Recorrer a programas de financiamento estudantil é a saída para milhares de estudantes que desejam fazer uma faculdade, mas não têm condições de arcar com o custo das mensalidades. Entre os programas disponíveis, o FIES é o mais utilizado pelos estudantes, devido aos benefícios oferecidos por ele.

Além de ter uma taxa de juros relativamente baixa, o FIES ainda pode financiar até 100% de uma graduação, dependendo do valor do curso e da faixa de renda do estudante. Mas para conseguir o financiamento é necessário cumprir com os critérios estabelecidos pelo programa.

Quer saber quais são as regras do FIES e como financiar seus estudos? Então confira o post que criamos especialmente sobre o assunto!

O que é o FIES e como funciona o programa

O FIES é um programa de financiamento estudantil criado pelo governo federal em 1999, com o objetivo de custear a graduação de estudantes que não têm condições de pagar as mensalidades de seu curso. Para recorrer ao financiamento, o estudante deve estar matriculado em uma faculdade particular que tenha parceria com o FIES.

As instituições de ensino superior credenciadas no FIES, devem ser reconhecida pelo MEC e ter uma boa avaliação perante o órgão. Os requisitos cobrados dos estudantes serão descritos com cuidado mais adiante.

O programa visa beneficiar estudantes de baixa renda e, por isso, oferece uma linha de financiamento a juros zero, dependendo da renda do beneficiário. Os candidatos que não se enquadrarem nessa linha de financiamento, podem participar do programa em outra categoria, na qual será cobrada uma taxa de juros relativamente baixa. Falaremos mais sobre isso nos próximos tópicos.

Regras do FIES 2019

As regras para o FIES mudam constantemente, por isso, antes de se candidatar ao financiamento, é preciso se atentar às normas vigentes. Uma das exigências atuais para conseguir o FIES é ter participado de qualquer uma das edições do Enem realizadas a partir de 2010.

Mas apenas isso não basta. Ainda é necessário ter tirado nota maior do que zero na redação e obtido uma pontuação igual ou superior a 450 na prova objetiva. Atualmente, existem duas modalidades de financiamento: o FIES e o P-FIES. Veja a seguir com funciona cada um deles.

FIES

O FIES é voltado especificamente para estudantes com renda mensal familiar de até 3 salários mínimos por pessoa. Neste caso, a taxa de juros do financiamento será zero.

P-FIES

Destinada para estudantes com renda familiar mensal entre 3 e 5 salários mínimos por pessoa, essa modalidade oferece o financiamento com taxa de juros diferenciada. A taxa não é pré-estabelecida, variando de acordo com a região onde o estudante mora e a faixa de renda da família.

Para quem mora nas regiões centro-oeste, norte e nordeste, a taxa de juros varia entre 2,5% e 3,5% ao ano. Estudantes que moram em outras regiões do país, e se enquadram na faixa de renda do P-FIES, terão que pagar uma taxa de juros anual de 6,5%.

Para ter direito ao financiamento em qualquer uma das modalidades, o estudante pré-selecionado precisa comprovar a renda familiar por meio da documentação exigida pelo programa. Caso contrário, não conseguirá finalizar o processo e assinar contrato com o banco responsável pela liberação do crédito.

De acordo com as regras do FIES 2019, o estudante que contratar o crédito educativa começa a pagar as parcelas do financiamento um mês após se formar, desde que esteja empregado. Em outras edições, havia uma carência, permitindo que o beneficiado tivesse tempo para se organizar financeiramente e, enfim, começar a pagar as parcelas do empréstimo. O prazo para quitar o FIES é de até 14 anos.

Quem pode se inscrever no programa

Podem conseguir um financiamento de até 25% do valor do curso, estudantes que:

  • se enquadram nas faixas de renda citados nos tópicos anteriores e que não têm dívidas com programas antigos de financiamento estudantil.

  • se beneficiam do ProUni, com bolsa de 50%.

O programa é voltado para quem não tem ainda uma graduação, mas quem busca uma segunda formação também pode ser beneficiado. Neste caso, são disponibilizadas apenas as vagas remanescentes do programa.

Quando começam as inscrições para o FIES 2019

As inscrições para o FIES 2019 estão agendadas para o período de 19 a 28 de fevereiro, e devem ser feitas pelo site http://fiesselecao.mec.gov.br/.

O programa abre processo seletivo duas vezes ao ano, mas o período de inscrições para o segundo semestre ainda não foi divulgado. No entanto, com base nas datas dos anos anteriores, sabemos que a seleção deverá acontecer entre os meses de junho e agosto.

Assim, se você não conseguir o financiamento no primeiro semestre, pode tentar de novo na segunda metade do ano.

Onde estudar pelo FIES

Agora que você já sabe as regras do FIES 2019 e como ele funciona, está na hora de conhecer algumas instituições credenciadas no programa. Em nossa lista constam apenas algumas faculdades, pois há milhares de instituições parceiras espalhadas por todo o país.

As faculdades a seguir oferecem cursos em diversas modalidades e possuem um bom padrão de qualidade de ensino — fator decisivo para que o MEC aceite que a instituição possa oferecer cursos financiados com recursos do governo federal.

Acesse os links e confira se alguma delas está presente em sua cidade.

Além de serem instituições bem conceituadas perante ao MEC, as faculdades citadas acima ainda oferecem descontos e financiamentos próprios. Então, caso você não consiga o FIES e tenha interesse em estudar em alguma das instituições citadas, poderá se beneficiar desses programas. Para mais informações sobre as regras dos descontos e financiamentos, basta entrar no site das faculdades.

Veja também:

Descubra como usar o FIES para pagar a faculdade

Descubra se precisa ter feito o Enem para conseguir o FIES

Agora que você já sabe as regras do FIES 2019, está na hora de contar para a gente onde pretende estudar no próximo ano e qual curso pretende fazer. Deixe seu comentário aqui embaixo.