Quando a gente fala em Sisu, imediatamente vem aquele friozinho na barriga: quem, afinal, não fica empolgado com a possibilidade de entrar no curso tão sonhado em uma universidade pública?

O Sistema de Seleção Unificada está aí para ajudar a materializar esse sonho. O programa abre inscrições duas vezes ao ano.

A primeira delas, no início do primeiro semestre, é a mais importante. Nela são distribuídas grande parte do total de vagas.

Portanto, se você quer garantir o passaporte para o ensino superior gratuito e de qualidade, é bom se preparar. Além de estudar bastante para o Enem, é preciso saber como se inscrever no Sisu, o que fazer para conseguir uma vaga e, claro, estar sempre atento às datas.

Já que você está aqui, a gente traz dicas também do que fazer caso não consiga vaga no Sisu, as alternativas de seleção e algumas faculdades reconhecidas e bem avaliadas pelo MEC onde você vai encontrar bolsas de estudos, descontos, convênios e financiamento sem burocracia.

Tudo isso a seguir!

Como se inscrever no Sisu

O Sisu é um processo seletivo totalmente informatizado, realizado pelo governo federal todo semestre. Quem define o curso que quer fazer e a faculdade onde quer estudar é você.

A primeira edição do ano ocorre quase sempre a partir da segunda quinzena de janeiro. Às vezes pode acontecer nos primeiros dias de fevereiro – tudo depende de quando saiu o resultado do Enem mais recente.

Já a segunda edição deve começar entre o final de junho e o começo de julho.

Todo ano essas datas mudam. Fique ligado na divulgação do cronograma pelo Ministério da Educação (MEC).

Quando o Sisu abrir inscrições, tudo o que você precisa fazer é seguir estes cinco passos simples:

•1. Acessar o site do Sisu.

2. Clicar no link de Fazer Inscrição.

3. Informar seu número de inscrição e senha do Enem mais recente. Caso tenha esquecido, é possível recuperar na própria página.

4. Escolher duas opções de cursos e instituições de ensino onde você gostaria de estudar. Pode ser em cidades diferentes da sua. É possível fazer a busca por curso, município ou universidade participante.

5. Indique se vai concorrer à vaga por meio de cotas ou por ampla concorrência (caso haja essas opções). Lembre-se de que, dependendo do tipo de cota, você terá que comprovar que atende aos requisitos.

A inscrição no Sisu só pode ser feita durante o período de abertura da seleção, que ocorre normalmente poucos dias depois da divulgação dos resultados do Enem.

Mais de 100 instituições públicas de ensino superior do país participam do programa. Algumas oferecem todas as vagas por meio do Sisu, outras apenas uma parte.

Você vai encontrar cursos de todos os tipos lá dentro: bacharelados, licenciaturas e até superiores de tecnologia (aqueles mais rápidos) em todas as áreas do conhecimento.

Quem pode se inscrever no Sisu

Quem fez o Enem mais recente e não tirou zero na redação pode participar das duas edições que o Sisu oferece todos os anos.

Mas atenção: só vale o Enem mais recente. Os anteriores não contam.

Como se inscrever no Sisu do segundo semestre

O modelo de inscrição do Sisu no segundo semestre é exatamente igual ao do primeiro: você precisa digitar seu número de inscrição, senha, escolher duas opções entre as vagas disponíveis e monitorar a nota de corte.

A duração da seleção também é a mesma: quatro dias, normalmente começando numa terça-feira e encerrando na sexta da mesma semana. Os resultados saem no próximo dia útil, na segunda-feira seguinte.

Como aumentar as chances de conseguir entrar no Sisu

O Sisu é famoso pelo grau de dificuldade para conseguir uma vaga.

O sistema seleciona apenas aqueles que tiveram as notas mais altas no Enem, mas tem um pulo do gato que, se você ficar atento, aumenta suas chances de conseguir uma vaga.

Estamos falando das notas de corte – a pontuação mínima para passar em cada curso.

Durante o período de inscrições, elas mudam todos os dias. Então, tudo o que você tem que fazer para aumentar suas chances é entrar no sistema diariamente e verificar se sua nota ainda permite entrar nos cursos desejados.

