A poesia romântica brasileira se divide em três gerações:

Primeira: 1840-1850
¨ nacionalismo
¨ indianismo
Expoente: Gonçalves Dias
Outros: Gonçalves de Magalhães, Porto Alegre
Procura consolidar artisticamente nossa independência política de Portugal.

[Snippet not found: '/Quad_FLEX_']

Segunda: 1850-1860
¨ ultra-romantismo
¨ mal do século
¨ tédio, morbidez, depressão
¨ inadaptação do poeta romântico à realidade
¨ a morte é a grande saída
¨ mulher virgem, inacessível, amor platônico.
Expoente: Álvares de Azevedo.
Outros: Junqueira Freire, Casimiro de Abreu.

Terceira geração: 1860-1870
Procurou transformar a realidade e questioná-la em profundidade. É um prenúncio do Realismo.
Expoente: Castro Alves
Outros: Fagundes Varela

Antônio Frederico Castro Alves
(1847-1871)

[Snippet not found: '/Quad_MDL_']

Biografia
Nasceu na Fazenda Cabaceiras, município de Curralinho, na Bahia, hoje chamado Castro Alves.
Colega de Rui Barbosa na escola (Salvador).
1859: Participa das atividades literárias da escola. Neste ano morreu sua mãe.
1862: Ele e seu irmão mais velho, José Antônio, mudam-se para Recife. Ele é reprovado em Geometria nos exames vestibulares em Recife.
1864: Cursa Direito
Vida universitária intensa.
Participa de atividades de grupos abolicionistas e republicanos.
1866: Morreu o pai em Salvador. Em Recife conhece Eugênia Câmara, atriz portuguesa, dez anos mais velha.
1867: Ele e Eugênia apresentam: Gonzaga ou a Revolução de Minas, de autoria do próprio Castro Alves.
1868: Viajam para São Paulo com a peça. No Rio de Janeiro, conheceu José de Alencar e Machado de Assis. Foi muito elogiado por eles.
Cursa Direito na Escola de Direito de São Paulo (Largo São Francisco)
Termina seu romance com Eugênia Câmara (ciúmes). Dores no peito.
Sofre um acidente numa caçada: leva um tiro no pé. Amputou o pé esquerdo..
Volta à Bahia tuberculoso e sem o pé esquerdo. Publica Espumas Flutuantes (1870)

Obras
Espumas Flutuantes (1870)
Gonzaga: a Revolução de Minas (1875)
A Cachoeira de Paulo Afonso (1876)
Os Escravos (1883)

Cultivou dois gêneros poéticos: lírico-amoroso/ épico.
Poemas lírico-amorosos:

• erotismo natural e ardente

• mulher de carne e osso

• mulher-natureza

Poemas épicos:

• poesia social para ser declarada em praça pública

• tom oratório e o sentido de missão

• abolição e república

• condoreira (condor: ave-símbolo dos vôos altos e livres)

• Victor Hugo e Lord Byron são seus gurus.


Castro Alves volta-se mais para o seu tempo, com temas, como: natureza, amor, pátria, justiça, verdade, liberdade.

Espumas Flutuantes
(1870)
(53 poemas)

Título: sugere transitoriedade, pois o poeta sente que seu fim está próximo
Estilo: grandiloqüente, linguagem ornamental, pontuação abundante, escolha vocabular cuidada. Utiliza quase todas as figuras de linguagem, como: metáfora, comparações, hipérboles, assonâncias, apóstrofes.
Busca a grandiosidade poética, chegando aos exageros e ao mau gosto.
Traço marcante: oralidade e a visível intenção de dizê-la para grandes platéias.

Poesias significativas:

· O Gondoleiro do Amor /Laço de Fita/ Sub Fegmine Fagi
Tom platônico e contemplativo

· Adeus de Teresa / Adormecida/ Boa Noite
Lírico-amorosas, tom erótico e sensual

· Ode ao Dous de Julho
Poesia social e crença na liberdade

· Jesuítas
Poesia doutrinária

· Mocidade e Morte / Ahasverus e o Gênio/ O Hóspede/ A Boa Vista
Poesias de reflexão existencial

· O Livro e a Amércia
Louvor ao progresso da América

Não há métrica definida, mas prefere os versos decassílabos. As estrofes são bem livres. Suas poesias têm um lírico ascendente, cujo final é uma apoteose ou uma explosão de seus sentimentos.

Por: LiteraturaVirtual - João Amálio Ribas