Hoje teremos o prazer de conhecer as opiniões e conselhos de Mariza Esper de Oliveira Vilela, enfermeira récem- formada pela Faculdade de Enfermagem da FESP-UEMG.

Mariza mostra-nos a garra e dedicação que todo profissional que incia em sua carreira deve ter.

1. Fale um pouco sobre o curso que você fez. Quando e onde se formou em Enfermagem? Você recomendaria esse curso para as outras pessoas?

Olá, eu sou Mariza, mãe da Ana Paula, da Ana Cláudia e da Bruna que estudam no CIC. Vou falar uma pouco da profissão que escolhi e tentar colocar os aspectos positivos e negativos a minha maneira de ver. Sou professora e enfermeira. Concluí Enfermagem na cidade de Passos em 2006, porém sou recém-formada. Gostei muito do curso por ser uma área bem diversificada. A exemplo disto, quando não nos identificamos com crianças, podemos trabalhar enfermagem do trabalho, ou psiquiatria, ou geriatria, ou UTI, ou com cirurgias e assim vai... É uma profissão linda e um curso interessante para quem gosta do ato de cuidar, pois cuidamos das necessidades humanas quando as pessoas se mostram vulneráveis. Trabalhamos muito nos dias de hoje com promoção e prevenção de doenças e agravos, e não só com a recuperação e reabilitação das doenças como antes.

2. A Enfermagem ainda é um Curso para mulheres ou você indicaria esse Curso também para os rapazes?

É um curso para ambos os sexos, inclusive tem áreas como ortopedia que preferem os homens por causa da força física.

3. Quais foram as maiores dificuldades que você enfrentou durante o seu curso?

A média de notas na faculdade de Passos é 7 e a matéria é muito extensa e muitos trabalhos científicos. Alguns não levam à sério, mas se queremos nos destacar no mercado profissional devemos nos esforçar muito. Outra dificuldade foi lidar com doenças e agravos à saúde onde os problemas eram sociais e apesar de medicar e tratar, aquelas pessoas voltariam para suas vidas sem emprego, sem renda, sem alimentação adequada e mesmo que ajudássemos naquele dia, era só no presente, entende? Lidar com a morte também não foi fácil, quando medicamos, fazemos curativos e no dia seguinte o paciente vai à óbito; sabe, criamos um laço, um apego, então sofremos.

4. Para você, quais são as habilidades e requisitos necessários para alguém que esteja desejando fazer o Curso de Enfermagem?

Educação acho o primordial, tratar bem as pessoas e ser um bom observador. O resto, acredito que nos adaptamos pois é uma profissão ampla. Se não gostamos muito de lidar com sangue e cirurgias, temos enfermagem do trabalho por exemplo, onde o enfermeiro faz um papel burocrático, mais a nível de escritório e ligar um sorinho com medicação de vez em quando.

5. Fale-nos sobre o campo de trabalho para os enfermeiros e enfermeiras. Quais são as suas perspectivas atuais e futuras e em qual área da Enfermagem você quer trabalhar? E quanto à remuneração salarial? Ser Enfermeiro atualmente é uma profissão rentável e normalmente é fácil se conseguir emprego?

Passos está saturado por ter faculdade e também curso técnico de enfermagem. Mas mesmo assim, elaborei e estou trabalhando em 2 projetos no último trimestre, um em saúde pública com o tema Acolhimento e outro em Psiquiatria para usuários de álcool e outras drogas. Leciono no curso técnico em Nutrição na Escola ETEP há 3 anos e pretendo permanecer em Passos por motivos pessoais, pois tenho 3 filhas e marido e acho difícil procurar emprego fora como a maioria dos meus colegas. Tem uma colega que formou e já foi empregada para Rondônia trabalhar com índios, já com 2 empregos com salário inicial de R$7.500,00 por mês. Em Passos, o salário gira em torno de R$ 900,00 na Santa Casa e R$ 1.200,00 na Prefeitura para iniciantes. Não é fácil conseguir emprego para ganhar mais de R$1000,00 aqui, já foi uma profissão mais rentável, porém atualmente muitas escolas de enfermagem foram abertas. Poucos colegas saíram empregados da faculdade, mas não vemos muitos enfermeiros desempregados como em outras profissões mas alguns ganhando pouco.

6. Resuma o que a Enfermagem significa para você em uma frase ou palavra.

Trabalhar com amor e dedicação: prevenção, promoção, recuperação e reabilitação em saúde. BOA SORTE E SUCESSO A TODOS. É ÓTIMO FAZER FACULDADE. DIVIRTAM-SE E ESTUDEM MUUUUUUUIIITO.
Mariza

***

É com prazer que publico uma entrevista com a Enfermeira Regiane Teodoro.
Diferentemente, da Enfermeira Mariza, recém-formada, Regiane já se formou há algum tempo e possui uma experiência profissional desenvolvida na área de Enfermagem em Passos.
Acredito que será uma ótima oportunidade para vocês poderem conhecer um pouco mais sobre essa profissão.

