Maconha

Componentes Químicos e/ou Farmacológicos e/ou Medicinais: O que determina o efeito psico-ativo (alteração da mente) da planta, é o tetra-hidro-canabinol (THC). E quem pensa que a maconha tem propriedades medicinais, erra. Não há nenhuma verdade científica que a droga sirva para o tratamento de reumatismo e doenças crônicas. Estas falsas conclusões só desorientam as pessoas que pensam em beneficiarem-se com o uso da droga.

Efeitos: O efeito do resultado fundamental depende do comportamento do indivíduo perante a droga. Ou seja, sua condição física e mental e a reação que a droga por si mesma pode provocar. Foi provado cientificamente, que a droga não aumenta a sensibilidade da pele, ouvidos e vista, como se pensava.

Ao contrário, a maconha provoca perda de memória e alteração de concepção de tempo. Diminui a atenção, reduz o tempo de reação, a capacidade de aprender, afeta a percepção e a coordenação dos movimentos.

Perigos: A maconha reduz a defesa das pessoas às doenças e a probabilidade de que seus usuários experimentem outras drogas é grande, apesar de si só não levar às demais a maconha age como uma ponte.

A maconha associada ao álcool prejudica física e psicologicamente. É muito difícil que o consumo de maconha seja legalizado, porque junto com o tabaco (fumo) e o álcool, corre-se o risco de se criar uma sociedade de doentes físicos e mentais.

Sedativos

Componentes Químicos e/ou Farmacológicos e/ou Medicinais: São conhecidos como tranqüilizantes e dividem-se em três categorias: barbitúricos, tranqüilizantes e não barbitúricos. Os barbitúricos (os mais usados) são: pentabarbital (membutal), secobarbital (seconal) e amobarbital (amital).

Efeitos: Nos depressivos os sintomas que se fazem notar são o entorpecimento (sono) e a diminuição dos reflexos. Seria um comportamento de bêbado sem álcool. A diminuição da fome, da sede, do instinto sexual e do sentimento da dor são também sintomas freqüentes.
 
Pessoas tensas, ansiosas e que não dormem bem, usam excessivamente estes depressivos, desenvolvendo dependência. Os usuários de heroína tomam sedativos para que o efeito não passe e os usuários de estimulantes para contrabalançar as sensações de euforia.

Perigos: Os sedativos são perigosos, tanto que podem provocar a morte. Um terço das mortes provocadas por drogas relaciona-se diretamente com doses excessivas de barbitúricos. Geralmente, por causa da confusão e da alteração que a droga provoca à mente, efeito do consumo contínuo. Deste modo as mortes muitas vezes são acidentais.

Em algumas pessoas, mesmo em doses menores, podem levar à estado de coma; doses moderadas, à intoxicação, paralisia, entorpecimento da fala, memória e razão. Combinados com álcool, os sedativos costumam ser fatais e a mistura de tranqüilizantes com outras drogas é prejudicial.