Quem pretende ir bem na redação do Enem pode até cometer (pequenos)erros de português, mas há algo que o avaliador não vai perdoar: odesrespeito aos direitos humanos.

Pelas regras da redação, defendertemas como nazismo e racismo, por exemplo, faz o aluno perder pontos. "Não tem como defender esse tipo de tema. Se o fizer, o aluno vaimostrar que é radical. E toda forma de radicalismo é condenada numaredação" disse Maria Aparecida Custódio, professora do laboratório deredação do rede de colégios Objetivo.

Ser explícito quanto ànecessidade de respeitar direitos humanos é exigência do novo ExameNacional do Ensino Médio (Enem), segundo ela. Vestibulares, comparou,não costumam fazê-lo de uma forma etão específica quanto promete fazera nova avaliação.

O diretor de avaliação da educação básica do Inep(órgão responsável pelo Enem), Heliton Tavares, diz que essas regrasajudam a direcionar o candidato que faz a redação. Parâmetros estão nosite do Enem Os parâmetros da redação estão no site do Enem, mas aconsulta às informações é complicada: é preciso acessar a última dassete páginas de um arquivo em formato PDF.

O link está no endereçowww.enem. inep.gov.br/portaria enem20092.pdf . Para ter um bomdesempenho, o aluno deve se ater ao tema exigido e saber argumentar.Expor pontos positivos e negativos em relação ao assunto abordado éimportante para mostrar senso crítico, afirma a professora.

O candidatodeve, ainda, fugir de soluções utópicas para o tema da redação. Se oEnem pedir a solução para a sujeira nos municípios, por exemplo, nãobasta escrever que o problema seria resolvido se cada cidadão cuidassedo seu próprio. "O aluno tem que abordar a questão de maneira racional" destaca a professora Maria Aparecida Custódio.