As pernas são construídas basicamente como os braços, mas são muito mais longas e fortes.

O comprimento de nossas pernas nos dá velocidade extra quando corremos. Isto significa que os ossos das pernas devem ser mais pesados e mais fortes para absorver a força dos m e suportar o impacto dos pés no chão.

Até uma ação simples, como caminhar, envolve um tremendo esforço por parte do sistema nervoso, músculos e esqueleto, e as articulações são envolvidas em toda a extensão das pernas desde os artelhos até o quadril.

Os músculos das pernas são vigorosíssimos e não apenas sustentam o peso do nosso corpo quando estamos de pé, mas também empenham-se ainda mais para impelir o corpo para a frente quando corremos.

A parte principal dos músculos da perna está na coxa, sendo ajudados pelos músculos das nádegas. Esses músculos fazem a maior parte do trabalho quando andamos.

Os músculos da barriga da perna têm uma função diferente. Eles movem os pés para baixo quando nós caminhamos com passos largos, fornecendo o "empurrão" final que move todo o nosso corpo para frente.

Os músculos dos órgãos internos

O músculo liso, dos órgãos internos do corpo, é também chamado de "involuntário'; porque ele trabalha sem que o controlemos conscientemente. Este tipo de músculo é feito de fibras mais curtas do que as dos músculos estriados. Eles têm uma estrutura ligeiramente diferente e são pontudos nas extremidades.

O músculo liso geralmente está disposto em finas camadas ao redor do órgão, e se contrai mais delicadamente do que os músculos estriados.

Duas camadas de músculos lisos cobrem a parte de fora do intestino. Os músculos se contraem para estreitar o intestino atrás da massa de comida; a parte estreitada move-se vagarosamente ao longo do intestino, conforme mais músculos lisos forem contraindo-se. Este movimento chamado peristalse, força a comida através do intestino como uma onda.

O músculo liso também pode ser visto em ação na íris do olho. Ele dá uma resposta imediata às mudanças da quantidade de luz contraindo ou dilatando a pupila.

O coração é na maior parte constituído de músculo cardíaco que é uma outra forma de músculo involuntário. Suas contrações rítmicas são controladas por um conjunto embutido de nervos que dão um sinal regular instruindo toda a massa de músculo a se contrair.

O esqueleto e os músculos trabalham juntos para nos dar liberdade de movimentos. O papel do esqueleto é sustentar o corpo, enquanto permite os movimentos através do sistema de articulações. A tarefa dos músculos é imensamente complicada, variando desde esforços muito grandes como correr, até os movimentos muito delicados dos dedos de um músico ou de um cirurgião. Todo o corpo e seus movimentos são controlados e supervisionados pelo cérebro e o resto do sistema nervoso.

Glossário

Abdômem: a parte do tronco abaixo das costelas.
Acido láctico: substância química residual formada nos músculos. Taxas muito altas de ácido láctico causam o cansaço (fadiga) muscular.
ADP: adenosina difosfato; uma substância química presente em todos os tecidos.
ATP: adenosina trifosfato; a substância química que dá força ao corpo. E conhecida como a "molécula de energia universal" porque é encontrada em todas as coisas vivas. O ATP se transforma em ADP (veja acima) liberando energia, o ADP é então reciclado em ATP uma vez mais.
Bíceps: os grandes músculos superiores do braço que provocam o levantamento do antebraço.
Cartilagem: material semelhante à borracha, escorregadio, que liga as juntas, reduzindo o atrito e almofadando os ossos.
Célula: a menor unidade viva do corpo.
Clavícula: osso longo e fino situado na parte da frente do ombro.
Cóccix: uma "cauda" fina no final da espinha. Constitui-se de várias vértebras fundidas juntas.
Colágeno: um material coriácio, elástico que fortalece as juntas e outras partes do corpo.
Crânio: a parte arredondada da cabeça que protege o cérebro.
Cúbito: um dos ossos do antebraço, está do lado oposto ao polegar.
Diafragma: uma lâmina de músculos e outro tecido que se estende através do abdômen logo abaixo das costelas. E importante para a respiração.
Dióxido de carbono: gás carbônico; gás sem cor produzido pelo corpo como um produto residual inútil e expelido pelos pulmões.
Elastina: material elástico encontrado sob a forma de flexíveis filamentos ou fibras. Ela é encontrada nos tendões e em outras partes fortes e flexíveis do corpo humano.
Espinha: é a coluna vertebral constituída de 33 ossos, interligados de modo a sustentar o corpo e permitir que ele se dobre.
Esqueleto: são os 206 05505 que formam a armação do corpo humano.
Esterno: o osso chato do peito, com forma de uma espada, que liga as costelas na frente do tórax.
Fêmur: o osso da coxa. É o maior e mais pesado osso do corpo humano.
Fígado: um grande órgão da parte superior do abdômen. Ele tem várias funções importantes, incluindo auxiliar a digestão, estocar energia e tornar determinados materiais do sangue inofensivos ao corpo humano.
Intestinos: um comprido tubo muscular no qual a alimentação é digerida. Os intestinos são constituídos pelo intestino delgado (duodeno, jejuno e íleo) e intestino grosso.
Junta: é a conexão entre os ossos. Algumas juntas são fixas e rígidas outras permitem movimentos livres dos ossos.
Laringe: o órgão da voz. Uma pequena caixa de cartilagem posicionada no pescoço, que contém as cordas vocais. Ela produz o som enquanto o ar é forçado pelos pulmões entre as cordas vocais.
Ligamento: um material viscoso e flexível que mantém ligados os ossos em uma junta.
Medula dos ossos: tecido macio que corre dentro da parte oca dos grandes ossos do corpo humano. As hemácias (glóbulos vermelhos) são produzidas na medula.
Medula Espinhal: um feixe de células nervosas muito longo, que começa no cérebro e percorre todo o interior da coluna vertebral.
Membrana: um material fino semelhante a pele, que cobre a maioria dos órgãos do corpo humano por dentro e por fora.
Miofibrilas: são os filamentos dentro das fibras musculares que provocam os movimentos de esticar e contrair.
Músculo: feixe de fibras que se contrai quando instruído pelo sistema nervoso. E o músculo que provoca o movimento dos ossos e de outras partes do corpo.
Músculo estriado ou esquelético: um tipo de músculo que movimenta os ossos do esqueleto.
Omoplata: osso grande com a forma de pá, que fica na parte de trás do ombro.
Pelve: cinturão de ossos formado pelo par de ossos do quadril unidos à espinha e ao sacro.
Peristalse: movimento de contração do tubo digestivo durante a digestão, que movimenta o alimento ao longo do intestino.
Perônio: o mais fino dos dois ossos que compõem a perna.
Rádio: um dos ossos que compõem o antebraço. O rádio está do mesmo lado do polegar.
Sacro: o osso que liga a espinha ao quadril ou pelve. O sacro constitui-se de cinco vértebras ligadas permanentemente.
Tendão: a conexão flexível e viscosa entre um músculo e um osso.
Tíbia: o osso da canela.
Tórax: o peito, a parte superior do tronco.
Tríceps: o músculo do braço que permite a extensão do antebraço.
Úmero: o único osso do braço. Sua extremidade forma o cotovelo.
Vértebras: pequenos ossos das costas que, ligados, formam a espinha.

Por: Série Corpo Humano