Desde crianças, costumamos ouvir falar de fósseis e que o petróleo é um "combustível fóssil". Atualmente,ouvimos muito falar que "a queima de combustíveis fósseis aumenta oefeito estufa". Vamos então entender como isso tudo se processa?

Formação:

Quando seres vivos morrem e são soterrados rapidamente por lama, podem morrer e ser decompostos muito lentamente na ausência de oxigênio.Ao passar de milhares de anos de decomposição, podem gerar o petróleo.No caso das grandes bacias oceânicas, o petróleo em questão vem deanimais marinhos mortos, algas, e protozoários foraminíferos.O petróleo produzido acaba ficando preso em minúsculos orifícios dealgumas rochas sedimentares, como acontece com a água numa esponja decozinha.

Daí então a necessidade de perfurar a rocha até atingir o"bolsão" de petróleo, deixando-o fluir (prospecção de petróleo). Normalmentedevido à alta pressão a que está submetido no interior da terra, quandoa perfuração atinge o tal "bolsão", o petróleo jorra sozinho em direção à superfície, como um tubo de desodorante que tem seu frasco pressionado. (Lembrando que esse "bolsão" não se trata de um "lago subterrâneo", e sim uma área de rocha esponjosaonde o petróleo se encontra absorvido. Se existissem "buracos" nointerior da terra, quando o petróleo fosse removido, a terra cederia...)


Campo de Prospecção de Petróleo


Composição Química:

A composição do petróleo não é sempre a mesma e depende do local de extração. Apresenta centenas de compostos químicos diferentes. Sua coloração nem sempre é preta, variando do marrom ao verde-escuro. O petróleo é composto por diferentes tipos de hidrocarbonetos, como por exemplo o metano (CH4) - componente do gás natural - e o octano (C8H18) - componente da gasolina e óleo diesel.

Os petróleos podem ser parafínicos (90% de alcanos), aromáticos (25 a 30% de hidrocarbonetos aromáticos) , naftalênicos (15 a 20% de cicloalcanos).Dependendo da composição do petróleo, diferentes compostos sãoextraídos. Pode ser produzido a partir do petróleo: gás natural, óleo diesel, óleo lubrificante, graxa, nafta, querosene, gasolina, GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), asfalto, parafina, além de matéria prima para a fabricação de plásticos , isopores, borrachas sintéticas, fibras têxteis, detergentes, fertilizantes, espumas, inseticidas, tintas, resinas, etc. Entendem o porquê do petróleo ter a importância que tem no mercado mundial?


Metano (CH4) e Octano (C8H18)


Processamento:

A principal técnica de separação aplicada ao petróleo é a destilação fracionada. É como uma destilação comum, onde o petróleo é vaporizado e, em seguida, condensado. Como o petróleo écomposto por várias substâncias diferentes, com faixas de ebuliçãodiferentes, basta aquecê-lo em diferentes temperaturas. Cada uma dassubstâncias que o compõem vai evaporar em uma temperatura específica.Assim são obtidas frações na forma de gasolina, de querosene e óleo diesel. O craqueamento catalítico gera outros subprodutos de interesse comercial.

Craqueamento significa "quebra" do petróleo, neste caso, com o auxilio de catalizadores.Eles permitem que hidrocarbonetos grandes sejam quebrados em outrosmenores. Eu já trabalhei dentro de uma refinaria de petróleo (REDUC- Refinaria de Duque de Caxias), onde podia observar todos essesprocessos na prática, além de testes com os combustíveis produzidos. Agasolina, por exemplo, depende de um fator chamado de "octanagem", que determina a qualidade da queima da mesma. Uma alta octanagem permite uma queima eficiente, deixando poucos resíduos. Já uma baixa octanagem produz uma "borra" que pode entupir os dispositivos mecânicos de automóveis e outras máquinas à gasolina.

Fracionamento do Petróleo


Poluição:

Mas por que o petróleo tem sido visto como o grande vilão dos dias de hoje? Sabe-se que o CO2 (Gás Carbônico ou Dióxido de Carbono) é o grande causador do efeito estufa. Como podem ver, ele é formado por vários tipos de hidrocarbonetos. Esses hidrocarbonetos, quando queimados, liberam gás carbônico (CO2). Uma molécula de "hexano", por exemplo, é capaz de liberar 6 moléculas de CO2, enquanto uma molécula de "octano", libera 8 moléculas de CO2. Conseguem imaginar o que faria uma molécula de hidrocarboneto com mais de 8 carbonos?

Para se ter uma idéia, uma molécula de glicose, queimada na respiração, libera apenas 6 moléculas de CO2. Imaginem todo o gás carbônicoque os seres vivos liberam diariamente, somados aos muitos que sãoproduzidos pela queima da gasolina dos automóveis, os combustíveis deaviões, de máquinas industriais, além de queimadas que são feitas... Émuito CO2na atmosfera!

O problema maior é que, diferente da respiração que écontra-balanceada pela fotossíntese vegetal (os vegetais absorvem o CO2no processo de fotossíntese, certo?), a queima do petróleo e doscombustíveis fósseis em geral, não tem essa compensação! Isso porque opetróleo se encontrava soterrado em algum lugar. É como pegar toneladasde CO2 enterradas e começar a jogar na atmosfera!

É óbvio que vai dar algum problema... É diferente da queima de biocombustíveis, os quais são produzidos a partir de óleos vegetais. Todo biocombustível (álcool, biodiesel, biogás, etc.), ao ser queimado, vai liberar CO2 como qualquer outro combustível. Entretanto, para a sua produção, é necessário o plantio de centenas de vegetais (mamona, girassol, milho, cana-de-açúcar, etc.). E esses vegetais reabsorvem todo o CO2 liberado na queima do combustível. Portanto, é por isso que os biocombustíveis não são totalmente "limpos", mas são mais "ecologicamente corretos" que os combustíveis fósseis.

OBS: Além disso tudo, também é gerado dióxido de enxofre (SO2) na queima do petróleo, que provoca chuva ácida.