Alguma vez você já encontrou dois cursos com nomes parecidos e ficou sem saber o que fazia cada um? Ou teve a impressão de que duas carreiras ensinam coisas muito parecidas? Para você não se confundir e acabar desperdiçando meses de estudo antes e depois do vestibular, vale a pena prestar atenção à ênfase particular de cada graduação.

Veterinária x Zootecnia

Alguns estudantes ainda confundem o zootecnista com o médicoveterinário, já que ambos os profissionais lidam com animais, mas asduas profissões apresentam enfoques distintos. O médico veterináriopode trabalhar em três grandes áreas: prevenção e tratamento dasdoenças que afetam os animais, saúde pública (aplicando técnicas para ocontrole de zoonoses, desenvolvendo vacinas para a erradicação destasenfermidades, inspecionando as condições de higiene e conservação dealimentos de origem animal) e produção animal (trabalhando paraaumentar a produtividade animal a partir da criação orientada debovinos, suínos, aves, peixes etc.). Já o zootecnista atuaprincipalmente no controle da reprodução, do aprimoramento genético eda nutrição de animais criados com fins comerciais.

“Tanto o veterinário quanto o zootecnista são capacitados paratrabalhar com produção animal, ou seja, com a exploração econômica deanimais. Mas a Veterinária é um curso mais amplo. O médico veterináriotambém pode trabalhar na área clínica e na fiscalização sanitária”,explica o coordenador do curso de Zootecnia da Universidade Federal doParaná (UFPR), Alex Maiorka.

Entre as funções do zootecnista estão formular dietas específicaspara os rebanhos, acompanhar a produção de rações, realizarcruzamentos, desenvolver programas de inseminação artificial e definira melhor época para o abate. As oportunidades de trabalho para esteprofissional estão concentradas em fábricas de rações e complementosalimentares, laboratórios, indústrias de abate, frigoríficos, fazendase cooperativas de criadores. Na UFPR, tanto o curso de Zootecnia quantoo de Medicina Veterinária têm duração de cinco anos, com aulas emperíodo integral.

Gestão da informação x Sistemas de Informação

Apesar de apresentarem nomes muito parecidos, os cursos de Gestão daInformação e de Sistemas de Informação são bem diferentes. Enquanto ogestor da informação coleta, seleciona, classifica e avalia os dados deuma empresa, o profissional de Sistemas de Informação torna essematerial disponível aos usuários por meio de um programa de computador.“O graduado em Sistemas de Informação está capacitado a analisar epropor a automação de processos administrativos de instituições. Pode,por exemplo, criar softwares de controle dos estoques de uma empresa ouque informem as contas que ela tem a pagar”, exemplifica o coordenadordo curso de Sistemas de Informação da Universidade Positivo (UP),Francisco Javier Kantek Garcia Navarro.

O currículo básico do curso de Sistemas de Informação é carregado decálculos matemáticos. Entre as matérias específicas estão Programação,Sistemas Operacionais e Engenharia de Software. O curso de Gestão daInformação mescla disciplinas das áreas de administração, ciência dainformação e informática. Entre as matérias estudadas estão Sociologia,Língua Portuguesa, Inglês, Princípios de Administração, Estatística eInformática Aplicada. “O gestor de informação trabalha comprofissionais de informática e com administradores, por isso precisacompreender essas áreas”, explica a diretora do Departamento de Gestãoda Informação da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Helena deFátima Nunes Silva.

Eng. da Computação x Ciência da Computação

Para quem tem aptidão para trabalhar com computador e informática, oprimeiro “bug” pode acontecer na escolha errada da graduação. O Centrode Ciências Exatas e de Tecnologia da Pontifícia Universidade Católicado Paraná (PUCPR) oferece dois cursos que costumam confundir os alunospela semelhança dos nomes: Engenharia da Computação e Bacharelado emCiência da Computação.

O diretor do curso de Ciência da Computação, Vidal Martins, explicaque este curso tem duração de quatro anos e capacita o estudante adesenvolver softwares (programas de computador) de baixa, média e altacomplexidade. Já no curso de Engenharia, com duração de cinco anos, oaluno não apenas desenvolve softwares, como projeta e constróihardwares (a estrutura física da máquina). A engenharia proporciona umaformação mais voltada para a eletrônica, com conhecimentos menosaprofundados em sistemas. “O desenvolvimento de softwares complexos,como jogos de computador, exige uma programação elaborada, quenormalmente está ligada ao trabalho do cientista da computação”, afirmaa coordenadora do curso de Engenharia da Universidade TecnológicaFederal do Paraná (UTFPR), Myriam Ragattieri Delgado.

O estudante Felipe Paraizo Rodrigues Vieira, 24 anos, diz que agraduação em Engenharia apresenta maior carga horária em disciplinascomo Matemática e Física. Ele cursou um ano e meio da graduação naPUCPR e por motivos financeiros pediu transferência para o curso deCiência da Computação da mesma universidade. Em sua avaliação, nãobasta ser um usuário de computador ou saber navegar pela internet parase dar bem nesses cursos. “O aluno precisa gostar de cálculo”, alerta.

Educação Física x Esporte

O curso de Educação Física oferece duas modalidades de formação:licenciatura e bacharelado. O diploma de licenciatura permite que oprofissional lecione nos ensinos infantil, fundamental e médio. Obacharel, por sua vez, organiza e executa programas de atividadesfísicas em academias de ginástica e clubes, realiza atendimentosindividuais como personal trainer e auxilia na recuperação de pacientesinternados em hospitais. Esse profissional também prepara crianças eadultos para as inúmeras modalidades esportivas, disputando vagas nomercado de trabalho com o graduado no curso de Esporte. “O profissionalformado em Esporte trabalha em campos específicos do bacharelado emEducação Física. Sua atuação é focada na formação e no preparo físicode atletas e equipes para competições esportivas”, descreve ocoordenador do curso de Educação Física da Universidade TecnológicaFederal do Paraná (UTFPR), Sérgio Roberto Molletta.

O bacharel em Esporte também pode trabalhar na área de marketingesportivo, buscando patrocinadores para um clube ou esportista edivulgando torneios. Outra possibilidade é administrar times em clubese associações. “O graduado no curso de Esporte recebe formação maissólida na área de gestão esportiva do que o profissional de EducaçãoFísica. Por outro lado, ele normalmente não é preparado para trabalharem academias ou como personal trainer”, afirma Molletta.

Formado em 2004 no curso de Esporte da Universidade Estadual deLondrina (UEL), Luiz Gustavo Nascimento Haas conta que optou pelagraduação por sua especificidade. “Não tinha vontade de trabalhar emescolas, dando aulas de Educação Física. Quando fui tirar minhasdúvidas a respeito dos cursos, fui informado de que o bacharelado emEsporte não era voltado para essa área. O curso é direcionado para aárea esportiva, desde a iniciação esportiva até o treinamento de altorendimento”, explica ele, que conseguiu seu primeiro emprego comotreinador de basquete. “Depois montei uma empresa de eventos esportivosem Londrina, mas fui obrigado a sair devido à aprovação em um mestradoem Gestão Desportiva em Portugal. Atualmente estou terminando minhadissertação, que pretendo apresentar no fim deste ano, e acabo deiniciar um trabalho na Federação Paranaense de Tênis”, diz.