O Fies é uma excelente alternativa para estudantes que não conseguem uma vaga em uma faculdade pública e não dispõe de recursos para arcar com as mensalidades de uma instituição particular. O crédito beneficia milhares de estudantes em todo o país, todos os anos.

Embora os juros cobrados pelo programa sejam baixos, há um prazo para a quitação da dívida. Como é um tempo um pouco longo, podem acontecer imprevistos como o estudante ficar desempregado e ficar impossibilitado de pagar a dívida.

Mas o que acontece se não pagar o Fies? Meu nome vai para o serviço de proteção ao crédito? Terá incidência de juros? Vou ficar sem crédito na praça? Neste post, vamos responder a estas e outras perguntas. Acompanhe!

Como funciona o Fies?

O Programa de Financiamento Estudantil (Fies) foi criado pelo Governo Federal para ajudar pessoas de baixa renda a ingressarem no ensino superior.

Com os recursos do Fies, os estudantes conseguem pagar as mensalidades de uma faculdade particular. Os juros são baixos e, em alguns casos, nem há incidência de juros sob o financiamento.

Além disso, quem é beneficiado pelo Fies só paga o financiamento depois de formado na faculdade. Há alguns anos, tinha um prazo de carência de 18 meses depois de terminar os estudos para começar a pagar. Mas, houve mudanças nas regras e logo após a formatura o estudante já deve começar a quitar o financiamento.

Mas como no país há altas taxas de desemprego e nem sempre é fácil conseguir uma vaga no mercado de trabalho após sair da faculdade, é comum que muitos estudantes deixem de pagar o financiamento.

A taxa de inadimplência, somente em 2016, foi de 53%, mais da metade dos contratos em fase de pagamento naquele ano. Foi exatamente por isso que ocorreram mudanças no prazo de carência — para evitar "calote".

Por causa da alta taxa de inadimplência, o programa reduziu o número de vagas e tornou praticamente impossível o acesso ao financiamento total do curso.

O que acontece se não pagar o Fies?

Uma dúvida muito comum de estudantes sobre o que acontece se não pagar o Fies e em relação à perda do diploma.

Bom, se você cumpriu todas as obrigações na faculdade e colou grau, tem direito ao seu diploma e não tem como o Governo Federal interferir nessa questão. O não pagamento da dívida também não impede de você se inscrever em órgãos regulamentadores da profissão e trabalhar na área a qual se formou.

No entanto, quando você recorre ao Fies, assina um contrato com o banco — Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil — então, se não pagar a dívida, seu nome vai constar na lista de inadimplentes do Serasa.

Com o nome incluído no Serasa, você não consegue ter acesso a outros tipos de financiamento, como de imóveis e automóveis. Além disso, você não vai conseguir ter fazer cartões de crédito e nem comprar a prazo em lojas que vendem no crediário.

Se desistir do curso, tenho que pagar o Fies?

A desistência do curso antes de formar não implica no cancelamento da dívida. Nesses casos, é preciso cancelar o contrato junto ao Fies, mas o crédito já utilizado deve ser pago. Caso contrário, o nome vai ficar "sujo", do mesmo jeito.

Como posso negociar minha dívida com o Fies?

O primeiro passo para negociar a dívida é verificar quanto pode pagar por mês e depois, buscar uma renegociação do valor devido junto credor para ter seu nome "limpo" na praça novamente.

O recurso de renegociação da dívida permite ao credor que sua dívida seja reavaliada e que sejam propostas novas formas de pagamento ou um prazo maior para quitação da dívida. Esse recurso também é válido para renegociar parcelas em atraso.

O pedido de renegociação da dívida deve ser feito primeiro no site do SisFies. Depois, é necessário ir uma agência do banco credor, levando os documentos pessoais, (RG, CPF, comprovante de residência, comprovante de renda do fiador, Documento de Regularidade para Alongamento de Amortização, Declaração de inexistência de ação judicial) para assinar o Termo Aditivo.

Alguns profissionais, como professores e médicos, que utilizaram recursos do Fies para financiar seus estudos, têm a opção de pagar o empréstimo com serviço público. Para cada mês de serviço prestado, há um abatimento de 1% do valor da dívida.

A dívida do Fies prescreve com o passar dos anos?

Ao contrário de outros tipos de empréstimo, a dívida com o Fies não se prescreve facilmente depois de 5 anos. Então, após ficar 5 anos sem pagar o empréstimo, o nome do inadimplente continuará no Serasa e ele ainda corre o risco de ter bens apreendidos e bloqueados para saldar seu débito com o Governo Federal.

O prazo para prescrição do Fies é um pouco complexo, pois leva em consideração o vencimento das parcelas.

Como o prazo para pagamento do financiamento é de 3 vezes o tempo do curso, o estudante que faz um curso de 4 anos, terá 12 anos para quitar a dívida. Agora imagine, quanto tempo demora para prescrever uma dívida com um prazo tão longo de financiamento?

Existem outras alternativas além do Fies para custear meus estudos?

Viu o que acontece se não pagar o Fies? Embora o programa seja uma boa opção para quem deseja ingressar em um curso superior, mas não tem condições de pagar as mensalidades, ele é muito burocrático. Mas, felizmente, há outras alternativas mais acessíveis e flexíveis, que permitem o financiamento de cursos superiores.

Algumas instituições de ensino superior têm seus próprios programas de financiamento. Além de serem mais flexíveis, esses programas não exigem que o interessado faça o Enem ou comprove renda de todos os membros familiares.

A seguir, citaremos faculdades que oferecem esse tipo de financiamento para facilitar o ingresso de estudantes no ensino superior.

Agora que você sabe o que acontece se não pagar o Fies, está na hora de deixar seu comentário sobre o conteúdo do post. Diga para nós se as informações foram suficientes para tirar suas dúvidas sobre o assunto.