Aproximadamente22% dos inscritos no vestibular da Universidade Federal do Paraná(UFPR) não pretendem utilizar a nota do novo Exame Nacional do EnsinoMédio (Enem) no processo seletivo. Dos 43.796 candidatos, somente 34,2mil (78%) informaram o número de inscrição no Enem no formulário dainscrição do vestibular. Este ano, o desempenho na prova objetiva doexame representará 10% da nota final do candidato da UFPR.

Segundoo reitor da universidade, Zaki Akel Sobrinho, os mais de 9 milestudantes que não indicaram os dados do Enem entrarão automaticamentena disputa com no máximo 90% da nota final porque o uso do exame não éopcional – ou seja, o candidato não tem o direito de escolher se desejaou não aproveitar o Enem na composição da nota do vestibular.

O número de estudantes prejudicados na competição, no entanto, podeser ainda maior. Com a mudança da data do Enem, remarcado para os dias5 e 6 de dezembro, nem todos os candidatos inscritos no exameparticiparão das provas. Aluna do terceiro ano do ensino médio,Carolina Meiga Ribeiro, 17 anos, havia programado uma viagem com afamília entre a primeira e a segunda fase da UFPR, período em que oEnem será aplicado. “Estou me preparando desde o início do ano, semprepensando no Enem. Quando veio a confirmação de que ele representaria10% da nota da UFPR, a dedicação foi ainda maior. Fiquei muitodecepcionada quando o exame foi adiado, primeiro pela desorganização edepois porque ele foi transferido para um dia em que eu não possorealizar a prova”, afirmou. “Estou sem saber como ficará a minhasituação na Federal”, disse.

Segundo as regras do vestibular, a estudante sairá atrás dos demaiscandidatos se não fizer o Enem. Akel avalia, porém, que o adiamento doexame não trará prejuízos muito grandes aos vestibulandos. “Podemosdizer que a nossa situação é até um pouco privilegiada em comparaçãocom outras instituições, porque fomos cautelosos e usamos o Enem apenascomo 10% da nota. Além disso, a data do exame não coincidiu com o nossovestibular”, disse.

No entanto, esses candidatos que não usarão o Enem, ou deixarão departicipar da prova, têm uma chance de não sair atrás dos demais. Comoo Ministério da Educação (MEC) vai atrasar a divulgação dos resultados,é possível que eles não venham a tempo de a Federal utilizá-los naconta da pontuação final dos vestibulandos. A UFPR solicitou ao MEC queas notas da prova objetiva do Enem sejam repassadas na primeiraquinzena de janeiro, para que a universidade possa divulgar a lista deaprovados até o dia 22 de janeiro. Segundo o coordenador-geral doNúcleo de Concursos da UFPR, Raul von der Heyde, a universidade podedeixar de utilizar o exame caso o prazo não seja cumprido.

Concorrência

Como de costume, o curso mais concorrido do vestibular da UFPR foiMedicina, com 34,23 candidatos por vaga, seguido por Publicidade ePropaganda e Biomedicina, curso que abrirá sua primeira turma nopróximo ano (veja tabela). A procura pelo curso de Jornalismo caiu 9,4%– de 591 candidatos ano passado para 554 neste ano – no primeirovestibular após a decisão do Supremo Tribunal Federal que derrubou aexigência do diploma para o exercício da profissão. O curso permaneceentre os dez mais procurados, mas caiu da 3. para a 7. posição. Aotodo, a UFPR recebeu 43.796 inscrições, um aumento de aproximadamente4% em relação ao último vestibular. Serão ofertadas 5.334 vagas em 91opções de cursos de graduação.