Aparelho Digestivo, Sistema Digestivo e Sistema Digestório: São esses os termos utilizados para representar o processo de absorção e digestão dos alimentos pelo nosso corpo, o sistema digestivo é responsável por quebrar o alimento para que ele possa ser absorvido pelo nosso organismo.

Tubo Digestivo / Digestório

Tubo digestivo, é basicamente por onde o alimento vai passar desde quando ingerimos o alimento até nos livrarmos dele. O tubo digestório é composto pela boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado, intestino grosso, reto e ânus.

Além dos órgão do tubo digestivo também existem as glândulas salivares, o pâncreas e o fígado. Estes órgãos e o próprio intestino delgado produzem sucos digestórios que atuam na digestão.

Peristaltismo no Tubo Digestivo / Digestório:
Em todo o tubo digestório existem músculos que fazem com que o alimento se movimente. Assim o alimento é transportado da boca até o ânus.

Digestão Mecânica e Digestão Química:
A digestão mecânica ocorre apenas na mastigação e obviamente é efetuada pelos dentes. A digestão química que atua em todo o tubo digestório é realizada pelos sucos digestórios.

Os Sucos Digestórios e suas Enzimas:
Os sucos digestórios (digestão química) são compostos principalmente pelas Enzimas. As enzimas são responsáveis pela "quebra" dos alimentos (para que possam ser absorvidos pelo sangue). Os alimentos que ingerimos contem nutrientes que precisamos para viver.

Cada alimento possui quantidades diferentes destes nutrientes. Eles (os nutrientes) são divididos em proteínas, gorduras, amido, sais minerais e vitaminas. Nós vamos trabalhar apenas com as proteínas, gorduras e amido pois os sais minerais e as vitaminas não precisam ser digeridas, elas já são pequenas o suficiente para atravessar a parede do intestino e passar para o sangue.

Como cada alimento pode ter nutrientes diferentes, o corpo humano também deve ter enzimas diferentes. Estas enzimas tem nome! Para digerir as proteínas existe a pepsina, para digerir as gorduras existem as lipases e para digerir o amido existe a ptialina ou amilase salivar.

A Transformação do Alimento

Você se perguntou come se chamam os nutrientes depois de serem digeridos? Cada nutriente recebe um nome diferente depois de ser digerido (quebrado). As ex-proteínas passam a se chamar Aminoácidos, as ex-gorduras ou ex-lipídios viram Ácidos Graxos e Glicerol e o ex-amido vira Glicose.

A Quebra do Alimento
Uma molécula de amido é composta por várias moléculas de glicose ligadas uma a outra. Uma molécula de proteína é composta por várias moléculas de aminoácidos ligadas umas as outras. Uma molécula de amido ou de proteína não é capaz de atravessar a parede do intestino porque ela é muito grande.O trabalho da enzima é de separar estas moléculas "grandes" para que possam atravessar a parede do intestino e passar para o sangue.

As Enzimas e os Sucos Digestivos
As enzimas estão contidas em sucos digestórios, que também tem nome! A ptialina está contida na saliva, a pepsina está contida no suco gástrico, as lipases estão no suco pancreático e no suco entérico e a amilase está no suco pancreático.

A faringe é um canal músculo-membranoso comum aos sistemas digestivo e respiratório e se comunica com a boca e com as fossas nasais. Se estende da base do crânio à borda inferior da cartilagem cricóide, continuando pelo esôfago.

A faringe (ou garganta) é ladeada pelos grandes vasos sanguíneos do pescoço e pelos nervos glossofaríngeos, pneumogástrico ou vago, e hipoglosso. Divide-se em três partes: faringe superior (nasofaringe ou rinofaringe); faringe bucal (orofaringe); faringe inferior (hipofaringe, laringofaringe ou faringe esofagiana).

O ar inspirado pelas narinas ou pela boca passa necessariamente pela faringe, que o conduz até a laringe. Constitui a passagem dos alimentos em direção ao esôfago.

O esôfago é um canal muscular com cerca de 23 a 25 cm de comprimento e 2 a 3 cm de largura, estende-se da faringe ao estômago; é a parte mais estreita do tubo digestivo. Desde a origem até a terminação, o esôfago atravessa necessariamente a parte inferior do pescoço, a cavidade torácica, o diafragma e a parte superior da cavidade abdominal. É um órgão situado na linha mediana, na frente da coluna vertebral. Termina lançando-se no estômago ao nível da cárdia.

O bolo alimentar chega ao estômago, empurrado pelas contrações do esôfago, são os chamados movimentos peristálticos, também executados pelo estômago e intestino.

O estômago é uma bolsa de parede musculosa, localizada no lado esquerdo abaixo do abdome, logo abaixo das últimas costelas. É um órgão muscular que liga o esôfago ao intestino delgado.

