Uma profissão para quem gosta de estudar e tratar com o público em geral. Não basta estar atrás do balcão de uma farmácia para ser farmacêutico. É preciso conhecer muito de química, bioquímica, farmacologia e muito mais. Conhecimentos que são adquiridos em uma Faculdade de Farmácia.

A área de atuação é ampla: toda farmácia e drogaria precisa de pelo menos um graduado, existem vagas em farmácias de manipulação, nas indústrias dos remédios, na área de análise clínicas, nos laboratórios que fazem exames em geral e ainda o farmacêutico responsável por cada hospital. A área de fiscalização e inspeção de alimentos e água também é uma tarefa do profissional, que ainda tem possibilidades de fazer concursos como o da Anvisa.

A maior dificuldade para quem quer entrar no setor são as poucas vagas no mercado de trabalho. O farmacêutico Luiz Otávio ressalta que sem um diferencial não tem como ser um profissional de sucesso. " "Aqui em Juiz de Fora as áreas já estão com poucas vagas. A não ser que você tenha um diferencial para concorrer com outros colegas, não basta ser mais um. Um conselho que dou é procurar um grande centro e levar para lá o seu lado diferenciado"", diz.

Áreas de atuação

Luiz Otavio, farmacêutico Nas farmácias e drogarias o papel do farmacêutico é orientar os clientes quando for solicitado. "Falamos de efeitos colaterais, posologias, validade do remédio, se há problema de tomar algum medicamento, sendo que você já faz uso de outro. Prestamos um auxílio ao público e para mim essa é parte mais gratificante da nossa profissão", destaca.

É importante lembrar que algumas farmácias não seguem as normas da legislação. Vender medicamentos sem receitas, similares aos pedidos pelo médico ou indicar remédios fogem da função do farmacêutico. ""Tem muita farmácia que faz isso, mas está errado. Outras pagam um farmacêutico só para assinar o documento de responsável pelo local, sem ele precisar ficar lá. Isso é proibido por Lei"", destaca Luiz.

Essas são algumas das normas que as farmácias devem seguir. Já mudando um pouco o local trabalho, o farmacêutico aparece também na área hospitalar. Todos os hospitais devem ter pelo menos um profissional da farmácia. Nesse caso, ele será o responsável para ver se os medicamentos estão sendo usados corretamente, vai dosar a quantidade de remédio de cada paciente e comandar esse setor do hospital.

Liana Vianna, farmacêutica Outra área é a da indústria farmacêutica. Lá, o profissional testa os remédios para ver se estão dando o efeito necessário e acompanha a fabricação dos medicamentos. E atuando de forma parecida, porém personalizada e em escala individual estão as farmácias de manipulação. A farmacêutica, Liana Vianna destaca que nesse cargo a atenção é essencial. " "Temos que ficar em alerta para garantir controle de qualidade, vistoria de laboratório e eficiência dos remédios. No caso, a responsabilidade é grande já que os remédios são feitos de forma separada para cada paciente"", observa.

Para conseguir o remédio em uma farmácia de manipulação a pessoa deve levar a receita médica que autorize os farmacêuticos a fazê-lo. Mesmo com a maior tensão pela responsabilidade, Liana ressalta que a essência da profissão é a mesma. ""O mais importante é saber dar assistência farmacêutica ao cliente. Claro, sabendo tudo sobre os remédios e podendo passar informações que ajudem a resolver os problemas de saúde de cada um"", conta.

Liana também faz ressalvas quando o assunto é mercado de trabalho. ""O mercado de trabalho é muito acirrado em Juiz de Fora. Formei recentemente, e da minha turma só uns quatro estão com emprego de farmacêuticos. Muitos já estão até tentando concursos em outras áreas"", revela.
Na Faculdade

Os interessados em fazer o curso de farmácia vão encarar muito estudo pela frente. Parte teórica e prática andam lado a lado praticamente durante todo o curso. A duração é de quatro mas, muitas vezes, como é o caso da UFJF, há a opção de conseguir uma especialização, em bioquímica ou análises clínicas, se estudar por mais um ano.

Mara, enfermeira A coordenadora de um dos cursos de farmácia da cidade, Soraida Sozzi, explica que o curso de farmácia hoje, é mais voltado para uma questão generalista. ""O curso engloba todas as áreas de atuação de um farmacêutico. A área de assistência prestada pelos profissionais da área, no relacionamento direto com os clientes é o ramo mais promissor para esse mercado"", acredita.

""O ramo de atividade é enorme: práticas investigativas, concursos da Anvisa, análises de alimentos, da qualidade da água, há muito o que fazer na área de ensino e pesquisa, no setor de análises clínicas e também na Indústria farmacêutica"", enaltece Soraida. Para quem gostou é arregaçar e começar a estudar.