Depois que termina o Enem, tudo o que a gente quer é ficar alguns dias na preguiça, tamanho é o esforço para se preparar para as provas. É ou não é?
Bom, os candidatos têm direito a um belo descanso após as provas, mas não dá para exagerar.
É que assim que sai o resultado do exame começa a corrida por uma vaga no ensino superior – e certamente você vai querer garantir seu lugar em uma faculdade de qualidade!
Para não correr o risco de ficar fora dessa disputa, veja tudo o que você deve fazer depois do Enem para chegar a mil por hora nos processos seletivos e garantir sua vaga!

1. Pesquise as faculdades onde você gostaria de estudar

Essa é, talvez, a tarefa mais importante que você terá de cumprir depois do Enem – e é bom começar sua pesquisa bem antes da divulgação dos resultados do exame, que acontece em meados de janeiro.
A missão: escolher as faculdades públicas e particulares de qualidade que têm o curso que você quer fazer.
Para tudo que envolve o Enem a gente precisa traçar um plano A, B e C, sempre. Os processos seletivos que usam a nota do exame (vamos falar deles logo a seguir) são bem concorridos e nem sempre é possível entrar na primeira opção.
Se você pretende estudar em uma universidade pública, faça um mapeamento daquelas onde gostaria de estudar (pode ser em outra cidade ou outro estado também, caso tenha condições de se mudar e se manter em outra localidade).
Se for participar dos demais processos seletivos, faça uma listagem com as faculdades particulares mais interessantes.
Como o segundo caso tem milhares de opções, a gente traz de antemão algumas sugestões para você. São faculdades reconhecidas e bem avaliadas pelo MEC que oferecem cursos de graduação em todas as áreas do conhecimento:
Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA)
Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL)
Universidade Cidade de São Paulo (UNICID) 
Centro Universitário do Distrito Federal (UDF) – no Distrito Federal 
Universidade de Franca (UNIFRAN) 
Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS) – em Minas Gerais

2. Descubra qual processo seletivo é o mais adequado para você

Quem faz o Enem tem pelo menos oito chances de entrar na faculdade todos os anos – uma por semestre e processo seletivo.
Duvida? Então faça as contas:
• Duas edições do Sisu, que concede vagas em universidades públicas
• Duas edições do ProUni, que distribui bolsas de estudos em instituições particulares
• Duas edições do FIES, que financia os estudos em faculdades privadas
• Pelo menos duas edições do ingresso direto, que permite entrada na faculdade particular sem fazer vestibular
Veja quais são os mais indicados para você e acompanhe os detalhes de cada um deles nos tópicos a seguir.

3. Prepare-se para o Sisu

O Sisu é o processo seletivo mais concorrido entre os que usam a nota do Enem. E não é por menos: aqui estão distribuídas vagas em universidades públicas de todo o país.
Um dos grandes atrativos do programa é não ter muitas exigências de participação. Qualquer pessoa que fez o Enem mais recente e não tirou zero na redação pode tentar uma das quase 300 mil vagas oferecidas todos os anos, em tudo quanto é curso.
Mas para se dar bem é preciso ter uma boa nota. As vagas vão para os candidatos que apresentarem o melhor desempenho nas provas.
Sua tarefa: estudar todas as possibilidades do Sisu, incluindo em quais cursos você conseguiria entrar com a sua nota, e em quais instituições.
A primeira edição do Sisu acontece logo depois da divulgação dos resultados do Enem.

4. Prepare-se para tentar uma bolsa pelo ProUni

Se o Sisu não rolar, ou se o seu lance é mesmo estudar em uma faculdade particular com bolsa de estudos, pode começar a se preparar para o ProUni.
O programa de bolsas parciais e integrais do governo federal também é bastante concorrido, por isso é bom dar uma estudada antes.
O ProUni exige que o candidato tenha renda familiar mensal bruta de até três salários mínimos per capita e tenha feito todo o ensino médio em escolas da rede pública (ou em escola particular como bolsista integral). Ele também precisa ter feito o Enem mais recente e obtido pelo menos 450 pontos na média das provas, sem ter zerado a redação.

5. Tente financiar o curso com o FIES

Se você precisa de um estímulo financeiro para fazer um curso superior, pode ir se preparando para o FIES, o fundo do governo federal que financia os estudos a juros baixos e, de quebra, ainda oferece um prazo bem longo para o pagamento das parcelas.
Pode participar quem fez qualquer Enem a partir de 2010, não tirou zero na redação e obteve pelo menos 450 pontos na média das provas. O programa é destinado a quem tem renda familiar mensal bruta de até cinco salários mínimos por pessoa.

6. Entre direto na faculdade sem ter que fazer vestibular

A maneira mais rápida e descomplicada de entrar na faculdade é pelo ingresso direto, uma modalidade de seleção utilizada em um número cada vez maior de faculdades particulares pelo país.
Basta apresentar a nota obtida em qualquer edição do Enem a partir de 2010 e, caso tenha pontuação igual ou superior à estabelecida pela faculdade, já pode fazer a matrícula.
Sua missão aqui é bastante simples: escolher as faculdades que trabalham com ingresso direto e preparar a documentação caso seja aceito no curso desejado – incluindo o boletim de desempenho do Enem!
Vamos repetir a lista aqui. Todas as faculdades trabalham com ingresso direto, bolsas e financiamentos. Confira:
Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA)
Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL)
Universidade Cidade de São Paulo (UNICID) 
Centro Universitário do Distrito Federal (UDF) – no Distrito Federal 
Universidade de Franca (UNIFRAN) 
Faculdade Pitágoras (PITÁGORAS) – em Minas Gerais

Veja também:
Enem acumula pontos?
E você, o que vai fazer depois do Enem? Conte para a gente aqui nos comentários!