A mineira Luísa Lima Castro, 18, conquistou o primeiro lugar isolado no Exame Nacional do Ensino Médio deste ano. Sozinha, a estudante acertou todas as questões da prova e obteve nota máxima na redação, alcançando 100% no desempenho. A prova de conhecimentos gerais tinha 63 questões.

Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep), responsável pela aplicação da prova, outros 14 alunos dividiram a 2 posição no ranking dos melhores colocados.

Aluna de escola pública, Luísa nunca imaginou que acertaria todas as questões do exame. "Fiz a prova com certa tranqüilidade, mas nunca pensei que acertaria todas as questões porque eu saí de lá com algumas dúvidas. Acho que respondi umas cinco ou seis sem ter certeza se estavam certas ou não", disse a estudante, que só conferiu o gabarito oficial do exame no dia seguinte à prova. "Fiquei surpresa por ter acertado todas, mas pensei que umas 200 pessoas também conseguissem a mesma coisa", disse.

A nota final do exame (incluindo a redação), no entanto, Luísa só soube na semana passada, quando o Ministério da Educação (MEC) liberou a consulta individual de desempenho dos estudantes. "Vi que fiz 100% da prova, mas nem me toquei que isso significava o primeiro lugar no Enem. Fiquei muito feliz com o resultado", afirmou.

Estudiosa, ela quer medicina

Luísa cursou o ensino médio integralmente no Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG), escola pública federal. Ela prestou o Enem em 2006, mas não sabe em qual posição ficou, só sabe que ficou com uma média de 85% das provas (redação e de conhecimentos gerais).

Estudiosa, Luísa agora se dedica exclusivamente para passar no vestibular de medicina na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que aplicou as provas da primeira fase neste domingo (2). "Só prestei UFMG porque quero estudar lá. Estou me preparando para isso", disse.

A estudante faz cursinho preparatório para o vestibular e se dedica aos estudos pelo menos sete horas fora da sala de aula. "Acordo às 6h30 e só paro de estudar bem à noite, quando vou dormir", contou.

Aumento das médias

Segundo o Inep, em 2007 os alunos tiveram as maiores médias nas questões objetivas dos últimos cinco anos. Na parte composta por 63 testes, os estudantes do país obtiveram média de 51,52, em cem pontos possíveis – bem maior do que em 2006, quando a nota média foi de 36,90.

Mas também aumentou a diferença de notas entre estudantes da rede particular e da rede pública na parte objetiva do exame. Nesse ano, alunos da rede particular do país atingiram a nota de 68,04 nas questões objetivas, ao passo que a rede pública teve média de 49,20, levando a uma diferença de 18,84 pontos. Em 2006, essa diferença foi de 15,63 pontos (em cem).

Na redação, o desempenho geral foi melhor na edição de 2007: a nota média no Brasil ficou em 55,99 e na edição do ano passado foi de 52,08. A consulta dos candidatos ao boletim individual está disponível no site do Inep.

Senha de acesso

Na hora de conferir o boletim de desempenho pelo site do Inep, é solicitada uma senha de acesso. Se você não lembra da sua, pode solicitá-la novamente. Para isso, é necessário entrar no site: http://sistemasenem2.inep.gov.br/boletim/.

Então, o candidato deve atualizar suas informações e pedir a nova senha via e-mail. Não há divulgação de senha por telefone, segundo informou o Inep. O instituto diz ainda que o site apresenta instabilidade para enviar a senha, devido ao grande número de acessos.

 ProUni

O Enem é requisito obrigatório para quem quer tentar bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni), do Governo federal. É preciso o aluno ter média da prova objetiva e da redação de no mínimo 45 para poder pleitear vaga no programa. Como a concorrência é grande, quanto maior for a nota do candidato, maior a chance de ele conseguir uma bolsa.

O programa dá bolsas totais e parciais, de 50% ou 25% do valor da mensalidade, para estudantes de baixa renda que não tenham formação em curso superior. A bolsa integral é dirigida a estudantes que possuam renda familiar, por pessoa, de até um salário mínimo e meio (R$ 570). Já a parcial, é para aqueles que tenham renda familiar, per capta, de até três salários mínimos (R$ 1.140).

Há ainda uma bolsa que paga 25% da mensalidade do curso para alunos cuja renda da família seja de até três salários mínimos por pessoa, e que cursem graduações com mensalidade no valor máximo de R$ 200.

As inscrições para o processo seletivo do ProUni, para o primeiro semestre de 2008, devem ser feitas na página do programa na internet. No ato da inscrição, o candidato pode escolher até cinco opções de instituições de ensino superior, cursos e turnos, dentre as disponíveis conforme o perfil socioeconômico da pessoa.