O parágrafo é uma estrutura superior à frase a qual desenvolve, eficazmente, uma única idéia núcleo. Apesar disso o parágrafo não deve ser uma camisa de força do texto. Com um pouco de atenção e aprimoramento da percepção, todos nós somos capazes de perceber o momento em que devemos fazer a transição entre um parágrafo e outro. As informações, dadas neste estudo dirigido, devem ser consideradas, portanto, apenas como balizas de orientação e não receitas prontas a serem seguidas ao pé da letra.

INÍCIO DE PARÁGRAFO

Garcia, em seu livro “Comunicação em prosa moderna” propõe, com base naquilo que chamamos de parágrafo padrão, uma série de inícios de parágrafos que ele denomina de tópicos frasais. Iremos utilizar a expressão tópico de parágrafo, uma vez que existem termos colocados em inícios de sentenças, que se chamam tópicos de frase ou tópicos frasais.

Declaração inicial

Geralmente, este tipo de tópico ocorre em comentários ou análises. Com o próprio nome indica, trata-se de iniciar o parágrafo, fazendo uma declaração, como no exemplo a seguir:
O hábito de correr, benéfico para o coração, os pulmões e a manutenção da forma física, também origina sérios problemas, principalmente, ortopédicos.

Alusão histórica 

Trata-se de iniciar um parágrafo, fazendo alusão a um fato acontecido, real ou fictício. Temos, assim, a presença da narração. Vamos a um exemplo:
Em algum dia, perdido na noite dos tempos, há cerca de seis mil anos, o homem lançou seu primeiro barco na água, e, flutuando, movimentou-se pela primeira vez fora de terra firme.

Interrogação 

A idéia núcleo do parágrafo é colocada por intermédio de uma pergunta. Seu desenvolvimento é feito por intermédio da confecção de uma resposta à pergunta. Como exemplo:
De que maneira uma nação pode conciliar seu desenvolvimento com uma pesada dívida externa?
(...)

Omissão de dados identificadores. 

Esse tópico visa a criar um certo suspense no leitor, por intermédio da ocultação de elementos que somente aparecerão no desenvolvimento do parágrafo. Vejamos um exemplo:
De uns tempos para cá, tem surgido um elemento novo no cenário político nacional. Extremamente movediço, ele sempre aparece onde não se espera. Se o espreitamos, ele se esconde, em hibernação cautelosa.

DESENVOLVIMENTO DO PARÁGRAFO

O desenvolvimento do parágrafo dependerá, obviamente, da macroestrutura do texto.
Ocupe o primeiro com as informações mais importantes do texto, respondendo ao maior número das perguntas quê? quem? onde? quando? como? por quê?
- Ordene o restante de acordo com a importância dos pormenores,
- Use parágrafos curtos,
- Conserve a ordem direta. Na medida do possível,
- Empregue com correção artigos, demonstrativos e possessivos.

PROCURE EVITAR:

a repetição desnecessária de palavras. Principalmente não comece períodos ou parágrafos com a mesma palavra,
palavras chulas, e expressões de gíria não incorporadas à linguagem geral, também termos rebuscados;
o excesso de advérbios terminados em -mente;
o clichê - fórmulas e expressões generalizadas (a tarde morria silenciosa, não resistindo aos padecimentos...)
o excesso ou emprego errado da palavra “quê”;

O QUE É BOM

A linguagem deve ser fluida e livre de tentativas "literárias" em lugar impróprio e das excessivas repetições de fórmulas prontas e antiquadas.
É claro que uma notícia é uma notícia e uma redação é uma redação. Cada qual tem desenvolvimento diferente. Mas a finalidade é a mesma: informar e orientar com rapidez e correção. O espírito deve ser o mesmo.
O que é bom para a notícia é bom para uma redação.

TIPOS DE DESENVOLVIMENTO

Há certos tipos de desenvolvimento mais adequados ao texto argumentativo. Outros, ao discurso narrativo. Irei exemplificar algumas possibilidades de desenvolvimento do parágrafo, a partir de um único tópico, o seguinte:
A vida nas grandes cidades aumenta os índices de doenças do coração.

DESENVOLVIMENTO POR DETALHES

A vida nas grandes cidades aumenta os índices de doenças do coração. O tráfego intenso, os ruídos excessivos, as preocupações geradas pela pressa, o almoço corrido, o horário de entrar no trabalho, tudo isso abala as pessoas, produzindo o estresse que provoca os males cardíacos.

DESENVOLVIMENTO POR DEFINIÇÃO

A vida nas grandes cidades aumenta os índices de doenças do coração. O tipo de vida em questão é aquela agitada em que o indivíduo não tem tempo para cuidar de si próprio, que fica a mercê dos compromissos e do tempo exíguo para cumpri-los. Entre as doenças cardíacas a mais comum é a que ataca as artérias coronárias, assim chamadas porque envolvem o coração como uma coroa, para irrigá-lo em toda a sua extensão.

DESENVOLVIMENTO POR EXEMPLO ESPECÍFICO

A vida nas grandes cidades aumenta os índices de doenças do coração. Imaginemos um chefe de família que deixa sua casa, à 6h e 30 da manhã. Logo de início, tem de enfrentar a fila da condução. A angústia da demora: será que vem ou não vem o ônibus? Finalmente, vem. Superlotado. Sobe ele aos trancos, e logo enfrenta a roleta. – Troco?- Não tem troco para cem. – Espera um pouco para poder ir à frente. Finalmente, o ponto de descida. O relógio de ponto. Em cima da hora. Nesse momento o relógio do coração do nosso amigo já passou do ponto. Está acelerado. Suas coronárias sofrem o impacto do estresse e entram em débito de fluxo sangüíneo.

DESENVOLVIMENTO POR FUNDAMENTAÇÃO DA PR0POSIÇÃO

A vida nas grandes cidades aumenta os índices de doenças do coração. Somente na última década, segundo informações da Secretaria da Saúde do Estado de Minas Gerais, o mineiro sofreu vinte vezes mais infartos que no decênio anterior. O estresse causado pela vida intensa acelera os batimentos cardíacos, por intermédio da injeção exagerada de adrenalina, apressa o surgimento dos problemas do coração.

DESENVOLVIMENTO POR COMPARAÇÃO

A vida nas grandes cidades aumenta os índices de doenças do coração. Imagine o leitor, por exemplo, um automóvel dirigido suavemente, com trocas de marcha em tempo exato, sem freadas bruscas ou curvas violentas. A vida útil desse veículo tende a prolongar-se bastante. Imagine agora o contrário: um automóvel cujo proprietário se satisfaz em arrancadas de “cantar pneus”, curvas no limite de aderência, marchas esticadas e freadas violentas. A vida útil deste último tende a decair miseravelmente. O mesmo podemos fazer com o nosso coração. Podemos conduzi-lo com doçura, em ritmo de alegria e de festa, ou podemos tratá-lo agressivamente, exigindo-o fora de seu ritmo e de seu tempo de recuperação.

Exercícios

1) Escreva três tópicos de parágrafo (declaração inicial, alusão histórica e interrogação) a respeito dos seguintes temas:

    * O trabalho da mulher fora de casa;
    * A inflação no Brasil;
    * As Universidades brasileiras;
    * Os problemas sociais brasileiros.

2) Escolha um dos tópicos do exercício anterior e desenvolva-o por detalhes, exemplo específico, fundamentação da proposição e por comparação.

3) Desenvolva o seguinte tópico por definição, detalhes e exemplo específico:
Viajar de avião, segundo os entendidos, é desfrutar do meio de transporte mais seguro e confortável que existe.