A Origem do Conflito

Teve início no dia 1 de maio, quando o presidente Evo Morales, publica um decreto estatizando as reservas de gás e petróleo da Bolívia, bem como todo o patrimônio lá implantado pela empresa brasileira, Petrobras.

Os Interesses da Petrobras na Bolívia

Na década de 90, a Bolívia ofereceu suas refinarias em leilão internacional. Davam prejuízo, e o país não tinha dinheiro para investir. Não apareceu comprador. O Brasil aceitou o apelo boliviano para adquiri-las.

Aportamos capital e tecnologia, viabilizamos o negócio do gás, construindo um gasoduto com 3.000 km de extensão passando pelo Pantanal que desde a sua conclusão o Brasil passou a importar o gás da Bolívia. tem Investimentos em torno de US$ 2 bilhões naquele país.

Tem participação em toda a cadeia produtiva de petróleo e gás -exploração, produção, refino, transporte e comercialização-, controla cerca de 45% dos campos de extração e possui as duas maiores refinarias do país. Em 2005, o faturamento da Petrobras naquele país foi de US$ 600 milhões.

A Petrobras na Economia da Bolívia

A Petrobras responde por 15% do PIB da Bolívia e por 20% de toda a sua arrecadação. Criou, no Brasil, um mercado consumidor para 85% daquele gás (riqueza natural que sem nosso mercado nada valeria) e gera mais de dez mil empregos bem remunerados. A Bolívia destina ao Brasil 33% de suas exportações.

Seus dois principais produtos são gás e soja, que representam quase a metade de todas as suas vendas que ela faz ao exterior. Os investimentos do Brasil representam cerca de 18% do PIB da Bolívia. A Petrobras, responsável por 30% da arrecadação tributária da Bolívia.

Reservas de Gás e Petróleo da Bolívia

Apenas no caso do gás natural, a Bolívia detém a segunda maior reserva do continente estimada em 48,7 trilhões de pés cúbicos de gás, as maiores reservas do continente são da Venezuela.

Estatização - Não é a Primeira Vez

Essa não é a primeira vez que nacionalizações de gás e petróleo ocorrem na Bolívia. É a terceira vez na história do país (1937, 1969, 2006), mas em nenhuma das duas vezes a Bolívia teve condições de sustentá-las.

Outro Fato Histórico - A Compra do Acre

Evo Morales, lembrou um fato histórico envolvendo as relações entre Brasil e Bolívia: Morales lembrou-se do Acre como um exemplo de ''espoliação''. Segundo ele, o território havia sido comprado pelo Brasil e o pagamento foi um ''um cavalo''.

Com nosso governo não se dará isso porque a luta dos povos indígenas, historicamente, é a defesa do território, a defesa dos recursos naturais".

A Verdade Sobre a Compra do Acre

A região do Acre ocupada por seringueiros brasileiros no final do século 19, passa a figurar nos documentos históricos como território brasileiro em 1903, ao final de uma negociação conduzida pelo Barão do Rio Branco que resultou no Tratado de Petrópolis, ao custo de 2 milhões de libras esterlinas pagos aos governos da Bolívia e do Peru, e de uma indenização de 150 mil libras à uma companhia controlada por ingleses e americanos que dominava a região.

Quem é a Bolívia

País interior da América do Sul, localizado entre duas cadeias mais altas dos Andes, limitado pelo Brasil e Paraguai a norte e a leste; pela Argentina ao sul; e pelo Peru e Chile a oeste.

 

Com o Brasil tem a maior faixa de fronteira, dividida em quatro Estados: Acre, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Perdeu para o Chile, na Guerra do Pacífico (1879-1884), os portos de Antofagasta, Mejillones, Cobija e Tocopilla, portanto ficou sem saída para o mar.

Natureza Rica

Possue grandes jazidas de diversos minerais e representa um dos centros energéticos mais ricos da América do Sul (1,5 trilhão de metros cúbicos de reservas entre conhecidas e estimadas), ali há mais estanho do que em qualquer outro lugar do mundo. A descoberta de minas de prata nas montanhas de Potosí em 1545, já despertou o interesse dos espanhóis.

População Pobre

Segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatísticas, 67,3% dos 9,2 milhões de bolivianos são pobres, a mais alta porcentagem entre os países da América do Sul.