O Acordo de Livre Comércio da América do Norte, o NAFTA (North America Free Trade Agreement) foi planejado para ser um instrumento de integração das economias dos EUA, do Canadá e do México.

O NAFTA (North America Free Trade Agreement) foi iniciado em 1988, entre norte-americanos e canadenses, e por meio do Acordo de Liberalização Econômica, assinado em 1991, formalizou-se o relacionamento comercial entre os Estados Unidos e o Canadá. Em 13 de agosto de 1992, o bloco recebeu a adesão dos mexicanos.

O NAFTA entrou em vigor em 1 de janeiro de 1994, com um prazo de 15 anos para a total eliminação das barreiras alfandegárias entre os três países, estando aberto a todos os Estados da América Central e do Sul.

O NAFTA consolidou o intenso comércio regional no hemisfério norte do Continente Americano, beneficiando grandemente à economia mexicana, ao mesmo tempo em que aparece como resposta à formação da Comunidade Européia, ajudando ainda a enfrentar este bloco econômico europeu e a concorrência representada pela fortíssima economia japonesa.

O NAFTA não constitui uma organização internacional de cooperação econômica nos moldes clássicos. A meta essencial do acordo constitutivo do NAFTA é construir, no prazo de quinze anos, uma zona de livre comércio com ampla abrangência, se possível, atraindo outros países do Continente Americano, regulando os investimentos, a propriedade intelectual e o comércio de bens e serviços nos países membros do bloco.

É possível imaginar que a proposta norte-americana de constituição de uma grande Área de Livre Comércio das Américas (ALCA) venha a basear-se num modelo institucional e nos objetivos estabelecidos pelo NAFTA.

O bloco econômico do NAFTA abriga uma população de 417,6 milhões de habitantes, produzindo um PIB de US$ 11.405,2 trilhões, que gera US$ 1.510,1 trilhão de exportações e US$ 1.837,1 trilhão de importações.São

Países-Membros do NAFTA: Estados Unidos, Canadá e México.