Método proposto pelo MEC é tido como mais democrático e capaz deimpulsionar alterações nos currículos das escolas de nível médio.

OExame Nacional do Ensino Médio foi reformulado e passou a ser aceitocomo um dos principais instrumentos de seleção para as universidadesfederais. A aposta é que o Novo Enem sinalize para uma renovação doensino secundário, ao mesmo tempo em que propõe uma abordagem maisinterdisciplinar, calcada no raciocínio, na busca de soluções e narealidade.

Isso significa, na percepção de alguns educadores,que a metodologia apresentada pelo novo exame permitirá avaliar melhoro desempenho do aluno. Assim, ao invés de medir a quantidade deinformações que o estudante consegue decorar, a avaliação privilegiasua capacidade de raciocínio e habilidades para a resolução deproblemas.

Na visão de Mariza Galbez, coordenadora do cursoPreparatório para o Enem, da Microlins, a intenção do MEC é impulsionaruma alteração na grade do ensino médio, de modo que todas asdisciplinas estejam interligadas e a teoria mais vinculada à prática.“Para o aluno esse tipo de avaliação dá mais oportunidade, pois elepode valer-se de sua capacidade de raciocínio para resolver questõesque anteriormente exigiriam um vasto conteúdo decorado”, explica.

Outroaspecto positivo salientado pela coordenadora é o fato de a nota doNovo Enem ser considerada pela maioria das universidades federais, sejasubstituindo total ou parcialmente o vestibular, seja utilizando-a comoum percentual na composição da nota final. O exame substituirá, ainda,a prova do Encceja (Exame Nacional para Certificação de Competências deJovens e Adultos), que avalia as competências básicas daqueles que nãotiveram oportunidade de acesso à escolaridade regular na idadeapropriada.

Para Galbez, a tendência é que o Enem, cada vezmais, substitua os processos de seleção tradicionais. “Muito doconteúdo decorado para o vestibular não será de utilidade na profissãoescolhida ou, mesmo que seja relacionado, o aluno tem dificuldade deutilizá-lo na prática. Essa visão de aprendizagem que o Novo Enemsugere está mais próxima da realidade e é também mais democrática”,analisa.

O Novo Exame Nacional do Ensino Médio será aplicadonos dias 3 e 4 de outubro em 1.619 municípios brasileiros. A avaliaçãoé concebida a partir das orientações curriculares previstas para oensino médio, que estão estruturadas em quatro áreas: Ciências Humanase suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Matemáticae suas Tecnologias; Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Dessaforma, o exame será constituído por 45 questões de múltipla escolha decada área, totalizando 180 questões, além de uma proposta de redação.

Preparatório para o Enem - Com a substituição progressiva dosvestibulares pelo Enem, muitos cursinhos pré-vestibulares estãocorrendo contra o tempo para adaptar seus cursos. Para os docentes, quehá anos trabalham dentro do conceito tradicional, a adequação nãodeverá ser fácil.

Com uma visão futurista, a Microlins, maiorempresa de cursos profissionalizantes do país, desenvolveu um curso queensina ao aluno como aplicar os conhecimentos adquiridos na resoluçãodas questões da prova. No curso Preparatório para o Enem o alunodesenvolve suas habilidades para interpretar e inter-relacionardisciplinas na busca de soluções e propostas. Vale ressaltar que osconhecimentos adquiridos serão úteis não apenas para a realização doexame, mas também para toda a vida, aguçando no aluno a capacidade deanalisar as situações por meio de uma nova perspectiva.

“O quenos diferencia dos outros é o nosso método de ensino, que já surgiudentro do enfoque que hoje é novidade para muitos, voltado adesenvolver as competências dos alunos”, aponta Ana Rausini,coordenadora pedagógica dos cursos telepresenciais da Microlins, dentreeles o Preparatório para o Enem.

O foco do curso é ajudar osestudantes do ensino médio, ou concluintes, a desenvolver o raciocíniopara obter bons resultados nos processos de seleção. Assim, adotar oEnem como modelo foi uma escolha estratégica da Microlins. “A ideia deoferecer o curso surgiu justamente porque o Enem é uma oportunidade decrescimento para nossos alunos, uma porta de acesso ao ensino superiore um novo degrau em suas carreiras”, explica Rausini.

Com ocurso, o estudante terá chances de ingressar na instituição de ensinosuperior de sua escolha, seja pública ou privada. Os alunos da redepública, com um bom desempenho no exame, podem, ainda, candidatar-se auma vaga na universidade pelo Prouni (Programa Universidade paratodos), desde que preenchidas as condições socioeconômicas.

Desdeabril deste ano, o Preparatório para o Enem está disponível em algumasdas unidades próprias da Microlins. Com o lançamento da TV Microlins, ocurso deve chegar, até o final do ano, às 730 franquias da Rede. Asaulas, telepresenciais, terão valores bastante acessíveis.