Voltar a estudar está cada vez mais fácil. São inúmeros programas do governo que incentivam a qualificação técnica, a conclusão do ensino básico e a graduação de nível superior, como o Sisu, o Prouni e o FIES. Além disso, existe a opção de cursos a distância (EAD) em diferentes níveis, ideais para quem precisa trabalhar e estudar ao mesmo tempo.

Se você sonha em voltar a estudar, mas acha que não tem mais idade para aprender, saiba que cada vez mais pessoas como você estão enfrentando o desafio de encarar a sala de aula novamente em todos os níveis de escolaridade. Somente no Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, 9 em cada 100 candidatos tem 35 anos ou mais (dados de 2013) e o número só aumenta. Universidades públicas e privadas também recebem “calouros” com mais de 30 anos. Isso sem falar no EAD, que tem cursos para todos os níveis: desde o supletivo do ensino fundamental até a pós-graduação, passando por cursos técnicos e de nível superior.

    

Confira, a seguir, as opções para quem quer voltar a estudar:

Voltar a estudar no Ensino fundamental

Quem não terminou o Ensino Fundamental, ou antigo 1o grau, pode voltar a estudar em turmas específicas para adultos, ou fazer uma prova para obter o certificado e conseguir um emprego melhor.

  • Educação de Jovens e Adultos (EJA): as aulas são gratuitas e podem ser oferecidas por escolas públicas e privadas. Para participar, é preciso ter pelo menos 15 anos de idade.
  • Supletivo: é um curso pago e o aluno consegue concluir as séries na metade do tempo. É preciso frequentar as aulas e fazer provas. Procure saber se a escola é autorizada e desconfie se oferecerem o diploma sem precisar estudar. O Supletivo também pode ser feito a distância, desde que as provas sejam presenciais (na escola). Para fazer o supletivo do ensino fundamental, você precisa ter pelo menos 15 anos.
  • Prova: desde 2002, é possível conseguir o certificado de conclusão do ensino fundamental por meio de uma prova, o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). A prova é gratuita e é preciso ter no mínimo 15 anos para participar.  As inscrições acontecem no começo do ano e são feitas pela internet, no site do programa: portal.inep.gov.br/web/encceja/encceja.

Voltar a estudar no Ensino Médio

As opções para quem quer voltar a estudar para concluir o Ensino Médio (antigo 2o grau) são:

  • Supletivo: assim como acontece no Ensino Fundamental, o supletivo permite concluir as séries do Ensino Médio na metade do tempo. Pode ser feito presencialmente ou a distância e o cuidado é o mesmo: procurar uma escola séria e autorizada. Fuja dos cursos do tipo “pagou, passou”, pois o diploma só vale se a escola for reconhecida e se você fizer todas as provas necessárias. A idade mínima para quem vai fazer o supletivo do Ensino Médio é 18 anos.
  • Enem: é possível obter o Certificado de Conclusão do Ensino Médio usando a prova do Enem. Para isso, é preciso ter 18 anos e marcar essa opção quando se inscrever para o exame.
Saiba como fazer para concluir o Ensino Médio usando o Enem.

Voltar a estudar em curso técnico ou profissionalizante

Cursos técnicos e profissionalizantes são uma boa opção para quem quer voltar a estudar. Além de terem uma duração mais curta do que os cursos superiores, são focados no mercado de trabalho e em muitos casos é possível sair do curso já empregado.

O governo federal tem o Programa Nacional de Acesso a Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), com vagas para cursos técnicos e profissionalizantes gratuitos em todos os estados brasileiros, e pessoas com diferentes níveis de escolaridade podem participar. Há cursos para quem só fez até a 4a série, para quem tem o ensino fundamental completo, para quem não terminou o ensino médio e para quem já concluiu o ensino médio. Os cursos podem ser presenciais ou a distância.

Saiba mais sobre o Pronatec.

Voltar a estudar em curso superior

Fazer uma faculdade é o sonho de muitos brasileiros. Se você não conseguiu ou não teve condições de entrar em um curso superior logo depois de concluir o Ensino Médio, saiba que é possível voltar a estudar e, em muitos casos, nem é necessário fazer o vestibular. Só com o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), é possível entrar em vários cursos.

Se você quer fazer uma faculdade e está adiando o plano por não ter condições financeiras de pagar a mensalidade, conheça algumas opções:

  • Sisu: programa do governo que usa a nota do Enem para classificar candidatos a vagas em universidades públicas.
  • Prouni: programa do governo que usa a nota do Enem para selecionar candidatos a bolsas em faculdades privadas.
  • FIES: programa do governo que financia o curso de graduação a juros de 3,4% ao ano.
Veja também:

Se você tem receio de só encontrar gente muito mais jovem na faculdade, saiba que:

1. A sua experiência profissional e de vida pode ser valorizada por colegas e professores. A troca de conhecimentos pode ser proveitosa para todos.

2. Você pode se surpreender e encontrar mais pessoas com a mesma idade que você. Veja o artigo: Faculdades para maiores de 30.

Quando o maior desafio é conseguir conciliar trabalho e estudo, uma possibilidade é fazer uma graduação na modalidade a distância (EAD). São várias opções de cursos em instituições públicas e privadas reconhecidas pelo MEC. Algumas delas participam do Programa Universidade para Todos (Prouni).

Confira as vantagens do ensino a distância.

Voltar a estudar na pós-graduação

Se você já tem um curso superior e pretende voltar a estudar, a pós-graduação é o caminho mais natural. São duas opções:

  • Pós-graduação lato sensu: são cursos de especialização e MBAs, focados no aprofundamento de competências ligadas à atividade profissional.
  • Pós-graduação stricto sensu: são os cursos de mestrado e doutorado, mais voltados para a área acadêmica e de pesquisa.
Nos dois casos, a experiência que você acumulou após a graduação pode contar a seu favor. A oferta de cursos é grande, em todas as áreas do conhecimento e modalidades (presencial, semipresencial e a distância). Especializações e MBAs costumam ter horários compatíveis com a rotina de quem trabalha, com aulas à noite e aos fins de semana. Já o mestrado e doutorado, dependendo do curso, podem ter uma carga horária um pouco mais difícil de conciliar com o trabalho, além de exigirem uma dedicação maior para a elaboração da dissertação ou tese.

Veja também: Financiamento do FIES para Pós-Graduação

E você? Está pensando em voltar a estudar? Já teve essa experiência? Compartilhe com a gente nos comentários.