Onovo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que será aplicado nos dias3 e 4 de outubro, vai representar um duplo desafio para os estudantesque querem usar a nota obtida para ingresso em uma faculdade. Elesterão que superar a forte concorrência deste ano e as modificaçõesimplementadas na prova, sobretudo maior quantidade de questões (63 para180, mais a redação), dois dias em vez de ume c onteúdo que privilegiao raciocínio crítico.

Para se dar bem, especialistas ouvidos pelo CORREIO deramalgumas dicas. A principal, uma unanimidade entre professores, é estarbem informado sobre os temas da atualidade. Como 100% das questões sãocontextualizadas, é bem provável que elas abordem temas correntes donoticiário. “Principalmente os assuntos importantes que aconteceram atéagosto, que é quando a prova foi elaborada”, ensina a professora AnyaMoura, que dá aulas de gramática, literatura e redação nos colégiosOficina, Módulo e Apoio. Ela recomenda a leitura habitual de pelo menosum jornal diário e duas revistas semanais “de ideologias diferentes,para que ele tenha sua própria opinião”, diz Anya.

A proposta do novo exame, de valorizar o raciocínio em vez dapopular “decoreba”, deixa a prova mais difícil, o que pode contar afavor. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas EducacionaisAnísio Teixeira (Inep), que elabora a prova, as fórmulas mais complexasvirão junto às questões em que forem exigidas.

O novo Enem também tem 10% a menos de conteúdo do que osvestibulares tradicionais. Então, é bom ficar atento à lista dosassuntos exigidos, com professores ou no site www.enem.inep.gov. br.Outra boa dica é ficar atento aos enunciados das questões. Como osproblemas da prova serão sempre contextualizados, os textos queapresentam as perguntas podem trazer bons indicativos sobre a respostacorreta. “O aluno também deve prestar atenção e usar o raciocíniológico para eliminar as dúvidas”, assinala o professor de gramática eredação Luis Alberto Ferreira, dos cursinhos Central do Vestibular, DNAe Análise.

Dificuldade

“A prova é bem elaborada, maso problema é que aumentou muito o número de questões”, queixa- se AndréFernandes, 17 anos, que vai usar a nota do Enem para tentar entrar emuma faculdade de direito ou engenharia de petróleo. Mas o estudante nãoreclama das dificuldades. “Acho uma prova mais justa do que a primeirafase da Ufba, porque não aprofunda tanto os assuntos específicos decada área”, pondera André.

Nem todos apostam em um grau maior de dificuldade. Para o professorde língua portuguesa e literatura Evert Reis, do Colégio Anchieta, onovo Enem será mais simples do que a prova de um vestibulartradicional, onde é maior o volume de informações. “O Enem é maishonesto no desenvolvimento de habilidades e competências. Nossasescolas estão há um século trabalhando o volume de conteúdo, por isso onível é menor”.

Tempo

Para a professora Lisabeth Texeira, doscolégios Helyos e Mercês, o aluno deve manter a tranquilidade paramostrar o que aprendeu. “Existe uma ansiedade em cima da prova, queserá longa, em dois dias”, comenta.

O tempo, de fato, preocupa. Serão quatro horas para a resolução de90 questões, em cada dia de prova, o que dá uma média de três minutospor questão. No segundo dia de prova, há uma hora a mais para aredação. “Como a proposta do Enem é medir a capacidade do aluno desolucionar problemas, a própria resolução da prova é um desafio”,explica Anya Moura.

Ela recomenda que os candidatos leiam toda a prova e o tema daredação, mas comecem pela resolução das questões objetivas. “Nodecorrer da prova, vão surgindo as ideias”, diz Anya.

Na hora da redação, é preciso ir direto ao ponto. “O texto deve terraciocínio lógico e poder de comunicação. Não é para se preocupar comum texto elaborado. Vai ser uma redação mais curta, mas que demonstre acapacidade do aluno”, opina a professora.

