1 - (UFPE) A crise do sistema feudal acelerou-se no século XIV. Esta crise manifestou-se de várias maneiras. Assinale a alternativa incorreta.
 
a) Devido à forma de exploração utilizada durante toda a Idade Media houve esgotamento do solo e conseqüentemente a produção agrícola diminuiu.
b) A queda da produção agrícola teve como conseqüência imediata a subida dos preços.
c) Com a falta de produtos os mercados tendiam a fechar nas cidades e a fome atingiu também a população do campo.
d)  Neste período a peste negra assolava em toda a Europa causando a morte da população.
e) Com a diminuição da taxa de crescimento populacional os preços tenderam a baixar e os senhores feudais e nobres mantiveram seu padrão econômico.
 
2 – (CEFET - MG) A peste negra, que dizimou grande parte da população européia no século XIV, provocando escassez de mão-de-obra e alimentos, e sendo uma das causas da decadência do feudalismo, pode ser descrita como:
a) a peste bubônica, transmitida por ratos infectados.
b) uma seca violenta que devastou as lavouras.
c) Nuvens de gafanhotos provenientes do norte da África.
d) a cólera, trazida pelos cruzados quando retornavam da terra santa.
e) fungos que surgiram pelo excesso de umidade, atacando as plantações de cereais.
 
3. (Fatec-SP) Dentre as causas da desagregação da ordem econômica feudal, é possível mencionar:
a)   a capitalização intensa realizada pelos artesãos medievais e a criação de grandes unidades industriais, que acabaram subvertendo a economia feudal.
b)  o desinteresse da nobreza e do clero pela manutenção do Feudalismo, pois esses setores se beneficiariam com o advento da sociedade baseada no lucro.
c)   o surgimento das corporações de oficio e a substituição do “justo preço”, que restringia as possibilidades de lucro, pelo preço de mercado.
d)  o revivescimento do comércio e a conseqüente circulação monetária, que abalaram a auto-suficiência da economia senhorial.
e)   a substituição gradativa do trabalho escravo pelo trabalho assalariado dentro do feudo, o que criou condições para a constituição de um sistema de mercado dentro da própria unidade feudal.
 
4. (UFMG) Todas as alternativas apresentam fatos que podem ser associados à decadência do feudalismo, EXCETO:
a) a ocorrência da fome e da Peste Negra que dizimaram a Europa na primeira metade do século XIV.
b) o aumento do número de cidades tanto de origem rural como surgidas de acampamentos de mercadores.
c) o desenvolvimento da cavalaria, quase empenhou nas Cruzadas e difundiu pelo mundo os valores cristãos.
d) o desenvolvimento das atividades comerciais nos mares Mediterrâneo, Negro, do Norte e Báltico.
e) uma série de insurreições e perturbações sociais que ocorreram na Europa Ocidental e atingiram a cidade e o campo.
 
5. (PUC-MG) Durante a Baixa Idade Média (séc. XI - XV), o modo de produção feudal conheceu o seu apogeu, mas também foi nesse período que as contradições inerentes a esse sistema avolumaram-se, determinando a sua superação. São fatores responsáveis pela desarticulação das estruturas feudais, EXCETO:
a) brusca queda da produtividade na agricultura, devido resistência dos senhores feudais a técnicas agrícolas avançadas.
b)desenvolvimento da atividade mercantil tanto a nível inter-regional quanto a longa distância.
c)crescente urbanização, conduzindo a uma gradual especialização da economia, caracterizada pela cisão entre campo e cidade.
d)surgimento da burguesia como um novo segmento social que foi se definindo no rígido contexto da hierarquizada sociedade feudal.
e)organização de expedições militares cristãs contra muçulmanos no Oriente Médio, pondo fim ao domínio secular dos árabes sobre o Mediterrâneo.
 
