Como princípio, cabe marcar a diferença entre a classe de uma palavra e a sua função em uma oração. Para fazer isso, apresentar-se-á, inicialmente uma lista de classes, contraposta a uma lista de funções. 
      

CLASSE FUNÇÃO
Substantivo Sujeito
Adjetivo Predicado
Verbo Predicativo do Sujeito
Advérbio Adjunto Adnominal
Pronome Complemento Nominal
Numeral Complemento Verbal
Artigo Objeto Direto
Preposição Predicativo do Objeto
Conjunção Objeto Indireto
Interjeição Adjunto Adverbial
  Vocativo
  Aposto
 
Nota-se, com essa divisão, que o que uma categoria é bem diferente da outra. De fato, cada uma é utilizada com fins distintos dos da outra. Vamos tentar captar essa diferença por meio de exemplos: a palavra mesa, apresentada dessa maneira, já pode ser classificada em uma das classes, mas não em uma das funções. Dentro do primeiro grupo, ela pode ser classificada sem maiores problemas como um substantivo.

No segundo grupo, no entanto, não se pode dizer que ela seja, por exemplo, sujeito. Ela o seria, de fato, na oração a mesa é grande, mas faria parte de um adjunto adverbial na oração sentei na mesa. Depreende-se, daí, que a classe de uma palavra é determinável sem ela estar em uma oração (contanto que ela tenha um significado determinado). Já a função sintática só é determinável no contexto de uma oração.