênio e oxigênio. Quando se fala em açúcar lembramos imediatamente do sabor doce, mas nem todos os glicídios são adocicados. Por isso, os cientistas preferem usar o termo glicídio em lugar de açúcar, para evitarem mal entendidos. 

Os glicídios constituem a principal fonte de energia para os seres vivos, estando presentes em diversos tipos de alimentos. O mel, por exemplo, contém o glicídio glicose; da cana é extraída a sacarose, muito utilizada em nosso dia-a-dia; o leite contém o açúcar lactose; e frutos adocicados contêm frutose e glicose, entre outros tipos de glicídios. 

Tipos de glicídios e suas funções: 

Monossacarídeos – Os glicídios mais simples são os monossacarídeos que apresentam entre 3  e 7 carbonos na molécula e cuja fórmula geral é Cn(H2O)n . Nessa fórmula, n representa um número entre 3 e 7.

Os nomes dos monossacarídeos são dados de acordo com o número de átomos de carbono na molécula:

Trioses – 3 carbonos
Tetroses – 4 carbonos
Pentose -  5 carbonos Ex. ribose, desoxirribose
Hexoses – 6 carbonos Ex. frutose, galactose e frutose
Heptoses – 7 carbonos 

Dissacarídeos – são moléculas formadas pela união de dois monossacarídeos.  A sacarose (C12H22O11), o principal açúcar presente na cana-de-açúcar, é um dissacarídeo formado pela união de uma molécula de glicose e uma de frutose. Outro exemplo, é a lactose, o açúcar do leite, constituído pela união de glicose e galactose; maltose, glicose + glicose.  

Polissacarídeos – são formados pela ligação entre centenas ou mesmo milhares de monossacarídeos.

Amido – é uma substância característica das plantas e das algas. Suas moléculas são formadas pela reunião de milhares de moléculas de glicose. Em momento de abundância de moléculas de glicose as plantas fabricam amido.. Em momentos de necessidade, o amido é quebrado, transformando-o em glicose usado como fonte de energia e de matéria – prima para as células.

Os animais fabricam o polissacarídeo glicogênio, cuja função é semelhante à do amido para as plantas. Depois de uma refeição rica em glicídios, as células de nosso fígado absorvem moléculas de glicose do sangue, unindo-as para formar moléculas de  glicogênio, bastante semelhantes  às moléculas de amido.

Quando a taxa de glicose no sangue reduz, nos períodos entre as refeições, as células do fígado quebram o glicogênio, convertendo-o em moléculas de glicose. Estas são lançadas no sangue e chegam a todas as células do corpo. O glicogênio armazenado no fígado, portanto, representa uma forma de guardar energia para os momentos de necessidade.

Celulose-Encontrada principalmente nas plantas, onde participa da constituição da parede celular. 

Quitina – Suas cadeia são formadas por vários açúcares com grupos amina (NH2 ). Ocorre na parede celular dos fungos e no exoesqueleto de artrópodes, como insetos, aranhas e crustáceos.

à quitina e a celulose são polissacarídeos estruturais de difícil digestão.