Segurança do trabalho é o curso técnico mais procurado no Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica, o Sisutec. Não é para menos. Com um salário que pode ultrapassar os R$ 6 mil, o profissional formado em segurança do trabalho tem altas chances de sair do curso já empregado. Em algumas instituições, 90% dos alunos já estão trabalhando ou estagiando na área antes mesmo de se formarem.

De acordo com dados do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e do MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), 74% dos alunos já saem dos cursos técnicos empregados e não ficam mais de dois meses sem trabalho (dados de 2013).

Ficou interessado em fazer o curso técnico em segurança do trabalho? Entenda as responsabilidades desse profissional, como funciona, quem pode fazer e onde encontrar o curso e quanto ganha um técnico em segurança do trabalho.

O que faz um técnico em segurança do trabalho?

A principal responsabilidade do técnico em segurança do trabalho é prevenir acidentes. Para cumprir essa missão, o técnico em segurança do trabalho atua em algumas frentes:

  • Identificação e avaliação de riscos: analisa o ambiente de trabalho e os processos produtivos, identificando possíveis riscos aos trabalhadores e ao ambiente.
  • Orientação e educação dos trabalhadores: desenvolve cursos, treinamentos, campanhas e outros materiais educativos nas áreas de saúde, prevenção de acidentes e uso de equipamentos de proteção, entre outros temas.
  • Programas de prevenção: executa programas de prevenção, que podem ser voltados para saúde, meio ambiente, operação de máquinas etc., dependendo da área de atuação da empresa.
  • Recomendações: a partir da identificação de riscos, recomenda melhorias para a segurança dos trabalhadores e do ambiente, solicita auditorias e propõe mudanças em processos, normas internas e equipamentos.

Como é o curso técnico em segurança do trabalho?

O curso técnico em segurança do trabalho dura em média um ano e meio e pode ser feito por quem ainda está matriculado no ensino médio (no 2o ano, pelo menos) e por quem já concluiu o ensino médio. Entre as matérias do curso, você poderá encontrar:

  • Comunicação oral e escrita
  • Desenho técnico
  • Doenças ocupacionais
  • Ergonomia
  • Legislação e normas
  • Meio ambiente e qualidade de vida
  • Prevenção e controle de riscos
  • Primeiros socorros e suporte emergencial à vida
  • Sistemas de segurança e saúde no trabalho
  • Tecnologias de prevenção e combate a incêndio

O MEC recomenda, no Catálogo Nacional de Cursos Técnicos, que o curso em segurança do trabalho tenha em sua infraestrutura:

  • Biblioteca com acervo específico e atualizado
  • Laboratório de informática com programas específicos
  • Laboratório de combate a incêndio
  • Laboratório de higiene e segurança do trabalho
  • Laboratório de suporte básico à vida

O curso técnico em segurança do trabalho também pode ser oferecido com outros nomes, dependendo do foco dado na qualificação. Alguns exemplos são:

  • Agente promotor em saúde e segurança do trabalho
  • Assistente administrativo de segurança do trabalho
  • Biossegurança
  • Gestão técnica em segurança do trabalho
  • Saúde e segurança do trabalho
O estágio durante o curso técnico em segurança do trabalho não é obrigatório, mas é altamente recomendado e a maior parte das instituições incentiva o estágio. Algumas delas têm convênios com empresas para inserir seus alunos no mercado de trabalho enquanto ainda estão fazendo o curso.

Onde encontro curso técnico em segurança do trabalho?

Você pode encontrar cursos técnicos em segurança do trabalho em instituições públicas e privadas. O Senac e o Senai costumam oferecer esse curso em várias cidades brasileiras, assim como os institutos de ciência e tecnologia de diversos estados.

Se o seu objetivo é fazer um curso técnico gratuito, uma boa opção é tentar uma vaga pelo Sisutec. Com inscrições duas vezes por ano, no começo do primeiro e do segundo semestres, o Sisutec exige que o candidato tenha feito o Enem e tenha obtido uma nota maior do que zero na redação.

Saiba mais sobre o Sisutec:

Se você já está trabalhando e acha que fica difícil conciliar a vida profissional com uma nova qualificação, pode tentar um curso de segurança do trabalho a distância. O Senac, por exemplo, tem um curso técnico em segurança do trabalho EAD. A vantagem é que você pode estudar de casa, nos horários que forem mais convenientes para você. Ao escolher o curso, procure saber como são as atividades de laboratório e quantas vezes vai precisar comparecer na escola para fazer provas e atividades presenciais, assim você consegue se planejar melhor.

Onde o técnico em segurança do trabalho pode trabalhar?

O profissional técnico em segurança do trabalho tem um mercado de atuação amplo, podendo trabalhar em instituições públicas e privadas dos mais variados setores, tais como: comércio, indústria, construção civil, empresas de serviços e órgãos do governo. Além disso, também pode atuar como consultor autônomo, elaborando laudos econômicos e relatórios de riscos físicos e ministrando treinamento, para citar alguns exemplos.

Empresas de mineração, siderurgia e metalurgia costumam ter a maior quantidade de oportunidades para profissionais de segurança do trabalho.

Quanto ganha um técnico em segurança do trabalho?

O salário de um técnico em segurança do trabalho muitas vezes é maior do que o salário de um profissional com nível superior, podendo ultrapassar os R$ 6 mil.

Um técnico em segurança do trabalho que acabou de se formar ganha em média R$ 1.800,00, mas esse valor pode aumentar de acordo com a cidade e a área de atuação.

Segundo o Sindicato dos Técnicos em Segurança do Trabalho no Estado de São Paulo (SINTESP), o piso salarial da categoria pode ser de R$2.438,22, para quem trabalha em hospitais filantrópicos no interior, até R$2.800,00, para profissionais de engenharia consultiva (dados publicados em julho de 2014).

Você já fez ou está fazendo o curso técnico em segurança do trabalho? Conte sua experiência para a gente. Seu comentário pode ser muito útil para quem está pensando em fazer o curso.