Em votação realizada nesta terça-feira (2), a Universidade de São Paulo (USP), através do seu Conselho de Graduação, aprovou a criação e a implementação da proposta que sugere o bônus de 5% para estudantes pretos, pardos ou indígenas que tenham cursado o ensino básico na rede pública. Tal ação faz parte do Programa de Inclusão Social (Inclusp), que visa incentivar o acesso de estudantes que se encaixem nas condições definidas pelo mesmo. Com isso o bônus máximo, por candidato, passa a ser de 25% de acréscimo na nota final. A proposta, que já tinha sido aprovada pelo Conselho, ainda aguardava votação para que fosse, de fato, implementada. A mesma passará a valer para a próxima edição do processo seletivo da Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest).

Mudanças

Além do bônus para os negros, pardos e indígenas, outras propostas de aumento de bônus foram apresentadas, e agora aprovadas, pela Pró-Reitoria em conjunto ao Inclusp. São elas:

  • Candidatos que cursaram o ensino médio na rede pública: aumento do bônus, de 8% para 12%;
  • Candidatos que cursaram o ensino básico na rede pública: aumento do bônus, de 8% para 15%;
  • Treineiros da rede publica: aumento do bônus: de 15% para 20%;
  • Negros, pardos ou indígenas que cursaram o ensino básico na rede pública: criação do bônus de 5%

Segundo a instituição, o objetivo destes tipos de auxílio nas notas é o de equilibrar as características dos alunos com as da população brasileira. Em suma, o bônus visa gerar um percentual de estudantes negros, pardos e indígenas similar ao percentual demonstrado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na população do país. 

Mais informações podem ser obtidas no site da universidade.

[Ache os cursos e faculdades ideais para você!]