Quando é tempo de Sisu, todo mundo fica de cabelo em pé. E boa parte dessa tensão se deve à altíssima concorrência no processo seletivo que distribui vagas em universidades públicas de todo o país.

Por mais que a gente tire uma boa nota no Enem, não tem como saber o que nos espera na próxima seleção.

Em 2018, o Sisu distribuiu mais de 300 mil vagas em cursos em todas as áreas do conhecimento (240 mil só no primeiro semestre). Embora o número pareça grande, pode acreditar: não é suficiente para atender aos milhões de inscritos todos os anos.

Não é por acaso que conseguir vaga no Sisu se tornou um desafio e tanto. Às vezes os candidatos precisam superar notas de corte próximas a 900 pontos para conseguir um lugar ao sol!

Descubra a seguir quais são as notas de corte do Sisu 2018 e aproveite para conhecer outros processos seletivos que também usam a nota do Enem!

Datas do Sisu 2018

As inscrições da primeira edição do Sisu 2018 foram de 23 de janeiro (terça-feira) até o dia 26 (sexta-feira) do mesmo mês. Os resultados já saíram no dia 29 de janeiro, segunda-feira.

Para participar foi preciso ter feito obrigatoriamente o Enem 2017, sem ter zerado na redação.

Quem não conseguiu entrar na primeira edição teve mais uma chance de tentar vaga no meio do ano.

Notas de corte Sisu 2018

Veja qual foi a pontuação mínima para entrar em alguns dos principais cursos oferecidos pelo Sisu:

• Administração – 730 pontos

• Agronomia – 650 pontos

• Análise e Desenvolvimento de Sistemas – 600 pontos

• Antropologia – 700 pontos

• Arquitetura e Urbanismo – 740 pontos

• Artes Cênicas – 700 pontos

• Artes Visuais – 655 pontos

• Biblioteconomia – 650 pontos

• Biomedicina – 720 pontos

• Ciência da Computação – 760 pontos

• Ciências Atuariais – 690 pontos

• Ciências Biológicas – 690 pontos

• Ciências Contábeis – 739 pontos

• Ciências Econômicas – 710 pontos

• Ciências Sociais – 648 pontos

• Comunicação Social – 770 pontos

• Design – 680 pontos

• Direito – 790 pontos

• Educação Física – 695 pontos

• Enfermagem – 720 pontos

• Engenharia Aeroespacial – 780 pontos

• Engenharia Agrícola – 675 pontos

• Engenharia Ambiental – 735 pontos

• Engenharia Civil – 780 pontos

• Engenharia de Alimentos – 690 pontos

• Engenharia de Petróleo e Gás – 750 pontos

• Engenharia de Produção – 750 pontos

• Engenharia Elétrica – 770 pontos

• Engenharia Florestal – 675 pontos

• Engenharia Química – 778 pontos

• Estatística – 709 pontos

• Farmácia – 724 pontos

• Filosofia – 650 pontos

• Física – 630 pontos

• Fisioterapia – 730 pontos

• Fonoaudiologia – 660 pontos

• Gastronomia – 755 pontos

• Geografia – 638 pontos

• Gestão Pública – 707 pontos

• História – 671 pontos

• Jornalismo – 730 pontos

• Letras– 710 pontos

• Matemática – 640 pontos

• Medicina – 860 pontos

• Medicina Veterinária – 740 pontos

• Nutrição – 730 pontos

• Odontologia – 800 pontos

• Pedagogia – 690 pontos

• Psicologia – 750 pontos

• Publicidade e Propaganda – 740 pontos

• Química – 690 pontos

• Relações Internacionais – 760 pontos

• Relações Públicas – 720 pontos

• Serviço Social – 708 pontos

• Sistemas de Informação – 700 pontos

• Turismo – 680 pontos

• Zootecnia – 660 pontos

O que faz a nota de corte ser mais alta ou mais baixa é o desempenho dos candidatos interessados na mesma vaga – uma combinação de curso, turno, universidade, campus e modalidade de concorrência (cotas ou geral).

Quanto maior a pontuação geral dos concorrentes, maior será a nota de corte.

Para conseguir entrar no Sisu é preciso ter uma nota média de pelo menos 700 pontos. Menos do que isso, só se você tiver bastante sorte ou optar por cursos menos disputados. Por outro lado, uma pontuação acima de 850 garante entrada na maioria das vagas – inclusive em algumas de Medicina.

Como driblar as notas de corte do Sisu

Existe uma forma de aumentar bastante as chances de conseguir vaga no Sisu: monitorando as notas de corte enquanto o processo seletivo está rolando.

É que diariamente o MEC faz uma atualização com as notas de corte de cada curso. Se a sua pontuação aparecer abaixo do mínimo, você pode ir mudando de opção até encontrar aquela que comporta sua nota. É possível fazer isso quantas vezes quiser, até o encerramento da seleção.
As notas de corte são divulgadas cinco vezes ao dia, em horários específicos ( 0h00, 07h00, 12h00, 17h30 e 20h00).

O que fazer se não passar no Sisu

Se a sua nota no Enem não permite vencer a concorrência do Sisu, saiba que nem tudo está perdido. Você ainda pode usar sua nota do Enem  em pelo menos três outros processos seletivos.

Prepare-se:

• ProUni – Se você atende aos requisitos de renda e formação escolar, vai conseguir participar também do ProUni, o Programa Universidade para Todos. Com ele, é possível fazer um curso em faculdade particular com bolsa de estudo parcial ou integral. Para entrar na seleção, o candidato precisa ter feito o Enem mais recente e obtido, pelo menos, 450 pontos na média das provas e acima de zero na redação. São duas edições por ano. As notas de corte para conseguir o benefício também são altas, mas um pouco mais tranquilas do que as do Sisu.

• FIES – O Fundo de Financiamento Estudantil permite que o candidato financie um curso superior com taxa de juros abaixo da praticada pelo mercado. Ele ainda ganha um prazo longo para pagamento da dívida, que só começa a ser quitada após a formatura. Para concorrer ao benefício é preciso se encaixar em um dos perfis de renda estabelecidos pelo MEC e ter feito qualquer edição do Enem a partir de 2010. A pontuação mínima exigida é de 450 na média das provas e acima de zero na redação. O FIES também acontece duas vezes ao ano.

• Ingresso direto – O Ingresso Direto é uma modalidade super popular, adotada por faculdades privadas de todo o país. É uma forma rápida e prática de entrar em um curso superior. Com ele, o candidato só tem que apresentar a pontuação que obteve no Enem e, caso tenha o mínimo exigido, basta levar a documentação solicitada para garantir a matrícula.

Quem optar por concorrer a uma bolsa do ProUni, a um financiamento do FIES ou entrar direto na faculdade particular, vai se deparar com um universo gigantesco de instituições de ensino.

Para não cair em cilada, o segredo é certificar-se de que a faculdade escolhida é bem avaliada pelo MEC, oferece boa infraestrutura e, claro, tem o curso que você quer, na modalidade que mais se encaixa nas suas necessidades.

A gente separou algumas sugestões para você. Conheça:

Todas elas também oferecem aos seus alunos vantagens como descontos, convênios, bolsas e financiamentos sem burocracia.

Veja também:

Posso usar o Enem de anos anteriores?

O que achou da nota de corte para o seu curso? Está tranquilo? Está tenso? Conte para a gente nos comentários!