Consta de vários órgãos que, devido à sua posição se classificam em dois grupos: órgãos genitais internos e externos.

Consideramos órgãos internos

- O ovário, a trompa de falópio, o útero e a vagina. A trompa de Falópio é o conduto que se estende desde o ovário até o útero.
Nele diferenciamos várias partes: a intramural, situada na espessura da parede uterina, de 2 a 3 cm.; a bolha, mais dilatada que prossegue com o infundíbulo de corte irregular e recortado que formam as fibras que se adaptam como se o abraçassem. Uma destas fibras que se aderem ao ovário recebe o nome de franja ovárica da trompa.

A trompa uterina exerce uma dupla função: conduzir a célula-ovo do ovário até o útero e ser o receptáculo para a fecundação. A vulva é o conjunto dos órgãos genitais externos. Nela se distinguem as seguintes regiões anatômicas: Monte de Vênus que é a região púbica coberta de pêlos na mulher adulta; os lábios maiores são duas dobras de pele que cobrem os lábios menores, ou ninfas, o clitóris, que é um órgão impar, eréctil e o orifício vaginal.

Fisiologia do aparelho genital feminino: o  ciclo menstrual na mulher se caracteriza pela aparição periódica de uma hemorragia, a qual se denomina menstruação, e um processo fisiológico provocado e regulado por hormônios que procuram a maduração de um ovocito e a expulsão do ovário (ovulação). 

Considera-se o primeiro dia do ciclo menstrual aquele em que começam as regras; sua duração media é de 28 dias. E os hormônios que o determinam têm uma dupla origem, a hipófise e o ovário.

As glândulas endócrinas modificam o ovário e o endométrio dando lugar ao ciclo ovárico e ao ciclo endometrial respectivamente (o ciclo ovárico condiciona totalmente ao ciclo endometrial) o lóbulo anterior da hipófise segrega dois hormônios gonadotrópicos, folículo estimulante (FSH) e a luteinizante (LH), que determinam o ciclo ovárico.

O ciclo ovárico começa quando  a FSH chega ao ovário, onde intervém na maduração do folículo primordial, que se converte no folículo de Graaf obtendo um ovocito maduro.

Cerca do décimo quarto dia do ciclo se produz a ovulação, provocada por certo nível no sangue de FSH e LH simultaneamente. A partir deste momento e até fechar-se o ciclo, atua a LH estimulando a formação do corpo lúteo. O ovário produz hormônios esteróides, estrógeno, progesterona e andrógenos.

Os  andrógenos são hormônios sexuais masculinos que se transformarão em estrógenos. Os folículos produzem fundamentalmente estrógenos (foliculina), sob o efeito da FSH hipofisária.

O corpo lúteo, estimulado pela LH libera sobretudo progesterona. Se bem que o mais freqüente é que tenham ação antagônica. Os estrogênios e a progesterona trabalham, às vezes, de forma complementar, por exemplo, sobre as mamas exercem um efeito sincronizado ao regular sua turgência ou flacidez em consonância com o ciclo menstrual.

As funções dos estrogênios são: Incrementar a espessura epitelial da vulva e a vagina; produzir grande quantidade de muco cervical fluído, (que ajuda a penetração dos espermatozóides); determinar a fase de proliferação da mucosa uterina, inibindo ao mesmo tempo a secreção hipofisária de FHS; ativar a secreção de LH e LTH (prolactina), o que desencadeia pouco antes da ovulação síntese de progesterona, e atuar sobre o desenvolvimento dos caracteres sexuais secundários.

As funções da progesterona são: diminuir a espessura epitelial da vulva e da vagina; favorecer a descamação do endométrio; atuar sobre o muco cervical de forma que seja espesso e dificilmente penetrável pelos espermatozóides; favorecer no endométrio a reação pré-residual para a dinação exercer um efeito sedante sobre o miométrio e as trompas; realizar uma ação hipertérmica (pelo qual há aumento da temperatura corporal na segunda metade do ciclo sexual feminino).

Em todos os órgãos do aparelho sexual da mulher adulta têm lugar uma serie de mudanças cíclicas cujo objetivo é assegurar que se produzam óvulos capazes de serem fecundados e preparar o útero para recebê-los.

Estas mudanças cíclicas se repetem, em média, de cada quatro semanas (entre 21 e 35 dias) e são a expressão de processos  (também cíclicos)  que se produzem simultaneamente na hipófise e no ovário, que são controlados pelas neuro-secreções do hipotálamo.

O ciclo endometrial é constituído por três fases; sendo o primeiro dia da menstruação  em que se marca o começo de cada ciclo, que finaliza no primeiro dia da menstruação seguinte:

Fase de proliferação: Na primeira metade do ciclo, do quarto ao décimo quarto dia; momento que coincide  com a ovulação.

Fase de secreção: do décimo quinto dia ao vigésimo oitavo  dia.