Todo fim de ano rola o Enem – o Exame Nacional do Ensino Médio – e milhões de participantes saem de suas casas para encarar uma das provas mais esperadas do país.

Meses depois, para uma parte desse pessoal, é hora de enfrentar outro desafio: o Sisu, processo seletivo que usa a nota do Enem para classificar candidatos a uma vaga no ensino superior gratuito.

As inscrições para o Sisu abrem duas vezes ao ano e os requisitos de participação são bem simples.

Quer saber quais são? Descubra a seguir quem pode se inscrever no Sisu, como fazer todo o processo corretamente e, claro, como conseguir aquela vaga que você tanto deseja!

Quem pode se inscrever no Sisu

O Sisu é um processo seletivo realizado pelo governo federal que acontece simultaneamente no Brasil todo.

Pode se inscrever quem fez o Enem mais recente e não tirou zero na redação.

O processo é todo realizado pela internet, e você pode escolher qual curso quer fazer e em qual faculdade participante gostaria de estudar.

É uma revolução e tanto se compararmos com o modelo dos vestibulares tradicionais.

Hoje, cerca de 130 instituições públicas participam do Sisu, entre universidades federais, estaduais e municipais, institutos federais de ciência e tecnologia e centros federais de educação tecnológica.

Para se inscrever é preciso, antes de tudo, ficar atento às datas. São duas edições por ano. A primeira acontece no mês de janeiro, poucos dias depois da divulgação dos resultados do Enem. A segunda, entre junho e julho.

As inscrições ficam normalmente apenas quatro dias no ar. Depois que se encerram, não tem mais como participar – o Sisu não prorroga o prazo de jeito nenhum!

As datas podem variar um pouco de ano a ano, por isso é preciso acompanhar de perto o cronograma divulgado pelo Ministério da Educação (MEC).

Para se inscrever no Sisu, você só precisa:

•1. Acessar o site do Sisu durante o período de abertura de inscrições. 

2. Clicar em “Fazer Inscrição”.

3. Informar o número de inscrição e senha do Enem mais recente. Caso tenha esquecido, dá para recuperar na própria página.

4. Escolher duas opções de curso e universidade e apontar a modalidade de disputa (se por ampla concorrência ou por cotas). O sistema permite realizar buscas por curso, município ou universidade participante.

5. Confirmar a inscrição.

O Sisu conta com uma diversidade imensa de graduações – inclusive as mais badaladas, como Medicina, Direito e Engenharia. Todas as vagas são para cursos presenciais.

Quem pode se inscrever no Sisu do segundo semestre

A inscrição no Sisu do segundo semestre segue exatamente o mesmo roteiro do primeiro: acessar o site, informar número de inscrição e senha, escolher dois cursos disponíveis e definir a modalidade de disputa.

O sistema também fica aberto durante quatro dias, e os estudantes podem ir monitorando e mudando suas opções se for o caso.

A diferença é que a segunda edição conta com uma oferta menor de cursos em relação à primeira.

Quem não pode se inscrever no Sisu

Além das pessoas que não fizeram o Enem mais recente, existe outra situação em que o candidato não vai poder se inscrever no Sisu.

É o caso de quem se inscreveu no Enem como treineiro (quem ainda não está no terceiro ano do ensino médio e quer fazer o exame apenas para testar seus conhecimentos e se familiarizar com o formato das provas). Como não terá concluído o ensino médio, não poderá ocupar uma vaga no ensino superior e, portanto, não entra na disputa do Sisu.

Quem pode se inscrever na lista de espera do Sisu

A inscrição no Sisu só é válida por uma edição. Portanto, se você se inscrever para o primeiro semestre e também quiser participar da seleção do segundo, terá que fazer todo o processo novamente.

Mas tem um detalhe aqui que talvez não conheça: quem não conseguir vaga logo de cara, independentemente se na primeira ou segunda edição, ainda tem chances de entrar na universidade pública.

Logo depois que se encerra o processo seletivo regular, o Sisu abre a oportunidade de disputar as vagas remanescentes por meio de uma lista de espera.

Mas aqui também é preciso se inscrever e ficar atento aos prazos.

Assim que os resultados do Sisu são divulgados, já dá para efetuar a inscrição. O candidato que se inscreveu naquela edição do Sisu mas não passou em primeira chamada deve:

• Acessar o site do Sisu.

• Informar o número de inscrição e senha.

• Acessar o boletim de desempenho.

• Manifestar interesse em participar da lista de espera.

Por quase dois meses os candidatos em fila de espera vão sendo convocados a ocupar vagas que, eventualmente, não foram preenchidas durante o período de matrícula regular.

Outras alternativas interessantes ao Sisu

Quem não conseguir entrar no Sisu pode optar por outros tantos processos seletivos disponíveis no Brasil.

Aqui a gente lista pelo menos três outras chances de entrar rapidamente num curso superior em faculdades particulares de primeira linha.

Conheça:

• ProUni: É o programa do governo federal que distribui bolsas de estudo em faculdades particulares. São mais de 200 mil beneficiados todos os anos. Para concorrer a uma delas é preciso ter feito o Enem mais recente, com desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas e nota acima de zero na redação. O MEC exige ainda que os candidatos se encaixem em certo perfil de renda familiar e formação escolar. A inscrição fica disponível duas vezes por ano.

• FIES: Programa do governo federal que permite financiar um curso de graduação com prazo longo, a juros baixos. Para tentar o benefício, o candidato precisa se encaixar em determinado perfil de renda e ter feito qualquer edição do Enem a partir de 2010, com pontuação de pelo menos 450 na média das provas e acima de zero na redação. O FIES também abre inscrições duas vezes por ano.

• Ingresso direto: O ingresso direto é uma modalidade de seleção cada vez mais comum entre as faculdades particulares de todo o Brasil. Nela, o candidato só precisa apresentar a pontuação que obteve no Enem para conseguir a vaga – desde que, claro, tenha o desempenho exigido pela instituição.

Se você for participar do FIES, do ProUni ou tentar entrar pelo ingresso direto, vai se deparar com um número imenso de faculdades participantes.

A dica de ouro aqui é: escolha somente faculdades reconhecidas e bem avaliadas pelo MEC – esse vai ser o seu primeiro passo para o sucesso no mercado de trabalho.

A gente separou algumas bem interessantes para você levar em conta:

Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA)

Universidade Estácio de Sá (UNESA)

Universidade Norte do Paraná (UNOPAR)

Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL)

Universidade Cidade de São Paulo (UNICID)

Universidade de Franca (UNIFRAN) 

Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS) – em Minas Gerais

Universidade Anhembi Morumbi (a distância)

FMU (a distância)

UNIFACS (a distância) – em Salvador/BA

UnP – Universidade Potiguar (a distância) – em Natal/RN

Veja também:

Que nota preciso tirar no Enem para passar no Sisu?

Vai se inscrever no Sisu? Qual curso você vai tentar? Conte para a gente nos comentários!