6. (PUC-MG) Nos séculos XIV-XV, a sociedade feudal experimentou uma grave crise geral, que abalou profundamente as estruturas que sustentavam essa sociedade, abrindo espaços para a criação de relações capitalistas no interior das sociedades européias.
Os efeitos da depressão dos séculos XIV-XV sobre a sociedade européia foram os seguintes, EXCETO:
 
a) a expansão marítima dos séculos XV e XVI, rompendo os estreitos limites do comércio medieval.
b) a centralização do poder nas mãos do rei, em contrapartida ao poder pulverizado dos senhores feudais.
c) o surgimento de uma nova cultura mais urbana e laica, em oposição à rural-religiosa do feudalismo.
d) a busca de urna nova espiritualidade, possibilitando a ruptura da unidade cristã através da Reforma.
e) a ocupação do poder político pela burguesia, sustentada no crescente enriquecimento dessa classe.
 
7. (MACKENZIE-SP) A desintegração do Modo de Produção Feudal na Baixa Idade Média foi, em grande parte, conseqüência:
 
a) do crescimento do prestígio da Igreja, que era o sustentáculo ideológico do sistema.
b) do sucesso militar do movimento das Cruzadas, e da bem sucedida expansão da sociedade feudal pelo Oriente.
c) das transformações das relações servis de produção em assalariadas, do comércio e da economia monetária, que aceleraram as contradições internas do sistema.
d) do crescimento da população européia no século XIV e da grande oferta de mão-de-obra barata que este fato gerou economicamente.
e) da consolidação do localismo político, fruto direto da Guerra dos Cem anos que favoreceu a nobreza feudal.
 
08 -No século XIV. “o peso das infelicidades”, numa crise de grandes proporções. atinge a Europa Ocidental, abalando profundamente os pilares do feudalismo. São efeitos dessa crise, EXCETO:
 
a) ampliação do poder temporal do Papado num mundo caótico e vazio de autoridades leigas.
b) redução da produção agrícola devido à dizimação da população rural atingida pela peste negra,
c) enfraquecimento do poder aristocrático como decorrência da queda dos rendimentos senhoriais.
d) expansão do comercio a longa distância, para suprir as carências da sociedade européia.
e) revoltas populares nos campos e cidades como e conseqüência do aprofundamento da exploração.
 
09 — São condições gerais da Europa Ocidental no decorrer da crise do feudalismo. EXCETO:
 
a) A, transformação de relações servis em contratuais em algumas áreas coexistindo com o recrudescimento da servidão em outras.
b) A melhoria dos padrões técnicos. Principalmente no cultivo da terra, e a procura de novas regiões para as atividades agrícolas.
e) A crise de retração no desenvolvimento das forças produtivas durante o século XIV. ligadas a diminuição da população.
d) As revoltas camponesas, forma de protesto dos servos contra a pressão, sobre eles exercida pela nobreza,. em função do declínio das rendas senhoriais.
e) A decadência das atividades comerciais e da vida urbana. devido à escassez monetária e à condenação da usura feita pela Igreja.
 
10 - “A destruição do feudalismo depende. em última analise,. da própria situação interna do sistema” - Karl Marx
 Com relação às razões que levaram o modo de produção feudal ao desaparecimento. essa frase de Marx possibilita a seguinte interpretação:
 
a) A expansão marítima e o mercantilismo foram os fatores fundamentais da crise feudal.
h) O feudalismo foi golpeado de forma decisiva com a criação dos Estados Nacionais, dando inicio à modernidade.
e) O Renascimento cultural pode ser caracterizado como sendo o elemento chave para explicar a crise feudal do século XIV.
d) A superexploração do trabalho servil foi o motor da crise do feudalismo. abrindo caminho para a sua lenta derrocada.
e) A Reforma religiosa, especialmente a anglicana, destruiu o feudalismo, ao atacar os fundamentos hierárquicos da Igreja Católica.
 
11 (UNIBH – 1999)  - “O Feudalismo europeu ocidental entrou num período de crise aguda no século XIV e daí por diante se desintegrou, com maior ou menor rapidez, em diferentes regiões”. (SWEEZY, Paul et al. A transição do feudalismo para o capitalismo – um debate.)
 
