O Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) é um programa que mudou a vida de milhões de pessoas em todo o Brasil.

A iniciativa nasceu para ampliar o acesso ao ensino superior e é destinada àqueles que não conseguiram entrar em uma universidade pública pelo Sisu nem se classificaram para uma bolsa de estudos pelo ProUni. É uma terceira chance de entrar na faculdade e mudar de vida!

O FIES é um empréstimo a juros baixos e prazo longo para pagamento. O governo federal ajuda a bancar sua faculdade e só depois de formado você devolve o valor da dívida, que pode ser parcelada em vários anos.

Quando foi criado, o FIES era aberto a praticamente qualquer pessoa que precisasse de financiamento para estudar. Com a economia entrando em recessão, o governo resolveu que seria necessário um processo seletivo para determinar quem ganha o benefício.

Com isso, ficou mais difícil e concorrido obter o financiamento – mas não impossível. Veja a seguir quantos pontos você precisa tirar no Enem para conseguir o FIES, inclusive para cursos como Medicina, Engenharia e Direito!

Como participar do FIES

A seleção do FIES ocorre duas vezes por ano, no início de cada semestre letivo, e é feita exclusivamente pelo site oficial do programa.

Para participar é preciso:

• Encaixar-se no requisito de renda familiar estabelecido para aquela edição do processo seletivo.
• Ter feito alguma das edições do Enem a partir de 2010.

Ao acessar o site durante o período de seleção, o sistema vai recuperar sua nota do Enem e apresentar todas as opções de cursos e instituições disponíveis para aquele semestre. Vai dizer também se você tem a pontuação mínima necessária para concorrer.


Pontuação mínima no Enem para concorrer ao FIES

Para concorrer ao FIES, o candidato precisa ter desempenho de pelo menos 450 pontos média das provas e nota acima de zero na redação de qualquer edição do Enem a partir de 2010.

Mas atenção: tanto a média quanto a nota da redação têm que ser da mesma edição do Enem!

A quantidade mínima de pontos exigida, em grande parte dos casos, pode não ser suficiente para garantir o financiamento.  Entenda os motivos:

• Desde 2015, o FIES tornou-se um processo seletivo e isso fez a disputa por um financiamento aumentar consideravelmente.
• O número de vagas é limitado.
• Dependendo da edição, o governo dá preferência a algumas graduações em áreas prioritárias e com boa avaliação junto ao MEC.
• Regiões mais necessitadas costumam receber mais vagas.
• A disputa pode ser bem alta em universidades mais tradicionais.
• Quanto mais pontos você tiver no Enem, maiores as chances de conseguir o benefício.

Pontuação necessária para entrar em diversos cursos com o FIES

Depois que se tornou um processo seletivo, o FIES passou a ter também nota de corte.

A lógica é a mesma aplicada ao Sisu e ao ProUni: quanto mais procurado for o curso e quanto melhor for o desempenho dos concorrentes a uma mesma vaga, maior vai ser a nota mínima necessária para conseguir o financiamento.

A pontuação para obter o FIES varia bastante. Veja alguns exemplos de nota de corte em edições anteriores do programa:

• Medicina:  entre 700 e 800 pontos
• Engenharia Civil: entre 520 e 720 pontos
• Direito: entre 550 e 700 pontos
• Administração: entre 450 e 700 pontos
• Engenharia de Produção: entre 510 e 690 pontos
• Comunicação Social – Jornalismo: entre 550 e 680 pontos
• Arquitetura e Urbanismo: entre 500 e 680 pontos
• Design: entre 540 e 670 pontos
• Enfermagem: entre 500 e 630 pontos
• Pedagogia: entre 450 e 620 pontos

É possível conseguir o FIES com a pontuação mínima?

Depende! Cursos menos concorridos geralmente têm uma nota de corte mais baixa, o que permite ao candidato entrar com a nota mínima exigida de 450 pontos e acima que zero na redação.

Mas isso nem sempre é regra. Às vezes é possível entrar em Direito ou Administração, que são bastante concorridos, com uma nota pouco acima da mínima. Isso porque a nota de corte também varia de acordo com o número de vagas ofertadas. Se o curso for bastante procurado, mas tiver alta disponibilidade no FIES, a nota de corte certamente será mais baixa.

O segredo é ficar de olho no sistema do FIES durante o período de inscrições. A nota de corte vai se modificando e, com isso, o candidato pode escolher outras opções de cursos ou instituições disponíveis.

O MEC não divulga os cursos e as universidades participantes com antecedência. É preciso entrar no sistema durante o período de inscrição para ter acesso a esses dados, que podem mudar a cada semestre.

Universidades que aceitam o FIES

Para participar do FIES, as universidades precisam ser bem avaliadas pelo Ministério da Educação.

Por isso, quem está pensando em concorrer a um financiamento e não conhece bem a instituição de ensino, pode ficar tranquilo. O investimento irá valer a pena!

Conheça algumas instituições reconhecidas e bem avaliadas pelo MEC que costumam participar do FIES:

Além disso, todas elas oferecem financiamentos facilitados, sem burocracia, e uma ampla variedade de descontos, convênios e bolsas de estudos.

Veja também:
Como usar o FIES para pagar a faculdade


Está pensando em pedir o FIES este ano? Para qual curso? Conte para a gente nos comentários!