O Vestibular é o meio pelo qual os estudantes, através de provas de conhecimentos gerais e específicos devem ser aprovados, para assim ingressar no ensino superior. Ao longo dos anos esse tipo de exame foi sendo alterado até assumir a forma que se encontra atualmente. Abaixo faremos uma comparação de como era feito o processo de seleção nos primórdios, e consequentemente sua evolução no decorrer dos anos, até a chegar a sua estrutura atual.

Primórdios das Avaliações: A Lei Orgânica do Ensino Superior e Fundamental

Até o ano de 1911 as universidades ofereciam as vagas e estas eram ocupadas pelos alunos egressos das principais escolas do Brasil. Porém com o tempo, o número de candidatos a essas vagas aumentou consideravelmente, sendo necessária a realização de algum processo que selecionasse os melhores alunos a frequentar os cursos oferecidos. Com isso em 1911, através da Lei Orgânica do Ensino Superior e do Fundamental, foi criado o Vestibular, que visa classificar os estudantes com maior nível de conhecimento para as vagas nas universidades.

Durante muito tempo as provas eram compostas por questões de duas grandes áreas, que eram: Linguagens e Ciências. As provas de Linguagens eram compostas por conhecimentos em Língua Portuguesa e em uma Língua Estrangeira; já em Ciências, os assuntos abordados eram sobre Matemática, Física e Química.

Processo de Evolução: amadurecimento das provas

Com o tempo os processos de seleção foram se modernizando. As provas ganharam novas estruturas, com questões das mais diversas áreas de ensino (presentes desde o ensino fundamental e médio), sendo compostas por matérias de: Língua Portuguesa, Língua Inglesa ou Língua Espanhola ou ainda Língua Francesa, História, Geografia, Biologia, Física, Matemática, Química, Sociologia, Filosofia e até Educação Artística.

Diversas universidades aderiram a essa forma de classificação, sendo assim, podemos destacas os vestibulares mais importantes e concorridos: Universidade de São Paulo (USP), através da FUVEST; Universidade Estadual Paulista (Unesp); Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj); Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); e Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Com a crescente expansão e a grande concorrência, tais provas amadureceram, sendo mais bem elaboradas e muitas vezes consideradas mais difíceis e longas. As questões eram em caráter de múltipla escolha e o gabarito era corrigido por meio de cartões perfurados. Com o passar dos anos e à chegada de outras tecnologias a correção passou a ser feita através de leitura óptica, possibilitando velocidade na correção e possibilidade de aumento no número de questões.

Vestibulares com Personalidade: Enem e Provas Tradicionais

Na atualidade, o principal vestibular do país é o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), onde são abordados assuntos de todo o ensino médio, divididos em quatro áreas de conhecimento: Linguagens, códigos e suas tecnologias, Matemática e suas tecnologias, Ciências humanas e suas tecnologias e Ciências da natureza e suas tecnologias, com 180 questões objetivas e uma Redação. É válido lembrar que inicialmente o Enem tinha uma proposta mais simples na avaliação da qualidade de ensino das diversas regiões do país, porém também passou por um processo de amadurecimento, tornando-se o principal meio de entrada no ensino superior do país.

A nota dessa prova é atualmente utilizada para classificar os estudantes em quase todas as universidades públicas do Brasil através do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), e inúmeras universidades privadas através do Programa Universidade Para Todos (Prouni), além de selecionar estudantes aptos a receberem bolsas de estudos pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Este vestibular é considerado o mais importante do país pois o número de vagas ofertado e o número de inscritos cresce a cada ano, atingindo quase a totalidade do Brasil. Na última edição o ENEM recebeu mais de 7,1 milhões de inscrições.

O vestibular tradicional ainda é ofertado por algumas instituições de ensino superior, porém há grande tendência para que todas as instituições optem por utilizar a estrutura do Enem em seu processo seletivo. As instituições que ainda utilizam o vestibular tradicional possuem certa personalidade em seu processo seletivo, com provas próprias, estas que são desenvolvidas pela própria instituição, ou uma fundação de apoio a realização do vestibular.