As razões fundamentais dessa crise foram, EXCETO,
 
a) a superexploração do trabalho dos servos pelos nobres, que exigiam deles um maior tempo de trabalho.
b) as revoltas camponesas e urbanas atribuídas à miséria que passou a caracterizar a vida de camponeses e trabalhadores.
c) o esgotamento das forças produtivas acentuado pela crise demográfica derivada da Peste Negra.
d) a descoberta de novas minas de ouro e prata em territórios alemães, gerando a disputa entre várias nações pelo seu domínio.


12 (UNIBH – 1999) - Leia o texto abaixo, com atenção. Suas afirmações podem ser falsas ou verdadeiras.
 
 “A formação dos Estados Nacionais, embora ocorrendo de forma diversificada nas diversas regiões da Europa, não implicou a superação do modo de produção feudal. No entanto, [eles] constituíram mais um elemento da nova ordem que se construía na Europa Ocidental, nos séculos XV-XVI”.
 
O texto acima pode ser considerado
 
a) totalmente correto.
b) totalmente falso.
c) parcialmente correto, já que a formação dos Estados Nacionais implicou a superação do feudalismo.
d) parcialmente correto, já que não havia uma “nova ordem” sendo constituída na Europa no período citado.
 
13 – (FUVEST – 1999) - 22 - A peste, a fome e a guerra constituíram os elementos mais visíveis e terríveis do que se conhece como a crise do século XIV. Como conseqüência dessa crise, ocorrida na Baixa Idade Média,
 
a) o movimento de reforma do cristianismo foi interrompido por mais de um século, antes de reaparecer com Lutero e iniciar a modernidade;
b) o campesinato, que estava em vias de conquistar a liberdade, voltou novamente a cair, por mais de um século, na servidão feudal;
c) o processo de centralização e concentração do poder político intensificou-se até se tornar absoluto, no início da modernidade;  
d) o feudalismo entrou em colapso no campo, mas manteve sua dominação sobre a economia urbana até o fim do Antigo Regime;
e) entre as classes sociais, a nobreza foi a menos prejudicada pela crise, ao contrário do que ocorreu com a burguesia.
 
14.(PUC – MG – 1997)  Entre os séculos XII e XIV, ocorreram intensas mudanças na vida da população da Europa Ocidental, quebrando a “pureza” do feudalismo. Dentre elas, destacam-se, EXCETO:
 
a) enriquecimento da classe mercantil, que supera o poder político da aristocracia feudal.  
b) intensificação das relações monetárias, rompendo a base natural da economia feudal.
c) crescimento da atividade comercial, devido ao aumento do volume dos excedentes.
d) aumento da produção agrícola, provocando a queda da taxa de mortalidade.
e) formação das corporações de ofício, defendendo o trabalho artesanal nas novas cidades.
 
Para as questões 15 e 16 analise o gráfico abaixo:
 
 
15. (PUC – MG – 1998)  A partir da análise do gráfico, período: século XIV – XVI, que se refere ao período da transição feudal-capitalista na Europa Ocidental, conclui-se que, EXCETO:
 
a) a crise de meados do séc. XIV favorece o aumento do salário dos trabalhadores.
b) no séc. XV, as flutuações têm uma leve tendência à estabilização.
c) na 2 metade do séc. XIV, os salários estabilizam-se.
d) a crise do séc. XIV, contraditoriamente, melhora a vida dos assalariados.
e) a estabilização dos salários, no séc. XV, reduz significativamente o poder de compra.
 
16. (PUC – MG – 1998)  O gráfico, no geral, ainda nos demonstra que:
 
a) o processo inflacionário cresce acelerado no final do século XVII.  
b) o aumento do salário garante o poder de compra dos trabalhadores.
c) o nível de vida dos trabalhadores tende a ser cada vez melhor.
d) o processo de colonização da América amplia o poder de compra.
e) a escravidão na América provoca queda dos salários na Europa.
 
17 – (PUC – MG – 1998) No período da transição do feudalismo ao capitalismo, a burguesia européia no geral:
 
a) favorece o declínio das velhas relações feudais.  
b) assume uma posição nitidamente revolucionária.
c) coloca-se frontalmente contra a Igreja Católica.
d) alia-se ao campesinato contra o poder da realeza.
e) “abre fogo” contra os monopólios coloniais.
 