Se não, você pode mudar de opção no próprio sistema, buscar outra vaga que esteja menos disputada e que comporte sua nota.

Esse acompanhamento é de inteira responsabilidade do candidato. O MEC não vai avisar se a nota de corte mudar.

É possível mudar de opção (pode ser de curso, de turno, de instituição, de cidade, etc.) quantas vezes quiser, até o último minuto de seleção.

Lista de espera do Sisu

Se você não conseguiu entrar na primeira chamada do Sisu, não perca a esperança.

Depois que encerra o processo seletivo, o Sisu abre, logo na sequência, a lista de espera – ou seja: mais uma chance de conseguir vaga.

A lista de espera do Sisu não é automática – o candidato precisa se inscrever para entrar nela – e só vale para candidatos que participaram da seleção regular. A inscrição na lista de espera pode ser feita a partir do dia em que os resultados são divulgados. O candidato precisa acessar o sistema e confirmar o interesse em participar.

A partir daí, as universidades vão chamando os interessados aos poucos, o que pode se estender por mais de dois meses depois da inscrição. Novas oportunidades podem abrir a qualquer momento.

Aqui vale a mesma dica: fique atento, pois se você for chamado para ocupar uma vaga terá que correr para apresentar a documentação e fazer a matrícula. A classificação da lista de espera não aparece no site do Sisu, e sim na universidade onde você está tentando vaga.

Alternativas ao Sisu

Quem não conseguir vaga no Sisu pode ainda se inscrever em outros processos seletivos que usam a nota do Enem.

São eles:

ProUni – Programa Universidade para Todos: Oferece bolsas de estudos parciais e integrais em faculdades particulares. São mais de 200 mil vagas todos os anos. O programa é exclusivo para pessoas que se encaixam em critérios de renda e formação escolar determinados pelo Ministério da Educação (MEC). Além disso, é preciso ter obtido desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e acima de zero na redação no Enem mais recente. As inscrições abrem duas vezes ao ano, sempre depois do Sisu.

FIES – Fundo de Financiamento Estudantil: O programa permite financiar um curso de graduação a juros baixos e ainda oferece um prazo longo para pagamento da dívida, que só começa a ser cobrada depois da formatura. Para participar o candidato precisa corresponder a certos critérios de renda e ter feito qualquer edição do Enem a partir de 2010. A pontuação exigida é de 450 na média das provas e acima de zero na redação. O FIES também abre duas vezes por ano, após o ProUni.

• Ingresso direto: Esse é para quem gosta de praticidade. O ingresso direto, adotado por faculdades particulares em todo o país, permite que o candidato entre no curso desejado apenas apresentando a nota que obteve no Enem, em qualquer edição. Caso corresponda ao mínimo exigido por cada instituição, já pode correr e fazer a matrícula. É um dos processos seletivos mais simples para quem quer entrar numa faculdade sem dor de cabeça.

O número de faculdades que participam ProUni e do FIES é imenso. Se somarmos aquelas que aceitam ingresso direto, o universo de possibilidades fica maior ainda.

Nossa dica para você não se perder nesse mar de opções é: escolha apenas faculdades bem avaliadas pelo MEC, que rendem um diploma reconhecido e bem aceito no mercado de trabalho.

A gente separou algumas que se encaixam nesse critério e, ainda por cima, oferecem inúmeras opções de bolsas, convênios, descontos, parcelamentos e financiamentos sem burocracia.

Dê uma olhada:

Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA)

• Universidade Estácio de Sá (UNESA) 

Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL)

Universidade Cidade de São Paulo (UNICID) 

Universidade de Franca (UNIFRAN) 

Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS) – em Minas Gerais

Universidade Anhembi Morumbi (a distância)

FMU (a distância)

UNIFACS (a distância) – em Salvador/BA

UnP – Universidade Potiguar (a distância) – em Natal/RN

Veja também:

Que nota preciso tirar no Enem para passar no Sisu?

Vai participar do Sisu? Como está sua expectativa para conseguir uma vaga? Qual curso você quer fazer? Conte para a gente!