Desde o dia 18 de janeiro de 2017, os participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) podem consultar seu Boletim de Desempenho Individual, com as notas das provas aplicadas em 2016 – Matemática, Linguagens e Códigos, Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Redação.

No mesmo dia, o Ministério da Educação (MEC) divulgou as notas mínimas e máximas alcançadas no Exame. O Enem 2016 teve 8,6 milhões de inscritos. Destes, mais de 2 milhões faltaram ao Exame – a taxa de ausentes chegou a 28,9%.

O Enem 2016 não registrou grandes evoluções no desempenho geral. As notas máximas e mínimas de Linguagens e Códigos foram menores, assim como o número de participantes que alcançaram nota 1.000 na redação. Mais de 291 mil tiraram zero no texto ou tiveram essa prova anulada. Por outro lado, a quantidade de estudantes com notas entre 901 e 999 na redação aumentou em comparação com o ano anterior.

Confira a seguir o relatório completo com as notas mínimas e máximas do Enem 2016, bem como o número de candidatos eliminados (e os motivos). Veja também como a pontuação é calculada e onde usar sua nota do Exame para entrar na faculdade!


Nota da Redação no Enem 2016

Vamos começar falando sobre a nota da redação, prova que deixa muito participante do Enem com os nervos à flor da pele. Não é para menos: tirar um zero significa ficar de fora de três processos seletivos nacionais que usam a nota do Exame.

Quem zerou na redação do Enem 2016 não vai poder participar do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em universidades públicas, do Programa Universidade para Todos (ProUni), que distribui bolsas de estudos, e do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES), que concede crédito a juros baixos para pagar a faculdade.

Além disso, a nota da redação é o primeiro critério de desempate nesses processos. Ou seja, pontuar bem nessa prova é fundamental para quem quer usar o desempenho do Enem para entrar em universidades públicas, conseguir bolsas ou financiamento.

No Enem 2016, o número de participantes que não pontuaram na redação foi de 291.806. Destes, 84.236 tiveram a redação anulada. A fuga do tema, como vem ocorrendo nas últimas edições, foi o motivo principal – 46.874 participantes não conseguiram escrever um texto dentro do assunto “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”. Os demais motivos para anulação foram, nesta ordem:

1. Parte da redação desconectada do tema: 12.276 participantes
2. Cópia de texto motivador: 8.325 participantes
3. Texto insuficiente: 7.348
4. Desrespeito aos direitos humanos: 4.798 participantes
5. Texto fora do modelo dissertativo-argumentativo: 3.615

206.127 participantes zeraram por não terem comparecido no dia da prova ou por terem entregado a folha de redação em branco, e 1.443 por outros motivos não especificados pelo MEC.

Nessa edição, apenas 77 participantes alcançaram a nota máxima. O número vem caindo a cada ano. Em 2015 foram 104, em 2014 foram 250 e em 2013, 481 candidatos com redação nota 1.000.

A boa notícia é que o número de redações com nota entre 901 e 999 vem aumentando. Foram 55.869 textos nessa faixa de pontuação, enquanto 2015 teve 47.770 e o Enem 2014 teve 35.719.

Em 2016, a maioria dos textos recebeu entre 401 e 600 pontos: cerca de 1,3 milhão com nota entre 401 e 500, e quase 3 milhões com nota entre 501 e 600.

Nota das provas objetivas do Enem 2016

Nessa edição, as notas mais baixas registradas foram na prova de Linguagens e Códigos, enquanto as mais altas foram de Matemática. Na média geral, a prova de Ciências Humanas teve a maior pontuação.

Confira a seguir as notas máximas, mínimas e médias alcançadas nas quatro provas objetivas do Enem 2016:

Ciências Humanas e suas Tecnologias 2016

• Nota mínima: 317,4
• Nota máxima: 859,1
• Média: 533,5

Ciências da Natureza e suas Tecnologias 2016
• Nota mínima: 316,5
• Nota máxima: 871,3
• Média: 477,1

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias 2016
• Nota mínima: 287,5
• Nota máxima: 846,4
• Média: 520,5

Matemática e suas Tecnologias 2016
• Nota mínima: 309,7
• Nota máxima: 991,5
• Média: 489,5

Agora compare com o que aconteceu no Enem do ano anterior:

