O Brasil possui o maior número de faculdades de Direito do mundo. Ao todo, são mais de mil instituições que oferecem essa formação em todas as regiões do país.

Com um perfil teórico, o curso dispensa grandes estruturas, como laboratórios ou materiais específicos. Essa característica, aliada à alta demanda pela graduação nas universidades privadas, ajuda a tornar o custo geral da formação mais variado e acessível a diversas camadas econômicas da população.

Portanto, se você está se planejando financeiramente para estudar Direito, vai encontrar mensalidades que variam até dez vezes mais de uma instituição para outra!

Veja a seguir um panorama de quanto custa estudar Direito em algumas universidades privadas brasileiras!

Mensalidades do curso de Direito

É possível encontrar graduações em Direito com mensalidades que variam de R$ 400 a R$ 4.000, com média geral de R$ 1.100.

Comparado com graduações que exigem infraestrutura complexa, como cursos da área da Saúde e de Engenharias, estudar Direito é relativamente barato. Em alguns casos, a formação completa chega a custar pouco mais de 15% do que custaria estudar Medicina, por exemplo.

Como nas universidades privadas a demanda pelos cursos noturnos é maior, as mensalidades costumam ser um pouco mais caras do que o valor cobrado por diurnos.

Confira a seguir o valor das mensalidades do curso de Direito em diversas universidades brasileiras.

Mensalidades de Direito entre R$ 400 e R$ 600 mensais

  • Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL)
  • Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium (UNISALE)
  • Universidade Nove de Julho (UNINOVE)
  • Faculdade do Litoral Paranaense (ISEPE)
  • Universidade São Francisco (USF)
  • Faculdade Politécnica de Uberlândia (FPU)
  • Faculdade do Espírito Santo (FACES)
  • Universidade Iguaçu (UNIG)
  • Instituto de Ensino Superior Santa Cecília (IESC)
  • Universidade de Santo Amaro (UNISA)

Mensalidades de Direito entre R$ 700 e R$ 1.000

Mensalidades de Direito entre R$ 1.000 e R$ 2.000

  • Centro Universitário do Distrito Federal (UDF) - no Distrito Federal
  • Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)
  • Faculdade IBMEC (IBMEC)
  • Universidade Presbiteriana Mackenzie (MACKENZIE)
  • Universidade Católica de Brasília (UCB)
  • Universidade de Cuiabá (UNIC)
  • Escola Superior de Administração, Direito e Economia (ESADE)
  • Universidade Anhembi Morumbi (UAM)
  • Universidade São Judas Tadeu (USJT)
  • Universidade Luterana do Brasil (ULBRA)

Mensalidades de Direito acima de R$ 2.000

  • Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)
  • Faculdade de Ciências Econômicas (FACAMP) 
  • Faculdade de Direito da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP) 
  • Faculdade Diadema (FAD)
  • Escola de Direito de São Paulo (Direito-GV)

Universidades mais caras são melhores?

Nem sempre preço significa qualidade. Por isso é importante, antes de escolher a sua faculdade de Direito, checar a avaliação da instituição e do curso junto ao Ministério da Educação (MEC), usando uma ferramenta chamada e-MEC.

Veja como fazer a consulta:

  1. Acesse o e-MEC.
  2. Clique na aba “Consulta Avançada”.
  3. No campo “Buscar por”, selecione a opção “Curso de Graduação” .
  4. Na linha “Curso”, digite: Direito
  5. No item “UF”, selecione o estado onde vive ou pretende estudar (esse campo é opcional).
  6. Selecione o município (opcional).
  7. Clique no botão “Pesquisar”. Vai aparecer uma lista com todos os cursos de Direito, suas respectivas notas e situação perante o MEC.

Alternativas para estudar Direito com qualidade pagando menos

Se você não tiver condições de pagar a mensalidade da faculdade onde você quer cursar Direito, não desanime. O governo federal oferece duas opções para ajudar alunos que querem investir em um curso superior mas não conseguiram entrar numa universidade pública.

A primeira delas é o Programa Universidade Para Todos, o ProUni, que oferece bolsas de estudos integrais e parciais em universidades privadas bem avaliadas pelo MEC. O processo para obtenção de uma dessas bolsas usa como critério a nota do Enem e podem participar estudantes brasileiros sem diploma de nível superior que se encaixem nos critérios de escolaridade e renda. 

Outra saída é tentar um financiamento estudantil a juros baixos, o FIES. A grande vantagem desse sistema é começar a pagar a dívida somente depois da formatura. No entanto, as regras para concessão desse benefício ficaram mais rígidas. Hoje, somente estudantes com boa pontuação no Enem e nota acima de zero na redação podem concorrer. Também existem restrições de renda e formação.

Isso sem falar nas inúmeras outras possibilidades que vêm aparecendo nos últimos anos: bolsas de estudos, financiamento sem burocracia, parcelamento das mensalidades, descontos e convênios.

Confira algumas faculdades reconhecidas e bem avaliadas pelo MEC onde você pode estudar Direito pagando menos:

Veja também:

Como usar o FIES para pagar a faculdade

Vai tentar o curso de Direito em uma universidade particular? Compartilhe suas ideias conosco nos comentários.