1) Conte um pouco sobre você.

Meu nome é Regiane, tenho 29 anos, sou casada e tenho dois filhos, chamados Rafael - com seis anos - e Ana Clara - de 1 ano. Nasci e cresci em Passos e, desde pequena, sou fascinada com hospitais. Interessava-me principalmente pelo bloco cirúrgico e tudo relacionado com essa parte dos hospitais me encantava muito. Quando adolescente montei um grupo de “jovens cientistas” e nos reuníamos duas vezes por semana para tentarmos fazer experimentos de biologia. Depois consegui autorização para assistir as aulas de anatomia da enfermagem e ficava horas apenas observando as aulas deslumbrada com aquele “mundo mágico”. No colegial sempre fazia as feiras culturais na área de biologia e colecionava medalhas. Sempre participava com muito prazer e entusiasmo. Posteriormente fiz faculdade de biologia, porém percebi que não era o que queria e resolvi, então, fazer enfermagem.

2) Onde e quando você se formou?

Me formei em 2004 na Faculdade de Enfermagem de Passos (FESP/UEMG).

3) Quais foram as maiores dificuldades que você enfrentou durante a sua faculdade?

Tenho adoração por crianças e já dei aula para o maternal, porém só gosto quando elas estão sadias. Como não gosto e não me sinto bem em ver as criancinhas doentes, esta foi minha maior dificuldade na enfermagem. Na disciplina de pediatria não tive nenhum problema, me sai muito bem, mas nas aulas práticas da pediatria não gostei nada do que vi e acabei me envolvendo muito.

4) Conte para a gente o que ocorreu desde que você se formou. Foi fácil conseguir o seu primeiro emprego? E seus amigos, você tem notícias se foi fácil ou difícil para eles conseguir conquistar o primeiro emprego?

Formei em dezembro/2004 e em fevereiro de 2005 já estava trabalhando no CAPSII (Centro de Atenção Psicosocial) de Passos. A ansiedade é muito grande para se começar a trabalhar, porém para mim foi mais fácil conseguir emprego uma vez que a minha área de atuação (psiquiatria) não é muito concorrida. Contudo, para meus colegas que optaram por PSF a concorrência foi bem maior. Já os meus colegas que foram para o norte de Minas conseguiram emprego muito fácil e estão ganhando um salário muito melhor.

5) Atualmente aonde você trabalha? E o seu salário, satifaz as suas necessidades e está dentro do valor que você esperava ganhar?

Ainda trabalho no CAPSII e a única diferença é que em 2006 prestei o concurso público da Prefeitura de Passos e fui aprovada. Assim pude continuar a trabalhar no mesmo lugar, porém o meu salário era melhor antes do concurso (ganhávamos 1600,00) e hoje ele abaixou para 1200,00.

6) O que você considera ter melhorado profissionalmente após esse período trabalhando como enfermeira?

Aprendi a trabalhar em equipe, algo que é muito interessante e prazeroso quando todos estão envolvidos em um único objetivo. Aprendi a ter mais confiança no meu trabalho e a acreditar no que faço. Quando me formei fiquei insegura e tinha medo de não saber o que fazer,porém com o tempo esta insegurança foi passando e ganhei mais experiência. 7) Conte para gente como é o dia-a-dia em seu emprego? Que habilidades você acredita que são necessárias para alguém trabalhar como enfermeira? Meu trabalho e com pacientes psiquiátricos (a clientela do meu CAPSII é de neuróticos e psicóticos graves). Sou responsável pelo controle, administração e distribuição da medicação e tenho dois técnicos de enfermagem que em auxiliam. O CAPS trabalha muito com grupos terapêuticos, assim sou responsável por alguns grupos e faço parte de outros grupos com outros profissionais. Para ser enfermeira é preciso ter muita paciência, ser sempre humana. Porém, saber ouvir talvez esta seja a principal habilidade para um enfermeiro. O paciente, às vezes, precisa apenas de um olhar, um carinho, um gesto de apoio ou apenas que você pare, escute-o e seja solidário com sua dor.

8) Você aconselharia alguém a fazer um curso de enfermagem? Porque?

É claro que sim!É um curso muito interessante e te abre um leque enorme de oportunidades, dá para trabalhar em varias áreas como saúde pública, hospitalar, desenvolvimento de pesquisas, ensino, empresas (enfermagem do trabalho),etc.

