O que o monitoramento do trânsito nas grandes cidades, a venda de livros pela internet, as redes sociais e a prevenção de fraudes em cartão de crédito têm em comum? Todos processam, analisam e interpretam um volume gigantesco de dados para mapear tendências, identificar padrões e até prever comportamentos. Trata-se do Big Data, ou ciência dos dados, uma área ligada à tecnologia da informação que vem crescendo nos últimos anos.

O que é o Big Data?

Big Data, ou Ciência dos Dados, é o termo utilizado para descrever o processamento, análise e intepretação de um grade volume de dados complexos de forma rápida. Com a evolução da tecnologia e a rápida expansão da quantidade de dados gerados no mundo todo, surge a necessidade de novas ferramentas, serviços e programas de computador para lidar com toda essa informação. E, claro, pessoas qualificadas para utilizar essas ferramentas e tecnologias.

Podemos destacar três grandes características do Big Data:

  1. Análise de um grande volume de dados de uma só vez.
  2. Processamento e análise de dados não-estruturados, usando informações de diferentes fontes.
  3. Identificação e interpretação de tendências para apoiar a tomada de decisão.

Onde se usa Big Data?

Apesar de parecer coisa de ficção científica, o Big Data já é utilizado em diversos setores. Veja alguns exemplos:

  • Esportes: campeã em 2014, a seleção da Alemanha usou a tecnologia para analisar as imagens dos jogos de seus adversários em tempo real e melhorar seu desempenho para as próximas partidas da Copa do Mundo.
  • Redes sociais: sugestões de amizades e que páginas seguir.
  • Saúde: o Google lançou uma ferramenta que analisa as buscas para determinar a tendência do aumento de gripe em todo o mundo.
  • Logística: indústrias estão utilizando ferramentas de big data para analisar o trânsito e determinar os melhores horários e rotas para a distribuição de seus produtos.
  • Serviços de vídeo: uma grande empresa de vídeo on demand usa a tecnologia para fazer recomendação de filmes e séries para seus consumidores e analisa o tráfego de dados para melhorar a qualidade da transmissão.
  • Varejo: usa um volume grande de informações sobre os consumidores para prever futuros hábitos de consumo.
  • Clima: uso de informações enviadas por sensores de milhões de telefones celulares pessoais para aprimorar a previsão do tempo.

Qual o perfil do profissional de Big Data?

O profissional que trabalha com Big Data, ou Ciência dos Dados, apresenta múltiplas habilidades, normalmente com uma boa base em Tecnologia de Informação. São pessoas que sabem como utilizar ferramentas de análise de dados para descobrir,  interpretar e modelar informações escondidas em grandes bases de dados, possibilitando assim a tomada de decisões.

Além da capacitação técnica, um conhecimento profundo do cliente, da empresa ou do mercado, pensamento estratégico, grande habilidade de comunicação, criatividade e capacidade de trabalhar colaborativamente também são características desse profissional que vem sendo cada vez mais procurado no mercado de trabalho.

De acordo com um estudo do Gartner, uma empresa de pesquisa e consultoria na área de tecnologia, em 2015 serão necessários 4,4 milhões de profissionais de Big Data no mundo todo, sendo 500 mil só no Brasil. De olho nessa demanda e preocupados com a possível escassez de mão-de-obra qualificada para trabalhar com a ciência dos dados, empresas multinacionais de tecnologia e universidades brasileiras estão trabalhando para capacitar novos profissionais.

Onde estudar Big Data?

No Brasil, ainda não foram criados cursos de graduação específicos para Big Data, mas já há cursos de extensão e de pós-graduação lato sensu.

Conheça algumas opções:

  • ESPM: Big Data
  • Faculdade de Tecnologia FIAP: MBA em Big Data
  • Faculdade BandTec: Pós-Graduação em Big Data & Analytics
  • Fundação Getúlio Vargas – FGV: Especialização em Big Data Analytics
  • Fundação Instituto de Administração – FIA : Análise de Big Data
  • PUC-RIO: Data Mining & Big Data I - Conceitos, Técnicas e Aplicações
  • Universidade Presbiteriana Mackenzie: Pós-graduação em Ciência de Dados (Big Data/Analytics)

Quem sabe inglês pode estudar sem sair de casa em universidades americanas, como MIT Harvard e Stanford, que oferecem cursos de Big Data na modalidade EAD. Há opções gratuitas e pagas.

Empresas de tecnologia como IBM, Intel, SAS e Amazon também oferecem cursos online em diferentes níveis de profundidade e o site bigdatauniversity.com tem um programa completo e gratuito de cursos de capacitação em Big Data (em inglês).

Quanto ganha o profissional de Big Data?

Os salários iniciais de um profissional de Big Data estão na faixa dos R$ 4.000,00, enquanto um profissional experiente pode ganhar até R$ 30.000,00, de acordo com especialistas das consultorias ManpowerGroup e Michael Page (reportagem do jornal Gazeta do Povo, de janeiro de 2014).

Ficou interessado em fazer um curso de Big Data? Já trabalha na área? Conte para a gente nos comentários!