Entendendo O Mundo Bipolar
Para entender a reorganização da economia mundial atual é necessário que tenhamos uma visão da reorganização do mundo capitalista, e a estrutura do poder geopolítico após duas grandes guerras mundiais.

Europa No Domínio da Geopolítica Mundial
Antes da Primeira Guerra, cinco grandes potências influenciavam os rumos das demais nações do mundo: Reino Unido, França, Alemanha, Império Austro-Húngaro e Rússia. Nesta época Estados Unidos e Japão eram, então, potências emergentes. Portanto nestas condições a Europa era quem possuía o domínio da economia e da geopolítica mundial.  Porém este quadro começou a ser alterado a partir da Primeira Guerra Mundial(1914-1918) e foi totalmente alterado após a Segunda Guerra mundial(1939-1945).

1945 - Fim do Domínio Europeu
O ano de 1945 marca o fim da Segunda Guerra Mundial e uma Europa arrasada pela guerra, os vencedores surgem no cenário mundial como as novas forças de domínio econômico e geopolítico, Estados Unidos da América, de uma lado, representando o capitalismo, e do outro lado, a União Soviética representando o socialismo.

O Mundo Bipolar - Capitalismo versus Socialismo
O mundo passou a ser dividido em esferas de influência dessas duas superpotências iniciando  um período de polarização entre os dois blocos, com uma série de conflitos entre países do bloco socialista, alinhados à União Soviética  e os países do bloco capitalista aliados aos Estados Unidos. Durante 44 anos de um período histórico conhecido como guerra fria, os países da Europa Oriental integrantes do bloco socialista deram sustentação à política internacional da União Soviética.

45 anos depois - A Decadência da URSS
IMAGEM Em 1985, a URSS alcança o ápice de sua crise social, econômica e política. Com a ascensão de Mikhail Gorbatchev, ao poder,  a União Soviética inicia  uma fase de transição rumo a uma nova ordem política, ao modelo de economia de mercado (capitalista) e a uma nova orientação nas relações internacionais. O mundo conheceu então as expressões glasnost e perestroika, dois conceitos que lançaram as bases daquilo que se convencionou chamar de Nova Ordem Mundial.

Glasnost e Perestróika e a Extinção da URSS
Para tentar solucionar essa crise Mikhail Gorbatchev elaborou um importante projeto de reformas políticas (Glasnost) e econômicas (Perestroika). A Glasnost e a PerestróiKa dão mais um impulso para o fim do socialismo na Europa Oriental .

A queda do Muro de Berlim (1989) marcaram o fim da Guerra Fria e anunciou o esfacelamento da União Soviética que, em 1991, perdeu Lituânia, Letônia e Estônia, responsáveis por 70% de sua população total. A dissolução oficial da União Soviética, foi oficializada pelo acordo de Minsk, firmado pelos chefes de Estado da Bielorússia, da Federação Russa e da Ucrânia em 8 de dezembro de 1991. As repúblicas que formavam a ex-União Soviética, junto com a atual Federação Russa, transformam-se na Comunidade dos Estados Independentes (CEI).

A Nova Ordem Mundial - Multipolar
Com o fim da URSS, restou apenas uma única superpotência, os Estados Unidos, fato que levou o mundo a uma busca por uma nova configuração pelo domínio geopolítico, pois a disputa pela hegemonia deixa de ser pelo poder político-militar e passa diretamente a concorrência comercial, efeito que leva as nações se reorganizarem em blocos regionais, dando origem a nova ordem mundial, onde países unem esforços para reduzir obstáculos econõmicos e políticos, ampliando suas fronteiras, resultando no surgimento de gigantes econõmicos como a UE - União Européia e o Nafta - Acordo de Livre Comércio da América do Norte.

A Hegemonia Norte Americana
Apesar da multipolarização da economia mundial, e a diluição do poder, os EUA ainda mantém a hegemonia, considerando-se que responde por 20% da produção mundial, tem sob seu domínio as principais instituições internacionais que gerenciam econômica e politicamente o planeta, como o, FMI-Fundo Monetário Internacional, Banco Mundial, ONU-Organização das Naçoes Unidas, OMC-Organização Mundial do Comércio. Marca a presença de seus militares em todos os continentes, estabeleceram bases militares no Paquistão, Geórgia, Filipinas, e em países da Ásia Central como Quirguistão, Uzbequistão, e Tadjiquistão. Somente na Europa conta com um efetivo de 70 mil homens e ações militares em curso no Afeganistão e Iraque.