9) Quais são seus planos profissionais para o futuro?

Estou fazendo uma pós-graduação em álcool e drogas pela UNIFESP e pretendo fazer a prova de mestrado na USP (em Ribeirão Preto) no final deste ano em psiquiatria.

10) Defina em uma palavra ou frase o que a enfermagem representa para você.

Enfermagem é um compromisso com a VIDA... É saber CUIDAR com respeito e dignidade...

***

Nossa entrevistada dessa vez é a Professora Dra. Maria Delfraro, Diretora da Faculdade de Enfermagem da FESP-UEMG. Tânia tem um Currículo muito rico e é uma Doutora na área de Enfermagem. Ela poderá nos contar muito sobre a sua profissão e sobre o Curso de Enfermagem da UEMG, um dos mais conceituados de nosso país e o melhor, situado aqui pertinho de nós!!!

1) Conte um pouco sobre você. Onde e quando você se formou? Qual área da Enfermagem lhe atraiu?

Nome: Tânia Maria Delfraro Carmo, casada, 02 filhos, enfermeira, Graduada pela PUC de Belo Horizonte_MG, professora da Faculdade de Enfermagem de Passos-MG – FAENPA, desde 1983. Pós-graduação Latu-sensu pela USP – SP em 1985. Pós-graduação Stricto-sensu (Mestrado e Doutorado) pela USP-Ribeirão Preto-SP no período de 1994 a 2000 - Inicialmente, a área que mais me atraiu foi a Pediatria e, posteriormente, a Administração Hospitalar.


2) Conte para a gente o que ocorreu desde que você se formou. Foi fácil conseguir o seu primeiro emprego? E seus amigos, qual foi a área preferencialmente escolhida por eles para trabalhar? Por que você decidiu se dedicar ao ensino?

Ao me formar, decidi voltar para a minha terra natal (PASSOS-MG), pois desde a minha ida para Belo Horizonte em 1978 com a finalidade de fazer o cursinho pré-vestibular e após ingressar na Universidade (1979) trabalhava nos hospitais da capital mineira como: Hospital São Tarcisio, Maternidade Otaviano Neves e Maternidade Odete Valadares, tinha pouca oportunidade de rever meus familiares que aqui permaneceram. Assim, voltei à Passos porque a FESP havia recém criado a Faculdade de Enfermagem e necessitava de docentes. Ao chegar fui convidada pelo Professor Manoel Beraldo, um dos idealizadores da FAENPA para ministrar as aulas de Pediatria. Ao mesmo tempo, recebi proposta para trabalhar nas Santas Casas de Misericórdia de Passos, de Alpinópolis-MG e de Cássia-MG. Decidi desde o início dedicar integralmente à Faculdade de Enfermagem de Passos, já que tinha cursado Licenciatura e fui incentiva pelos meus mestres a entrar para a área de Ensino o que muito contribui para a minha decisão pela docência. A maioria dos meus colegas foram absorvidos pela área hospitalar devido a grande carência do profissional nestas instituições e poucos pela docência.

3) Desde quando você se tornou Diretora da Faculdade de Enfermagem da FESPUEMG? É uma experiência inédita para você? Conte-nos o que você desenvolvendo nesse período e quais são seus planos futuros.

A experiência de ser Diretora não é inédita, pois já dirigi a FAENPA no período de 1990 a 1993, mas foi gratificante voltar e poder contribuir com minha experiência e, também, trabalhar com uma equipe coesa, responsável e extremamente competente e profissional constituída pelos docentes e funcionários, verdadeiros colaboradores de nosso sucesso. Na atual gestão fui empossada em janeiro de 2007. Ao assumirmos a direção, fizemos uma parceria com a Coordenação do Programa Saúde da Família e incentivamos a participação de 42 alunos à assumirem o estágio extra-curricular durante 12 meses nos 17 PSFs da cidade de Passos_MG com o objetivo de adquirir conhecimentos e habilidades numa ação integrativa com o Serviço de Saúde do Município e com a Comunidade para implantação de projetos participativos que possam reverter na melhoria das condições de vida da população. Entre os nossos projetos futuros estão a modernização da grade curricular, implantação de novos cursos de Pós-graduação e incentivo aos trabalhos de pesquisa e extensão, importantes pilares que sustentam a Universidade.

4) Fale-nos sobre o Curso de Enfermagem dirigido por você. Qual é a relação candidato/vaga e qual é o perfil de seus estudantes? Você tem informações sobre o destino de seus estudantes após se formarem em sua Faculdade?