Sua função principal é a decomposição dos alimentos. Um músculo circular, que existe na parte inferior, permite ao estômago guardar quase um litro e meio de comida, possibilitando que não se tenha que ingerir alimento de pouco em pouco tempo. Quando está vazio, tem a forma de uma letra "J" maiúscula, cujas duas partes se unem por ângulos agudos.

Segmento Superior
O segmento superior é o mais volumoso, chamado "porção vertical". Este, compreende, por sua vez, duas partes superpostas; a grande tuberosidade, no alto, e o corpo do estômago, abaixo, que termina pela pequena tuberosidade.

Segmento Inferior
O segmento inferior é denominado "porção horizontal", está separado do duodeno pelo piloro, que é um esfíncter. A borda direita, côncava, é chamada pequena curvatura; a borda esquerda, convexa, é dita grande curvatura. O orifício esofagiano é o cárdia.

As túnicas
O estômago compõe-se de quatro túnicas; serosa (o peritônio), muscular (muito desenvolvida), submucosa (tecido conjuntivo) e mucosa (que secreta o suco gástrico). Quando está cheio de alimento, torna-se ovóide ou arredondado. O estômago tem movimentos peristálticos que asseguram sua homogeneização.

Suco Gástrico
O estômago produz o suco gástrico, um líquido claro, transparente, altamente ácido, que contêm ácido clorídrico, muco e várias enzimas, como a pepsina, a renina e a lipase. A pepsina, na presença de ácido clorídrico, quebra as moléculas de proteínas em moléculas menores. A renina coagula o leite, e a lipase age sobre alguns tipos de gordura. A mucosa gástrica produz também o fator intrínseco, necessário à absorção da vitamina B12.

Doenças
As doenças e problemas gástricos são numerosas: úlcera, câncer, a dispepsia (indigestão gástrica), tumores malignos e benignos (raros), gastrite, afecções decorrentes das cicatrizes das úlceras curadas, etc.

No intestino delgado ocorre a parte mais importante da digestão e é absorvida a maior parte dos nutrientes. O intestino delgado é um tubo com pouco mais de 6 m de comprimento por 4cm de diâmetro e pode ser dividido em três regiões: duodeno (cerca de 25 cm), jejuno (cerca de 5 m) e íleo (cerca de 1,5 cm).

A porção superior ou duodeno tem a forma de ferradura e compreende o piloro, a abertura da parte inferior do estômago pela qual este esvazia seu conteúdo no intestino.

Movimentos Peristálticos no Intestino:
No intestino, as contrações rítmicas e os movimentos peristálticos das paredes musculares, movimentam o alimento, ao mesmo tempo em que este é atacado pela bílis, enzimas e outras secreções.

Os nutrientes absorvidos pelos vasos sanguíneos do intestino, passam ao fígado para serem distribuídos pelo resto do organismo.

Superfície interna do Intestino Delgado
A superfície interna, ou mucosa, do intestino delgado, apresenta, além de inúmeros dobramentos maiores, milhões de pequenas dobras (4 a 5 milhões), chamadas vilosidades; um traçado que aumenta a superfície de absorção intestinal.
As membranas das próprias células do epitélio intestinal apresentam, por sua vez, dobrinhas microscópicas denominadas microvilosidades.

O intestino grosso tem um importante trabalho na absorção da água (o que determina a consistência do bolo fecal). Mede cerca de 1,5 m de comprimento.

O intestino grosso divide-se em ceco, cólon ascendente, cólon transverso, cólon descendente, cólon sigmóide e reto. Uma parte importante do ceco é o apêndice vermiforme vestigial, com cerca de 8 cm de comprimento, cuja posição se altera com freqüência. A saída do reto chama-se ânus e é fechada por um músculo que o rodeia, o esfíncter anal.

Alimentos no Intestino Grosso:
Os alimentos e materiais de secreção atravessam o intestino movidos por contrações rítmicas ou movimentos peristálticos de seus músculos, que se produz 7 vezes por minuto. O intestino grosso não possui vilosidades nem segrega sucos digestivos, normalmente só absorve água, em quantidade bastante consideráveis.

Entretanto, todas as substâncias alimentícias podem ser assimiladas, como no intestino delgado. Como o intestino grosso absorve muita água, o conteúdo intestinal se condensa até formar detritos inúteis, que são evacuados.

Bactérias (Simbiose) no Intestino Grosso:
Numerosas bactérias vivem em simbiose no intestino grosso. Seu trabalho consiste em dissolver os restos alimentícios não assimiláveis, reforçar o movimento intestinal e proteger o organismo contra bactérias estranhas, geradoras de enfermidades.


Colaboração: Estude o Corpo