Ciências Humanas e suas Tecnologias 2015

• Nota mínima: 314,3
• Nota máxima: 850,6
• Média: 558,1

Ciências da Natureza e suas Tecnologias 2015
• Nota mínima: 334,3
• Nota máxima: 875,2
• Média: 478,8

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias 2015
• Nota mínima: 302,6
• Nota máxima: 825,8
• Média: 505,3

Matemática e suas Tecnologias 2015
• Nota mínima: 280,2
• Nota máxima: 1.008,2
• Média: 467,9

Motivos para a eliminação no Enem 2016

Apesar de todas as recomendações do MEC, 8.722 candidatos foram eliminados do Enem 2016 por não cumprirem as regras. Os 10 motivos principais foram, nesta ordem:
1. Não marcar o tipo de prova e não escrever a frase ou marcar mais de um tipo de prova e não escrever a frase solicitada: 44,35%
2. Portar lápis, caneta de material não transparente, lapiseira, borrachas, livros, manuais, impressos, anotações, etc.: 19,77%
3. Ausentar-se da sala de provas sem o acompanhamento de um aplicador, ou ausentar-se em definitivo antes de decorridas duas horas: 9,10%
4. Portar, após ingressar na sala de provas, qualquer tipo de equipamento eletrônico ou de comunicação: 7,41%
5. Não cumprir as instruções contidas na capa do caderno de questões: 4,47%
6. Não guardar equipamentos eletrônicos em embalagem porta-objetos: 4,05%
7. Não obedecer às orientações da equipe de aplicação: 2,61%
8. Não manter a embalagem porta-objetos embaixo da carteira durante a realização das provas: 1,57%
9. Prestar, em qualquer documento, declaração falsa ou inexata: 1,33%
10. Outros: 5,32%

Como calcular a nota do Enem

Ao conferir o gabarito não dá para adivinhar que nota o participante vai ter no Enem. É que o MEC utiliza um sistema tão complexo para calcular as notas que é impossível fazer uma estimativa com base apenas nos erros e acertos.

As provas objetivas do Enem são corrigidas de acordo com a Teoria da Resposta ao Item (TRI). O cálculo da TRI confere ao candidato uma pontuação de acordo com uma escala de dificuldade que leva em consideração o desempenho geral de todos os participantes e a coerência de cada um ao responder às questões – a metodologia identifica chutes e atribui pontuação menor às respostas acertadas ao acaso.

A redação segue outro esquema, é corrigida anonimamente por pelo menos dois avaliadores. Eles analisam cinco quesitos, atribuindo até 200 pontos a cada um deles. Depois, as notas das duas correções são somadas e divididas por dois.

O que fazer com a nota do Enem 2016

Não é à toa que o Enem é considerado o maior vestibular do Brasil. Com a nota do Exame dá para concorrer a vagas em universidades públicas e privadas, tentar uma bolsa de estudos e até financiar as mensalidades.

Veja o que você pode fazer com sua nota do Enem 2016:

Participar do Sisu em 2017: o Sistema de Seleção Unificada usa a nota do Enem para classificar candidatos a vagas em universidades públicas, sem que precisem fazer vestibular. São duas edições em 2017: para ingresso no primeiro e no segundo semestre. Para participar, é preciso ter feito o Enem 2016 e não ter zerado na redação.
Tentar bolsa do ProUni em 2017: o Programa Universidade para Todos distribui bolsas de estudos a candidatos que cumprem os requisitos de desempenho no Enem, renda familiar e formação escolar. As inscrições abrem no primeiro e no segundo semestre.
Concorrer ao FIES: o Fundo de Financiamento Estudantil concede empréstimos a juros baixos para pagar a faculdade privada. A dívida só começa a ser quitada após a formatura. Pode concorrer quem se encaixa no critério de renda familiar e desempenho no Enem (vale qualquer edição a partir de 2010). As inscrições acontecem após o resultado do ProUni, também duas vezes ao ano.
Entrar direto na faculdade: o ingresso direto é uma modalidade cada vez mais popular para selecionar novos alunos na rede privada de ensino superior. Os critérios variam entre as faculdades.

Faculdades que aceitam a nota do Enem

Confira algumas instituições autorizadas pelo MEC a oferecer cursos superiores que aceitam a nota do Enem para ProUni, FIES e ingresso direto:

Veja também:
Como calcular a nota do Enem


Você fez o Enem? Como foi seu desempenho? Conte para a gente aqui nos comentários!