O Curso de Enfermagem de Passos-MG é muito procurado por estudantes de diversas regiões do País, pela seriedade e compromisso com o ensino aprendizagem do corpo docente, pela titulação dos mesmos, sendo que 95% são mestres e 60% são doutores. Pela atualização freqüente da grade curricular e pelas múltiplas oportunidades nos estágios curriculares e extra-curriculares. Os investimentos em livros, atualização de professores e em equipamentos são uma constante, tornando uma Faculdade bastante atraente dentro da Universidade. A planilha de custos da Universidade é bastante enxuta, tornando uma mensalidade bastante acessível quando comparada a muitas outras da região e de outras distantes no Estado e no País. Oferecemos atualmente 3 Cursos de Pós-graduação: Administração em Serviços de Saúde – Enfermagem em Neonatologia e Programa Saúde da Família. A relação de candidatos / vaga é de 9 / 1 sendo a procura de 90% do sexo feminino, na sua maioria jovens com um ideal profissional e muita expectativa em relação ao mercado de trabalho que ainda é muito promissor. Sobre os destino dos nossos alunos, temos um banco de dados recém-criado em que registra que muitos são aprovados nos Cursos de Pós-graduação da USP , com média de 05 ao ano. Existe uma alta inserção de nossos alunos no mercado de trabalho das cidades de São Paulo, Belo Horizonte, Brasília, Ribeirão Preto, Franca, Cidades do Norte de Minas e muitas outras da região de Passos.

5) Quais conselhos você daria para alguém interessado em ingressar em uma Faculdade de Enfermagem? Conte-nos quais diferenciais que o seu Curso oferece para os seus estudantes em relação às outras Faculdades.

Os estudantes que procuram a FAENPA tem um diferencial de cursar uma Faculdade que se preocupa com o SER HUMANO em sua totalidade. Tanto os alunos quanto os conteúdos ministrados pelos nossos docentes, o SER HUMANO é colocado sempre como o centro de nossas atenções e em torno da qual gira todas as nossas atividades. Possuímos uma posição privilegiada pela alta aceitação de nossos alunos nos diferente tipos de Serviços de Saúde onde realizamos os estágios curriculares desde os primeiros períodos do Curso. Contamos com uma Equipe de Professores comprometida com a qualidade do Ensino-aprendizagem num relação aluno / professor bastante democrática e humana, fazendo do aluno sujeito e não um expectador de sua aprendizagem. Para os alunos que queiram ingressar no curso de Enfermagem, sugerimos uma reflexão sobre o “CUIDAR” objeto de trabalho do Enfermeiro, pois trata-se primeiramente de voltar-se para si, cuidar de si, do seu tempo, e depois do outro, do meio que nos cerca, respeitando, valorizando, amando e vivendo plenamente a vida, para serem verdadeiros “CUIDADORES”.

6) Sobre o campo de trabalho dos enfermeiros, diga-nos em que áreas um enfermeiro pode trabalhar e como está o mercado de trabalho atual para esses profissionais.

O campo de trabalho é muito diversificado, podendo o Enfermeiro trabalhar como autônomo: consultoria; auditorias; clinicas particulares com atendimentos à idosos, gestantes, crianças, hipertensos, diabéticos, cuidados de doentes crônicos e degenerativos entre outros e na área da educação. Pode, ainda, trabalhar em: hospitais públicos ou privados, Clínicas, Centros de convivência infaltil, APAEs, Serviços de Saúde Pública tais como: Ambulatórios, PSFs, Pronto Socorro, Serviços de Saúde da Aeronáutica, Marinha, Exército, Escolas de Nível Superior e Escolas Profissionalizantes, Órgãos de Classe, entre outros.

7) Conte para gente como é o dia-a-dia em seu emprego? Que habilidades você acredita que são necessárias para alguém trabalhar como enfermeira?

O cotidiano de trabalho do Enfermeiro envolve diferentes atividades, tanto em relação a assistência ao paciente/cliente como atividades ligadas à gerência dessa assistência. Como gerente da unidade hospitalar ou clinica, ele deve planejar, organizar, coordenar, avaliar todas as ações que envolvem a assistência ao paciente/cliente. E, para tanto, são necessários o conhecimento teórico-prático, a postura ética, o trabalho em equipe, o respeito, a solidariedade, a liderança, a educação permanente, a cooperação, segurança, honestidade, motivação, comprometimento e a credibilidade são habilidades que o profissional deve possuir.

8) Defina em uma palavra ou frase o que a enfermagem representa para você.
A Enfermagem é a ciência e a arte de cuidar do próximo de forma integral, interativa, sensível, inteligente e através dela temos a oportunidade de humanizar a assistência prestada numa perspectiva transformadora