18 – (PUC – RS – 1998) Dentre as causas da crise do sistema feudal, podem-se apontar as seguintes:
 
a) a reabertura do mar Mediterrâneo, o desenvolvimento de uma economia comercial e o fortalecimento do poder real.
b) o desenvolvimento de uma economia comercial, o enfraquecimento do poder da Igreja e o fortalecimento do regime servil de trabalho.
c) a aliança da burguesia com os senhores feudais, o combate aos privilégios da nobreza e a cisão entre a Igreja e o Estado.
d) o fortalecimento do poder real, o combate aos privilégios da nobreza e o fim da sociedade estamental.
e) a reabertura do mar Mediterrâneo, a retração do comércio e as lutas entre católicos e evangélicos.
 
19 – (UFLA – 2000) “Há um consenso entre os historiadores que a partir de meados da Baixa Idade Média, teria se iniciado o processo de crise do sistema feudal, então predominante na Europa Ocidental."
 
São características da crise feudal, EXCETO
 
a) constantes invasões de povos bárbaros na Europa, que teriam aumentado a partir do século V;
b) expansão predatória da exploração de terras, que teria contribuído para o desgaste de sua fertilidade;
c) intenso desmatamento, que  teria gerado a alternância de períodos chuvosos e secos e alterações climáticas e ecológicas;
d) diminuição da produção agrícola associada ao encarecimento dos produtos e ao esgotamento das minas de ouro e prata da Europa;
e) aumento do número de nobres e de suas necessidades de consumo, que teria aumentado consideravelmente o grau de exploração sobre a massa camponesa.
 
20 – (UFPEL – 1999)
“Diante da crise agrária fazia-se necessária a conquista de novas áreas produtoras. Diante da crise demográfica fazia-se necessário o domínio sobre as populações não-européias. Diante da crise monetária fazia-se necessária a descoberta de novas fontes de minérios. Diante da crise social fazia-se necessário um monarca forte, controlador das tensões e das lutas sociais. Diante da crise político-militar fazia-se necessária uma força centralizadora e defensora de toda a nação. Diante da crise clerical fazia-se necessária uma nova Igreja. Diante da crise espiritual fazia-se necessária uma nova visão de Deus e do homem. Começavam os novos tempos.”
 
Fonte: FRANCO JR., Hilário.  O Feudalismo, São Paulo: Brasiliense. p. 93
 
As crises que são referidas no texto caracterizaram:
a) a transição do feudalismo para o capitalismo comercial, na Europa, no início da Idade Moderna.
b) a formação do feudalismo, na Europa Ocidental, no início da Idade Média.
c) a substituição do escravismo clássico pela servidão, na área geográfica correspondente ao antigo Império Romano.
d) o pleno domínio econômico, político e social da burguesia européia durante a Revolução Industrial.
e) a manutenção da hegemonia da Igreja Católica e a revitalização do poder político dos senhores feudais na Europa renascentista.
 
21 – (UNIFOR – 1999) "Deixai os que outrora estavam acostumados a se bater contra os fiéis em guerras particulares, lutar contra os infiéis (...). Deixai os que até aqui foram ladrões tornarem-se soldados. Deixai aqueles que outrora se bateram contra seus irmãos e parentes lutarem agora contra os bárbaros, como devem. Deixai os que  outrora foram mercenários, a baixos salários, receber agora a recompensa eterna. (...) uma vez que a terra que habitais, fechada de todos os lados pelo mar e circundada por picos de montanhas, é demasiado pequena para a vossa grande população: a sua riqueza também não abunda, mal fornece o alimento necessário aos seus cultivadores (...). Tomai o caminho do Santo Sepulcro; arrebatai-o àquela raça perversa e submetei-o a vós mesmos."
 