Redação pode fazer a diferença

A redação é odiferencial para o Enem e unanimidade entre os professores, que tiveramquatro meses para preparar os estudantes - após a publicação das novasregras para o exame em maio. “As 180 questões objetivas são maispercepção. Uma pessoa descansada, com nível médio razoável, fará bem. Ogrande trunfo será a redação, que vai avaliar a arrumação de ideias, abagagem de leitura e o nível de conhecimento do candidato”, explicou oprofessor Luis Alberto Ferreira, que trabalhou um tema por semana noscursinhos em que ensina.

As apostas dos professores estão baseadas, em geral, em temasatuais, relacionados com a realidade do estudante, como urbanização,novas tecnologias e exploração de recursos naturais. Mas, nas últimasdez edições do Enem, a maioria dos temas girou em torno de problemassociais e políticos brasileiros.

Em 2008, os estudantes tiveram que defender uma maneira parapreservar a floresta amazônica. “Os temas trabalhados estão focados nastemáticas mais atuais, mas são apostas”, explica o professor do ColégioAnchieta, Evert Reis.

Outros profissionais preferem não focar a preparação para o Enem.“Apenas direciona e cria expectativa. A redação deve medir o nível dematuridade, a leitura de mundo, mostrar se o aluno sabe fazer um linkentre todas as matérias que estudou e a realidade em que vive. Issovale para o Enem como para qualquer outro vestibular sério”,exemplifica a professora de redação e literatura Lisabeth Teixeira, doColégio Helyos. Localizada em Feira de Santana, a escola foi 4 lugarentre as mais bem colocadas no Enem 2008, em todo o país.

O tema da redação do Enem muda a cada ano. O texto deve terestrutura de dissertação, mais de 15 linhas, respeitar o tema proposto,estar legível, conter a identificação do autor e escrita a caneta. Se ocandidato não respeitar qualquer um desses critérios, a redação ézerada.

10 DICAS PARA UMA BOA REDAÇÃO

1. Mantenha-seatualizado em relação aos grandes problemas brasileiros (sociais,políticos, culturais, ambientais etc.), lendo revistas e jornais. Sóassim você enriquecerá seu repertório de informações e argumentos paraopinar, de forma consistente, sobre o tema proposto.

2. Procure conhecer o modelo de redação do Enem,tomando contato com as propostas dos exames anteriores e, se possível,desenvolva essas propostas a título de exercício. Peça que seuprofessor de língua portuguesa avalie seu desempenho.

3. Na hora da prova, leia coma máxima atenção aproposta apresentada, procurando entender o que dizem os textos que acompõem. Lembre-se de que esses textos não podem ser ignorados nodesenvolvimento de sua redação.

4. Ao desenvolver seu texto, você deve fazê-lo pormeio de uma dissertação argumentativa e não de uma narração. Eviteescrever em forma de diálogo.

5. Use a língua escrita culta, ou, em outras palavras, o português escrito padrão. Evite, pois, a linguagem popular ou a gíria.

6. Ao redigir seu texto, além de expor informaçõese argumentos, procure se posicionar diante da situação-problemapresente na proposta.

7. Faça antes um rascunho e, na hora de passar a limpo seu texto, proceda a uma boa revisão.

8. Desenvolva seu texto comcoerência e de forma bem articulada. Esses dois aspectos também serão avaliados e receberão nota.

9. Não se esqueça de incluir em seu projeto detexto uma proposta de solução para o problema tratado no texto,conforme recomenda a competência.

10. Escreva no mínimo 15 linhas e use uma letra legível.

APOSTAS DE TEMAS

- Importância da água no futuro e no aquecimento global

- Inclusão digital: realidade ou alienação?

- A importância do novo acordo ortográfico

(Professor de gramática e redação Luiz Alberto Ferreira - Central do Vestibular, Análise e DNA)

- As novas matrizes energéticas, limpas e renováveis, em substituição ao petróleo

- Urbanização e sistema viário das grandes cidades

- Questão digital : e-commerce, contravenção e interferência da internet nos atos e costumes

(Professor de literatura Evert Reis - Colégio Anchieta)

- Crise financeira mundial

- Gripe suína

- A reformulação do ensino superior e o papel do estudante

(Professora Anya Moura - Colégios Oficina, Módulo e Apoio)