Imagine a seguinte situação: necessitamos dissolver uma determinada quantidade de açúcar (C6H12O6) em água (H2O).

Neste exemplo podemos definir alguns conceitos tais como:

O açúcar (C6H12O6) que será dissolvido chama-se disperso, a água (H2O) que dissolverá o açúcar chama-se dispersante ou dispergente e a mistura água com açúcar é denominada de dispersão.

Resumindo temos:

CLASSIFICAÇÃO DAS DISPERSÕES

Se você adicionar um pouco de sal a um copo de água e agitar, notará que o sal irá se dissolver e, a partir dessa mistura, formar uma solução aquosa. No entanto, se a mesma experiência for feita com um pouco de areia fina, o resultado será muito diferente. Como a areia não se dissolve em água, irá depositar-se no fundo do recipiente, logo após o término da agitação.

A mistura de água e areia, no momento da agitação, constitui um bom exemplo de suspensão.

Mesmo através da filtração, seria possível observar uma diferença importante entre esses dois tipos de mistura: as suspensões podem ser filtradas; as soluções, não.

É evidente que essa diferença de comportamento entre as soluções e as suspensões se deve ao tamanho da partícula dispersa. Enquanto que os enormes grãos de areia, a maioria visíveis a olho nu, ficam presos no papel de filtro, os invisíveis íons Na+ e Cl- possuem dimensões tão reduzidas que atravessam facilmente os poros do filtro.

Há uma ampla variedade de valores entre o diâmetro médio dos íons e das moléculas comuns e o diâmetro médio de corpos maiores como os da areia, constituídos de sílica (SiO2). Em outras palavras, as partículas dispersas num meio sólido, líquido ou gasoso possuem tamanhos muito diferentes.

Para muitos pesquisadores, os dispersos com diâmetros médios entre 1,0 nm e 1000 nm constituem fronteiras gerais para uma classificação das misturas. Assim, partículas com diâmetro inferior a 1,0 nm encontram-se em solução e devem ser chamadas de soluto. Por outro lado, partículas com diâmetro superior a 1000 nm estariam dispersas em misturas denominadas suspensões. Os cientistas observaram que partículas com diâmetro entre 1,0 nm e 1000 nm participam de um campo muito importante, chamado de misturas coloidais ou simplesmente colóides.

Analisando o quadro a seguir, podemos comparar características gerais das soluções, das misturas coloidais e das suspensões. Note que, nas misturas em geral, a substância em menor quantidade pode ser chamada de disperso, ou seja, é uma substância que se encontra espalhada, de maneira homogênea ou não, em outra substância denominada dispersante. Nessas condições, a mistura receberá o nome geral de dispersão.

 

SOLUÇÃO

 

DISPERSÃO COLOIDAL

 

SUSPENSÃO

DISPERSO

ÁTOMOS, ÍONS, MOLÉCULAS

AGLOMERADOS

GRANDES AGLOMERADOS

DIÂMETRO (d)

 d < 1nm

1nm < d < 1000nm

d > 1000nm

VISIBILIDADE

NÃO SÃO VISÍVEIS

VISÍVEL NO ULTRA
MICROSCÓPIO

VISÍVEL A OLHO NU

DECANTAÇÃO

NÃO DECANTA

DECANTA NO ULTRA
CENTRIFUGADOR

DECANTAÇÃO ESPONTÂNEA

AÇÃO DO FILTRO

NÃO SEPARA

SEPARA NO ULTRAFILTRO

SEPARA NO FILTRO COMUM

EXEMPLOS

SAL EM ÁGUA

GELATINA EM ÁGUA

ÁGUA BARRENTA

Resumindo temos:


Lembrando que: 

1 Å (angström) = 10 –7  mm = 10 - 8  cm  = 10 - 9   nm = 10 - 10   m