O texto é um trecho do Sermão do Papa Urbano II, convocando os cristãos a organizarem a Cruzada. De acordo com as palavras do papa pode-se deduzir que as Cruzadas, além da libertação do Santo Sepulcro, visavam
 
a)conter o crescimento populacional na Europa e a invasão muçulmana, na Península Ibérica.
b) anular o interesse da Igreja na união da cristandade e o crescimento da produção agrícola.
c) aliviar as tensões internas da cristandade e expandir o seu território.
d) incentivar os cristãos a lutarem contra os infiéis e a estimular o interesse do clero pelo comércio oriental.
e) glorificar o esforço da Igreja em combater as  guerras entre os nobres e a conseqüente diminuição da  população.
 
22. (Cesgranrio 97) Entre os séculos XV e XVIII, a transição do feudalismo para o capitalismo, no mundo ocidental, engloba um conjunto de transformações econômicas e sociais, entre as quais identificamos corretamente a(o):
a) fragmentação da propriedade fundiária senhorial e monárquica.
b) substituição da produção das manufaturas pelo sistema de corporações de ofícios.
c) supremacia das rotas terrestres e mediterrâneas no comércio com o oriente.
d) fortalecimento dos laços de servidão e vassalagem.
e) desenvolvimento da vida urbana através das atividades comerciais.
 
23. (Ufrs 97) Entre os fatores que explicam o renascimento do comércio, a partir do século XI na Europa ocidental, podemos apontar:
 
I - A invasão da Europa por diversos povos bárbaros que estimularam as trocas comerciais.
II - Uma renovação das práticas agrícolas com a difusão de instrumentos de trabalho como o arado de ferro, a foice e a enxada.
III - O movimento das cruzadas que, ao reabrir o Mediterrâneo, intensificou os contatos com o Oriente.
 
Quais estão corretos?
a) Apenas I
b) Apenas I e II
c) Apenas I e III
d) Apenas II e III
e) I, II e III
 
24. (Ufes 96) O período histórico comumente designado como Transição do Feudalismo para o Capitalismo caracterizou-se por
a) mão-de-obra escrava, grandes extensões de terras dedicadas à monocultura e produção estabelecida pela demanda do mercado interno.

b) escravismo antigo, terra de propriedade estatal com usufruto da elite agrária e comércio externo determinado pelo Estado.
c) proletariado urbano, concretização dos "trustes" e produção industrial estabelecida por uma demanda artificial.
d) acumulação primitiva do capital, liberação da mão-de-obra do campo para a cidade e crescente progresso da técnica aplicada à produção.
e) produção de subsistência, propriedade comunal dos campos e comércio estabelecido por rotas domésticas.
 
25. (Mackenzie 97) "Entre os movimentos mais conhecidos da Idade Média estão as Cruzadas, que foram originalmente expedições organizadas pela Igreja, contando com o apoio dos dirigentes políticos das principais monarquias feudais"
                               (Marco Antônio de Oliveira Pais)
 
As Cruzadas no Ocidente tinham por objetivo:

a) reconquistar os territórios sagrados do cristianismo na Palestina e reunificar o mundo cristão abalado com o Cisma do Ocidente.
b) libertar do domínio muçulmano o Sacro Império Romano Germânico do Ocidente através da união dos reis, Ricardo Coração de Leão, Felipe Augusto e Frederico Barba Ruiva.
c) expulsar os muçulmanos da Península Ibérica, promover a expansão cristã nas terras eslavas e combater os hereges albigenses na França.
d) libertar as cidades de Gênova e Veneza do domínio islâmico e expulsar os mouros da região de Flandres, reabrindo as rotas comerciais.
e) conquistar Jerusalém, organizar na região o sistema feudal e criar ordens monásticas como a dos Templários e dos Hospitalários.

 



 

GABARITO


1-E / 2-A / 3-D / 4-C / 5-A / 6-E / 7-C / 8-A / 9-E / 1

0-D / 11 - D / 12 - A / 13 - C / 14 - A / 15 - E / 16 - A /

17 - A / 18 - A / 19 - A / 20 - A / 21 - C / 22 - E /

23 - D / 24 - D / 25 - C