Os cursos de Engenharia estão entre os mais procurados do País. E não é por menos: é uma profissão que paga bem, tem alta taxa de emprego e um campo de atuação bastante diversificado.

Um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) estima que até 2020 abrirão entre 600 mil e 1,2 milhão de novos postos de trabalho no Brasil para esses profissionais!

Mesmo assim, conseguir entrar nos cursos de Engenharia das universidades públicas é uma tarefa difícil por causa da alta concorrência. Nas privadas, as mensalidades geralmente estão acima do alcance de muita gente.

Por isso, é comum se perguntar: o Governo Federal oferece algum incentivo para quem quer ingressar nesta profissão? Tem Engenharia no ProUni?

A resposta é a que você esperava ler: sim, tem! E em dezenas de habilitações diferentes!

Veja a seguir como funciona o ProUni para cursos de Engenharia e o que você precisa fazer para entrar na disputa por uma bolsa!

Como se inscrever no ProUni para Engenharia?

As inscrições do ProUni acontecem duas vezes por ano, nos meses de janeiro e junho. O processo é totalmente informatizado e tudo é feito pela  internet. Você não precisa pagar nada para concorrer.

Para participar da concorrência por uma bolsa de Engenharia pelo ProUni, você precisa acessar o site do programa durante o período de seleção. Entram na disputa somente os candidatos que fizeram o Enem do ano anterior e obtiveram, no mínimo, 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação.

Veja como concorrer a uma bolsa de Engenharia pelo ProUni:

  1. Acesse o site do ProUni durante o período de seleção. 
  2. Informe seu número de inscrição e senha do Enem do ano anterior. O sistema irá recuperar sua nota automaticamente.
  3. Inclua um endereço de e-mail e um telefone válidos.
  4. Preencha os dados cadastrais solicitados.
  5. Selecione duas opções entre as vagas disponíveis para o curso de Engenharia. Escolha a faculdade, o local de oferta (cidade, campus, unidade), o turno, o tipo de bolsa (parcial ou integral) e a modalidade de concorrência (cotas ou ampla concorrência).

O ProUni tem duas chamadas e uma lista de espera. A ideia do MEC é preencher todas as vagas disponíveis. Ou seja: se você não conseguir entrar logo na primeira, ainda tem uma segunda e terceira chances!

A participação na lista não é automática. O candidato precisa se cadastrar na página do ProUni e “manifestar interesse”, marcando a opção correspondente.

Que tipo de Engenharia tem no ProUni?

Em edições recentes do ProUni, contabilizamos mais de 40 diferentes tipo de Engenharia, oferecidos em diversas instituições de todo o Brasil. Conheça:

  1. Engenharia
  2. Engenharia Aeronáutica
  3. Engenharia Aeroespacial
  4. Engenharia Agronômica
  5. Engenharia Agrícola   
  6. Engenharia Agrícola e Ambiental
  7. Engenharia Ambiental
  8. Engenharia Ambiental e Energias Renováveis
  9. Engenharia Ambiental e Sanitária
  10. Engenharia Automotiva
  11. Engenharia Bioenergética
  12. Engenharia Biomédica
  13. Engenharia Civil
  14. Engenharia Civil e Ambiental
  15. Engenharia Eletrônica
  16. Engenharia Eletrônica e de Telecomunicações
  17. Engenharia Elétrica
  18. Engenharia Florestal   
  19. Engenharia Industrial Mecânica
  20. Engenharia Mecatrônica
  21. Engenharia Mecânica
  22. Engenharia Metalúrgica
  23. Engenharia Química
  24. Engenharia da Computação
  25. Engenharia de Alimentos
  26. Eng. de Automação e Controle
  27. Engenharia de Bioprocessos
  28. Engenharia de Computação
  29. Eng. de Controle e Automação
  30. Engenharia de Energia
  31. Engenharia de Materiais
  32. Engenharia de Minas   
  33. Engenharia de Petróleo
  34. Engenharia de Petróleo e Gás
  35. Engenharia de Produção
  36. Engenharia de Produção Mecânica
  37. Engenharia de Produção e Qualidade
  38. Engenharia de Segurança no Trabalho
  39. Engenharia de Software
  40. Engenharia de Telecomunicações
  41. Engenharia em Nanotecnologia

Que nota eu preciso tirar no Enem para passar em Engenharia no ProUni?

Engenharia é um curso com muitas habilitações – só no ProUni localizamos mais de 40 diferentes! Isso significa que a menor nota para conseguir uma bolsa – a chamada “nota de corte” – pode variar muito de um para o outro. 

Em algumas é possível passar com a nota mínima, 450 pontos, e em outras o candidato precisa ter quase 800 pontos para conseguir a bolsa do ProUni. Tudo vai depender da faculdade escolhida, da habilitação e da modalidade de concorrência (cotas ou não). De qualquer forma, quanto maior for sua nota no Enem, maiores serão suas chances de passar em Engenharia no ProUni.

Durante o processo de seleção, a nota de corte muda ao longo do dia. Os candidatos devem ficar de olho no sistema e, caso seja preciso, mudar as opções de faculdade para aumentar as chances de passar. 

Veja a seguir alguns exemplos de notas no Enem para conseguir uma bolsa em Engenharia pelo ProUni.

Exemplos de nota de corte de Engenharia no ProUni

Com inúmeras habilitações no cardápio, o ProUni para Engenharia tem diferentes notas de corte. As mais tradicionais – como  Engenharia Civil, Elétrica, Mecânica, da Computação e de Controle e Automação – tendem a exigir uma nota mais alta.

Ainda assim é possível entrar nessas habilitações com a pontuação mínima exigida na inscrição!

Quem opta pelo sistema de cotas ou ações afirmativas encontra um cenário similar, com pequenas variações em relação à ampla concorrência.

Veja algumas notas de corte mais altas em Engenharia em edições recentes do ProUni na modalidade ampla concorrência:

  • 797,90 – Engenharia Eletrônica e de Telecomunicações
  • 797,70 – Engenharia de Controle e Automação
  • 787,42 – Engenharia Civil
  • 781,98 – Engenharia Biomédica
  • 778,16 – Engenharia Elétrica

Agora veja algumas das notas de corte mais baixas:

  • 450 – Engenharia de Alimentos
  • 450 – Engenharia Civil
  • 450 – Engenharia de Produção
  • 524,02 – Engenharia Química
  • 533,48 – Engenharia Ambiental e Sanitária

Quem pode participar do ProUni?

Para concorrer a uma bolsa de Engenharia pelo ProUni, você precisa ter feito o Enem do ano anterior e obtido o mínimo de 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação.

O MEC também exige outros requisitos importantes. Além de não poder ter diploma de curso superior, o candidato precisa se encaixar em alguma das situações abaixo:

  • Ter feito o ensino médio completo em escola da rede pública, ou em escola da rede privada como bolsista integral.
  • Ter cursado o ensino médio parcialmente em escola da rede pública e parcialmente em escola da rede privada como bolsista integral.
  • Ser pessoa com deficiência.
  • Ser professor efetivo da rede pública de ensino, concorrendo a bolsas em cursos de licenciatura. Aqui não é preciso cumprir requisitos de renda.

O MEC atribui dois tipos bolsas de acordo com a renda familiar do candidato:

  • Bolsa Integral (100% da mensalidade) para quem tem renda familiar bruta mensal de até um salário mínimo e meio por pessoa.
  • Bolsa Parcial (50% da mensalidade) para quem tem renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos.

Tem ProUni para curso de Engenharia a distância?

Tem sim! O processo de seleção é idêntico ao dos cursos presenciais – com a diferença que você precisa apontar que quer tentar bolsa em um curso de Engenharia EAD. A vantagem é que, na maioria dos casos, a concorrência aqui é mais baixa. No entanto, é preciso ficar de olho: os cenários podem mudar a cada edição.

Universidades que têm Engenharia e participam do ProUni

A quantidade e a distribuição das bolsas de Engenharia mudam a cada edição do ProUni. Você só vai conhecer as instituições que oferecem vagas naquele ano consultando o sistema do ProUni durante a seleção.

Mas pode ficar tranquilo. O MEC só permite a entrada no ProUni de universidades bem avaliadas. Configura algumas instituições que participam do ProUni e têm graduação em Engenharia.

Veja também:

Como entrar no ProUni com a nota do Enem

Vai tentar o ProUni para Engenharia? Conte para a gente aqui nos comentários!